publicidade

Attick Demons: Se você é fã do Iron Maiden, ouça essa banda

Resenha - Let's Raise Hell - Attick Demons

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collector's Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Você é fã do Iron Maiden? Você adora a voz de Bruce Dickinson? Você gosta de metal tradicional bem feito? Então preste atenção: você vai adorar a banda portuguesa Attick Demons. O motivo é simples: além de fazer um metal competente e cativante, o timbre do vocalista Artur Almeida é muito semelhante ao de Bruce. Sério, nunca ouvi algo mais próximo do cantor inglês do que a voz do português. É impressionante!

Homossexualidade: 5 nomes da cena rock/metal que assumiramAs novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecer

Vamos aos fatos: o Attick Demons é uma banda portuguesa formada em 1996 em Lisboa. O grupo é composto por Artur Almeida (vocal), Luis Figueira (guitarra), Nuno Martins (guitarra), João Clemente (baixo) e Ricardo Oliveira (bateria). A discografia já conta com três títulos -o EP "Attick Demons" (2000), "Atlantis" (2011) e o recém lançado "Let's Raise Hell", que saiu em 12 de agosto passado. A sonoridade bebe direto na fonte aparentemente infinita da New Wave of British Heavy Metal, porém atualizando aquela sonoridade clássica com uma pegada mais atual, refletida principalmente nos timbres e em uma dose maior de peso.

"Let's Raise Hell" traz nove faixas, formando um tracklist consistente. A execução instrumental é bastante competente, mas o principal destaque, indiscutivelmente, acaba ficando com Almeida. A similaridade com a voz de Bruce Dickinson é tamanha que você se pergunta se não está ouvindo um novo álbum do Iron Maiden ou uma nova empreitada solo do vocalista. Até os tradicionais "ooooooooo" estão presentes, o que, aliada à já citada influência de NWOBHM, aproximam ainda mais o Attick Demons do universo da Donzela.

Esse contexto tem dois lados. O bom é que a banda acaba ganhando uma projeção maior devido ao interesse dos fãs do Maiden, reconhecidamente uma das maiores e mais fanáticas legiões de apreciadores que o metal já conheceu. A outra é que, mesmo não limitando o Attick Demons a uma seara sonora específica, acaba por não possibilitar que a banda portuguesa desenvolva uma identidade musical original e própria. Nesse caso a questão não é apenas a semelhança entre as vozes, mas também passa pelas próprias influências do Attick Demons, que, como já dito, vem direto do clássico heavy metal britânico.

Mas, no final das contas, todas essas dúvidas e questionamentos podem e serão varridos para baixo do tapete por uma legião de ouvintes. Há um nicho de fãs insatisfeitos com o direcionamento musical atual do Iron Maiden, que não gostou de álbuns como "The Final Frontier" (2010) e "The Book of Souls" (2015) e clama por um retorno dos ingleses à sonoridade clássica da década de 1980. O Attick Demons é capaz de atender essa demanda com discos como "Let's Raise Hell", um trabalho sólido e cheio de boas canções.

Seja você é um fã insatisfeito com o Iron Maiden atual ou apenas um ouvinte que procura um bom disco de metal tradicional, a audição do novo álbum do Attick Demons tem tudo para agradar os seus ouvidos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Attick Demons"


HomossexualidadeHomossexualidade
5 nomes da cena rock/metal que assumiram

As novas caras do metalAs novas caras do metal
Mais 40 bandas que você deve conhecer

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1984

Metallica: NME elege as 10 melhores músicas do grupoCradle of Filth: Chimbinha, do Calypso, usando camiseta?Ritchie Blackmore: "Nasci na época errada"Piadas sobre músicos

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336