Keep Them Blind: thrash metal com membros de Hibria e Astafix

Resenha - All Quiet, All Dead - Keep Them Blind

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9

O KEEP THEM BLIND, de Caxias do Sul, é mais um dos grandes nomes da nova cena do metal gaúcho, e conta em sua formação com Thiago Caurio, baterista do ASTAFIX, e Benhur Lima, baixista do HIBRIA (que aqui também faz os vocais limpos), além de Alex Bleggi (vocais) e Maicon Dorigatti (guitarra), e nos apresenta um dos melhores debuts do ano, que contou inclusive com incentivos por parte da Prefeitura de Caxias do Sul, e do Financiarte (e que merecem nossos aplausos por investirem na música pesada nacional).

Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhor

AC/DC: isso sim é uma bela estrada para o inferno

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E o som dos caras é uma porradaria descomunal, que não dá tréguas ao ouvinte. Calcado em especial no thrash metal moderno, há ainda diversas influências de metal industrial e djent, mesclando peso e groove na medida certa, e remetendo a nomes como FEAR FACTORY, MACHINE HEAD, PANTERA e MESHUGGAH.

Ou seja, temos aqui linhas vocais furiosas e agressivas, riffs ultra brutais, e andamentos intrincados e cheios de variações, comandados por uma cozinha técnica e precisa na medida certa, e de fazer cair o queixo até dos mais acostumados com o estilo.

Alias, Benhur e Thiago são dois músicos já consagrados na cena metálica nacional, e fazem um trabalho estupendo, o que já era de se esperar. E até por isso, acaba chamando bastante a atenção o trabalho do guitarrista Maicon, que se coloca facilmente entre os grandes nomes do instrumento dessa nova geração (ouça qualquer uma das canções do álbum e comprove isso facilmente!).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Todas as 13 faixas contidas no material são excelentes, e mostram um nível técnico e de composição muito elevado, além de muito bom gosto e arranjos ricos e bem construídos (há até momentos com inserções de viola e violoncelo, instrumentos pouco usuais no estilo), sendo que seria totalmente injusto (e impossível) indicar destaques, tamanha a qualidade de tudo que nos é apresentado.

Não podemos deixar de citar também à ótima produção feita pelo próprio Thiago, e mixagem e masterização feitas por Benhur , que deixaram tudo visceral e sujo como o estilo exige, e sem exageros quanto a utilização de recursos mais modernos, com todos os instrumentos bem perceptíveis e timbres animalescos.

Portanto, temos aqui uma das grandes revelações do metal pesado nacional em 2015, e que merece sua atenção, pois certamente estamos vislumbrando o surgimento de mais um "monstro" do metal nacional.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

AC/DC: isso sim é uma bela estrada para o infernoAC/DC
Isso sim é uma bela estrada para o inferno


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280