Blackning: Segundo álbum é uma pedrada thrash excelente

Resenha - Alienation - Blackning

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Após um primeiro álbum que chamou a atenção no underground nacional, o BLACKNING, formado por Chicão Stanich (ex-WOSLOM) no baixo, Cleber Orsioli (ex-ANDRALLS) nas guitarras e vozes, e Elvis Santos (ex-POSTWAR), se estabilizou como um dos grandes nomes do thrash nacional. E agora, com esse segundo trabalho, sem dúvida os caras vêm para consolidar essa realidade.

Andreas Kisser: os álbuns que marcaram o guitarristaMarilyn Manson: 7 coisas que você não sabia sobre ele

E se o debut já foi surpreendente, dessa vez os caras se mostram ainda melhores, com mais gás e energia, sendo clara sua grande evolução com o tempo de estrada, com faixas ainda mais bem construídas, pesadas e brutais.

"Thru the Eyes" é um grande exemplo disso, trazendo um peso avassalador, mas com um lado melódico mais ressaltado, em especial no brilhante solo de guitarra de Cleber.

Outro grande exemplo da evolução do trio aqui é "Dark Days", uma faixa intensa e que mostra todo o capricho dos caras ao comporem, com ótimas levadas de bateria, riffs e solos de guitarra excelentes, e linhas de baixo marcantes e diversificadas.

Mas, é claro, nos momentos mais "sangue no zóio", em que a porradaria come solta, a banda tem um destaque absoluto, vide "Streets of Justice" (que bela letra!) e "Devil's Child", já que os caras dominam como poucos esse lado mais brutal.

Mas, falando em variedade, os momentos mais cadenciados também têm seu espaço, e com muita qualidade, como em "Mechanical Minds" e "Weapons of Intolerance", duas das melhores faixas de "Alienation".

O disco foi novamente produzido por Fabiano Penna, que já havia produzido o debut da banda, e mixado por Neto Grous, com uma sonoridade forte e crua, como o estilo exige, sem excessos de modernidade.

Vale ainda citar que o trabalho vem em uma caprichadíssima edição digipack, mostrando todo o profissionalismo da banda, que sem dúvida já figura entre as melhores do thrash nacional.

Alienation - Blackning
(Nacional - 2014)

Formaçao:
Cleber Orsioli - Vocals, Guitars
Francisco Stanich - Bass, Vocals
Elvis Santos - Drums, Vocals

Track List:

1. Street Justice
2. Thru the Eyes
3. Mechanical Minds
4. Dark Days
5. Weapons of Intolerance
6. Dyed in Blood
7. Devil's Child
8. The Rotten Institution
9. Two-Faced Liar
10. Corporation




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Blackning"


Metal NacionalMetal Nacional
Confira bandas que se destacaram em 2015


SepulturaSepultura
Os discos que mudaram a vida de Andreas Kisser

Marilyn MansonMarilyn Manson
7 coisas que você não sabia sobre ele

KissKiss
"Rock não tem segredos! É trabalho para otários!"

Os Headbangers não praticantesTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 2000Kirk Hammett: guitarrista sofreu bullying no ensino médioAC/DC: vídeo legendado mostra crianças reagindo ao som da banda

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336