RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

Benediction: Encerrando uma fase importante de sua carreira

Resenha - Grind Bastard - Benediction

Por Maicon Leite
Postado em 31 de março de 2015

Nota: 9

Vamos aos fatos: para quem tem acompanhado as resenhas de toda a discografia do Benê e que conhece a fundo sua história, sabe que a formação clássica da banda, com Dave Ingram nos vocais, chegara ao fim com o excelente "Grind Bastard". Após lançar o disco menos célebre de sua carreira, o apenas bom "The Dreams You Dread", de 1995, os ingleses conseguiram dar a volta por cima na qualidade das composições e lançaram o fenomenal "Grind Bastard", em 1998. Seria sacrilégio dizer que não se trata de um dos seus melhores álbuns! Totalmente entrosados, os músicos adicionaram doses ainda maiores de Hardcore, encaixando perfeitamente os vocais urrados de Dave com as batidas clássicas e empolgantes do estilo, resultando em faixas memoráveis. Para comprovar este fato (não deixando de mencionar que o baixista Frank Healy veio do Cerebral Fix, grande nome do Crossover inglês!), há ainda um cover para "We Are The League", clássico do Anti-Nowhere League, reproduzido aqui com a devida paixão e lançada na versão em digipack.

Já a influência voltada ao Heavy Metal, já demonstrada com o cover de "Forged in Fire", do Anvil, no EP "Dark Is The Season", volta à tona com versões arrebatadoras de "Eletric Eye", do Judas Priest, e "Destroyer", do Twisted Sister, provando por A + B que o radicalismo existente na cena Metal restringia-se apenas a alguns poucos malucos… Banda de Death Metal gravando Twisted Sister? Que tal ouvir o Death tocando "God of Thunder", do Kiss? Para algumas pessoas, tais coisas eram inconcebíveis (se bem que hoje em dia isso ainda existe, o que é uma pena). Deixando os gostos pessoais dos headbangers de lado, vamos ao álbum em si.

Partindo deste princípio, o que ouvimos no restante das faixas é o estilo Benediction de fazer Death Metal, somado às suas influências. Ora pesado, ora super rápido, os vocais inesquecíveis de Dave comandam a massa sonora com total aspereza e agressividade, e é através dos riffs cortantes de "Deadfall", com ótimos efeitos entre uma caixa e outra, é que se dá início a um verdadeiro workshop de Metal extremo. A levada, empolgante, evidencia as batidas de Neil Hutton, ao passo que há muita variação envolvida, ganhando o ouvinte de imediato. "Agonised" se destaca pelos seguintes motivos: a pegada Hardcore, os bumbos duplos e a saraivada de riffs que seguem por toda a faixa. Pulando direto para "Magnificat", onde o baixo de Frank e a batida de Neil Hutton evocam novamente o clima Hardcore, seguida da rapidíssima "Nervebomb", o que temos é o Benediction em sua melhor forma, destacando-se substancialmente entre os lançamentos do ano em questão, ao lado de álbuns igualmente portentosos, como "The Sound of Perseverance", do Death, e "Diabolical Conquest", do Incantation.

E após dobrarem o peso de "Eletric Eye", clássico incontestável do Priest, disparam com a longa faixa-título do álbum, que ultrapassa 7 minutos de duração, mas que em nenhum momento cansa o ouvinte, devido à pegada cheia de garra e a interpretação única de Dave. Outra música que merece destaque é "Carcinoma Angel", com excelentes fraseados de guitarra. "We The Freed" é praticamente rápida do início ao fim, com algumas partes mais "grooveadas", por assim dizer. A energia que emana da música possivelmente seria pretexto para violentíssimas rodas de pogo durante os shows. A lentíssima "Destroyer", do Twisted Sister, apenas evidenciou seu peso nas mãos do Benê, enquanto "I" fecha o álbum da melhor maneira possível, considerada (pelo menos para este que vos escreve), um dos grandes clássicos da banda.

"Grind Bastard" encerrou uma importante fase para a banda, e foi durante a turnê de promoção do CD ao lado do Death pela Europa que Dave Ingram pulou do barco, passando a bola para outro Dave, o Hunt, que deu sequência no giro e três anos depois estreou em estúdio com "Organized Chaos", mantendo a sonoridade do Benediction intacta. Para ouvir de cabo a rabo. Ah, vale mencionar a intrigante capa, que desde seu lançamento ainda perturba meus pensamentos.

OBS: fugindo um pouco do texto normal de uma resenha, a terceira faixa, "West of Hell" é baseada na figura do assassino em série Frederick "Fred" West, que nasceu na pequena cidade inglesa de Much Marcle, em Herefordshire. Há relatos de que ele e suas irmãs haviam sido violentados sexualmente pelos seus pais quando crianças, fato este que nunca foi confirmado. Dentre os vários crimes cometidos por Fred e sua esposa, estavam assassinatos e roubos. A história completa você poderá conferir aqui:
http://goo.gl/2xad1w

[an error occurred while processing this directive]

Contatos & Links
https://www.facebook.com/pages/Benediction/463721850351250

Benediction
Titulo: "Grind Bastard"
Formato: CD
Local: Inglaterra
Estilo: Death Metal
Gravadora/Selo: Nuclear Blast Records
Ano de Lançamento: 1998

Tracklist normal:

01 - Deadfall
02 - Agonised
03 - West of Hell
04 - Magnificat
05 - Nervebomb
06 - Electric Eye (Judas Priest cover)
07 - Grind Bastard
08 - Shadow World
09 - The Bodiless
10 - Carcinoma Angel
11 - We the Freed
12 - Destroyer (Twisted Sister cover)
13 - I
14 - We Are The League (Anti-Nowhere League cover)

[an error occurred while processing this directive]

Tempo total: 61:47

Formação:

Dave Ingram - Vocal
Peter Rewinski – Guitarra
Darren Brookes – Guitarra
Frank Heally - Baixo
Neil Hutton – Bateria
Por Maicon Leite

Vídeo:
"I":

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Maicon Leite

Maicon Leite é assessor de imprensa na Wargods Press, colaborador na revista Roadie Crew e um dos autores do livro Tá no Sangue! - A História do Rock Pesado Gaúcho, dentre outros projetos e publicações.
Mais matérias de Maicon Leite.