Lost Society: saindo da mesmice e inovando o Metal

Resenha - Braindead - Lost Society

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Oscar Xavier
Enviar Correções  

Um dos maiores nomes da cena thrash atual é sem dúvidas o LOST SOCIETY. Os finlandeses arriscaram tudo no ultimo álbum intitulado BRAINDEAD, com uma notável dinâmica maior de compassos e composições.

publicidade

O álbum começa com a faixa "I Am The Antidote", um single com direito a vídeo clipe. Essa faixa chama muito a atenção pois é bem mais lenta do que as músicas costumavam ser, e seus riffs estão repleto de grooves, e alguns vocais limpos, o que desagradou alguns dos fãs. Mas isso não quer dizer que é uma faixa ruim, longe disso, ao meu ver eles acertaram em cheio com esse play adicionando excelentes melodias.

publicidade

A segunda faixa, chamada "Riot", também começa com um ritmo mais lento, porém sendo um pouco mais agressiva que a anterior. Os riffs com muitos grooves extremamente agressivos, fazem você querer bangear ao máximo. Percebe-se uma clara influência do hardcore nessa música. O próprio vocalista/guitarrista Samy Elbanna afirma que a música tem um feeling bem no estilo RAGE AGAINST THE MACHINE.

publicidade

A terceira faixa intitulada "Mad Torture" já começa com uma intro sinistra, com o barulho de uma serra elétrica e uma garota gritando. Musicalmente ela começa veloz, mas no decorrer da faixa percebemos mudanças com pontes onde eles desaceleram o ritmo. Uma das melhores do disco sem dúvidas.

A quarta faixa "Hollow Eyes", segue com um ritmo mais lento, porém nota-se grandiosas harmonias, e um dos melhores solos da carreira da banda. Samy Elbanna ainda afirma que a música tem uma vibe bem IRON MAIDEN, com um final que vai crescendo e deixando um feeling bem épico.

publicidade

A quinta faixa chamada "Rage Me Up" é pura pancadaria. Finalmente a banda acelera seu ritmo ao máximo como nos álbuns anteriores, ao estilo old-school. A música tem riffs bem crossover, o que funcionará muito bem ao vivo já que é uma música perfeita pra se curtir um mosh e gritar o simples refrão junto com a banda. E pra fechar nos últimos segundos da música eles aceleram a música na velocidade máxima, onde cada um da banda enlouquece tocando o mais rápido que pode.

publicidade

A sexta faixa intitulada "Hangover Activator", continua com o ritmo acelerado, ao estilo Kill 'Em All. Mesmo sendo uma faixa veloz, ela ainda flerta com o bom e velho rock 'n roll, como o próprio vocalista afirma. Com um dos melhores solos de guitarra do álbum, Samy Elbanna e Arttu Lesonen mostram o quão talentosos e entrosados eles são. A música ainda teve direito a um vídeo clipe com imagens da banda na estrada.

publicidade

A sétima faixa foi a que mais me surpreendeu. Chamada "Only My Death Is Certain", tem aquele som mais acessível. Começa com uma intro calma, obscura, e com guitarras limpas, bem longe dos padrões old-school da banda. Tem um daqueles refrões fáceis de cantar e que grudam na mente. A banda aqui tem muita influência das bandas finlandesas de Melodic Death Metal, ou seja, recheadas de melodias. Fãs de CHILDREN OF BODOM provavelmente irão curtir essa música. Sem sombra de dúvidas umas das minhas favoritas do álbum.

publicidade

O álbum encerra com um cover do PANTERA, a música "P.S.T. 88" do álbum "Power Metal", e uma versão alternativa da já conhecida "Terror Hungry".

O Lost Society se mostrou ser uma banda bem corajosa ao decidirem experimentar novos elementos, se afastando bastante do som old-school da banda, apresentado no dois primeiros álbuns. Para mim isso é um ponto positivo para o metal, pois vejo que ainda há bandas saindo da mesmice e inovando o Metal. Eles podem ter decepcionado alguns fãs, porém com toda certeza ganharam novos, e o respeito dos que aprovaram a mudança.

tracklist:
01 - I Am the Antidote
02 - Riot
03 - Mad Torture
04 - Hollow Eyes
05 - Rage Me Up
06 - Hangover Activator
07 - Only (My) Death Is Certain
08 - P.S.T. 88 (Pantera cover)
09 - Terror Hungry (Californian Easy Listening Version)

lineup:
Samy Elbanna - vocal/guitarra
Arttu Lesonen - guitarra
Mirko Lehtinen - baixo
Ossi Paananen - bateria

publicidade


Outras resenhas de Braindead - Lost Society

Lost Society: Evoluindo seu thrash metal em terceiro disco



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metallica: James Hetfield comenta sobre egos, Mustaine, Load e homossexualidadeMetallica
James Hetfield comenta sobre egos, Mustaine, Load e homossexualidade

Dane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhorDane-se Bruce Dickinson
Simone Simons no metrô é muito melhor


Sobre Oscar Xavier

Headbanger, ouviu Heavy Metal pela primeira vez aos 11 anos de idade, o disco "Brave New World" do Iron Maiden, desde então não parou mais. Atualmente suas bandas favoritas são Pantera, Slayer, Dissection e Satyricon.

Mais matérias de Oscar Xavier no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin