Uganga: Uma das melhores bandas nacionais da atualidade

Resenha - Opressor - Uganga

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel
Enviar Correções  

9

É sempre salutar quando se vê uma banda com coragem de sair do lugar comum, da zona de conforto que a grande maioria dos grupos se "enfia" e ali ficam o resto da vida: A mesma música e a mesma visão incessantemente. O Uganga foge disso, e com "Opressor" acerta em cheio, de uma maneira que poucas bandas conseguem, isso não somente no território nacional.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não há como indicar destaques individuais na banda, pois todos fizeram um trabalho formidável em "Opressor". Manu "Joker" fez seu melhor trabalho frente à banda. Impossível imaginar o Uganga sem sua voz ecoando pelos alto-falantes. A dupla Christian Franco e Thiago Soraggi nos brindam aqui com riffs, solos e melodias muito acima da média. Raphael "Ras" Franco faz estremecer as estruturas com seu baixo e ainda tem Marco Henriques fazendo um trabalho de bateria mais que competente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se algumas músicas ainda soam mais tradicionais, no velho Thrash Metal com um quê de Thrashcore, como, por exemplo, a intro "Guerra", "Casa" (e sua letra bacana e reflexiva sobre a vida na estrada) ou a mais Hardcore "Moleque de Pedra" (com vocal totalmente gutural/cavernoso de Juarez Tibanha), a regra em "Opressor" parece ser justamente não seguir regra alguma. A rifferama de "O Campo" combina com a força da letra, inspirada na visita da banda ao campo de concentração de Auschwitz (Polônia). Já a faixa-título "Opressor" é mais cadenciada, apesar de manter o peso lá em cima.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas a minha preferida é "Modus Vivendi", que sai um pouco do estilo da banda, onde abusam de melodias e riffs que ficaram sensacionais, isso sem perder o peso habitual do Uganga. "Nas Estranhas do Sol" tem um refrão mais arrastado, grande trabalho de bateria e uma mudança bacana de andamento em sua metade. "Aos Pés da Grande Árvore" tem um inicio quase Doom Metal anos 80/90, mas que depois se revela uma das músicas mais pesadas em "Opressor". "Who Are the True?" é cover da igualmente grande banda Vulcano, e não ficou devendo em nada a original, e tudo termina com "Guerreiro", talvez a faixa mais audaciosa em "Opressor", pois a mesma é quase acústica, e totalmente experimental, fugindo do que encontramos durante toda a audição do disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não tenho nenhuma dúvida que "Opressor" foi um dos melhores discos lançados no, que parece agora tão longínquo, ano de 2014. E mostra que, quando bem aproveitados, vinte anos de estrada trazem a maturidade e qualidade tão perseguidas por centenas de bandas Brasil afora. Se é indicado? Só olhar a nota da bolacha e ali está a resposta...

Formação:
Manu "Joker" – Vocal
Christian Franco – Guitarra
Thiago Soraggi – Guitarra
Raphael "Ras" Franco – Baixo e Vocal
Marco Henriques – Bateria e Vocal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

13 Faixas – 43:57

Tracklist:
1 - Guerra
2 - O Campo
3 - Veredas
4 - Opressor
5 - Moleque de Pedra
6 - Casa
7 - L.F.T
8 - Modus Vivendi
9 - Nas entranhas do Sol
10 - Aos Pés da Grande Árvore
11 - Noite
12 - Who Are the True?
13 - Guerreiro


Outras resenhas de Opressor - Uganga

Uganga: Voando alto em excelente quarto disco

Uganga: Surpreendente e marcante

Uganga: Thrash/Hardcore com letras fortes e muita personalidade

Uganga: Atingindo seu ápice com quarto disco




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Uganga: Já disponível novo vídeo para "Lobotomia"


Uganga: os álbuns que marcaram o vocalista Manu JokerUganga
Os álbuns que marcaram o vocalista Manu Joker


Pensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzschePensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal
Friedrich Nietzsche

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff HannemanSlayer
A trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

GooInArt Cli336 Goo336 Goo336 Cli336