Stone: Em 1989, thrash metal das frias terras do norte europeu!

Resenha - No Anaesthesia! - Stone

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Oscar Xavier
Enviar correções  |  Ver Acessos

A cena do metal na Finlândia é conhecida pela sua variedade de bandas. São diversas bandas, dentre os sub-gêneros mais populares no país estão o folk metal, power metal, symphonic metal, melodic death metal e o black metal. O thrash metal nunca foi um gênero tão popular no país, porém há uma banda que ergueu com orgulho a bandeira do thrash nessa fria terra do norte europeu. A banda em questão se chama STONE. Formada na metade da década de 80, STONE é uma banda de thrash metal com fortes influências progressivas, e uma pitada de elementos do speed metal. Em minha opinião o álbum que define melhor sua sonoridade seria o "No Anaesthesia!".

Lágrimas nos olhos: 25 músicas para chorarLed Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lançado em 1989, o álbum abre com uma bela homenagem ao maior compositor finlandês de música erudita, Jean Sibelius, uma excelente versão da obra intitulada Finlandia. Nesse álbum todas as faixas merecem uma digna atenção, afinal os finlandeses têm um belo hábito de serem excelentes músicos. Porém destacarei minhas 3 faixas favoritas.

A quarta faixa do álbum, "Back to the Stone Age", começa com uma intro leve e cadenciada com uma guitarra limpa, porém não demora muito para os outros instrumentos darem as caras e acelerarem o ritmo. Destaque para a técnica surpreendente do baterista Pekka Kasari.

No Anaesthesia, sexta faixa do álbum, começa com o som do famoso motorzinho usado por dentistas (barulho esse que é o terror para muitos). Logo em seguida um riff forte, cadenciado, com a presença dos tappings do guitarrista Roope Latvala (ex-CHILDREN OF BODOM). De todo o álbum, essa é uma das músicas que mais cotem influencias progressivas, sem perder a agressividade do thrash metal é claro. O refrão é grudento, e perfeito para se cantar junto com a banda ao vivo. "How do you want it? No anaesthesia! He's the dentist, you are a patient in pain, No anaesthesia!"

A última faixa do álbum se chama Meat Mincing Machine. Para os fãs old-school do gênero essa música cairá como uma luva. Vocais chegam a lembrar muito as bandas crossover norte-americanas. O dueto de guitarras no solo dessa música mostram mais uma vez a incrível técnica dos membros da banda. Encerraram com chave de ouro o álbum.

Bom, como eu disse no começo da resenha, esse é um álbum onde você deve escutá-lo faixa por faixa. A banda caiu nas graças dos headbagers finlandeses, influenciando uma porção de bandas e fazendo com que posteriormente incentivasse o surgimento de novas bandas num país onde até então não era tão comum ter bandas de metal.

Tracklist:
01 - Finlandia
02 - Sweet Dreams
03 - Empty Corner
04 - Back to the Stone Age
05 - Concrete Malformation
06 - No Anaesthesia
07 - Light Entertainment (Good Old Times)
08 - Kill the Dead
09 - Meat Mincing Machine

lineup:
Janne Joutsenniemi - vocla/baixo
Roope Latvala - guitarra/backing vocal
Jiri Jalkanen - guitarra/backing vocal
Pekka Kasari - bateria




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Stone"


Lágrimas nos olhos: 25 músicas para chorarLágrimas nos olhos
25 músicas para chorar

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin
Por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?


Sobre Oscar Xavier

Headbanger, ouviu Heavy Metal pela primeira vez aos 11 anos de idade, o disco "Brave New World" do Iron Maiden, desde então não parou mais. Atualmente suas bandas favoritas são Pantera, Slayer, Dissection e Satyricon.

Mais matérias de Oscar Xavier no Whiplash.Net.

adGoo336