Anette Olzon: brilho pós-Nightwish

Resenha - Shine - Anette Olzon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Carlos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após a sua saída do NIGHTWISH, que foi, inclusive, tema nos extras do mais recente DVD dos finlandeses, onde relatam sua versão para a saída da cantora (sendo que Anette não autorizou usar imagens suas nesse documentário), a sueca lançou recentemente "Shine", seu primeiro álbum solo.

37 acessosEm 14/01/1966: Nasce Marco Hietala (Nightwish)5000 acessosDavid Bowie: a última foto pública e a última foto privada

"Shine" tem uma roupagem moderna, com músicas bem interessantes e alguns destaques, com momentos trazendo boas doses de emoção e uma ótima atuação da vocalista, que pôde cantar utilizando sua voz de forma mais confortável, pois possui uma voz bonita e agradável.

Diria que Anette possui um timbre suave, uma certa inocência na voz, às vezes lembrando aquela trilhas de filmes da disney, e lembro disso porque acredito ter sido um dos motivos que levou Tuomas e escolhê-la para ser a sucessora da Tarja, pois todos sabemos do gosto do líder do NIGHTWISH por trilhas e filmes da Disney, inclusive o álbum "Imaginaerum", que tem esse "quê" de trilha sonora, o trabalho da Anette foi muito bom.

Eu conhecia ANETTE de trabalhos anteriores, como nos dois primeiros álbuns ALYSON AVENUE, e no dueto com MICHAEL BORMANN na música "Two of a Kind" (confira no vídeo abaixo), por exemplo, quando soube do anúncio da entrada dela no NIGHTWISH tive certeza que em algumas músicas ficaria complicada a comparação, mas em outras a bela e suave voz da suéca trariam boas possibilidades, assim como nas novas músicas, que provavelmente Tuomas comporia já conhecendo melhor a nova integrante e suas potencialidades, ou seja, foram criadas coisas bem interessantes, e o problema principal sempre foram as músicas mais antigas (principalmente com os vocais mais altos) e as mais pesadas.

Enfim, mesmo dividindo opiniões, a fase com Anette produziu boas coisas, e para a carreira dela foi bem interessante, pois certamente esse seu álbum solo não teria a atenção que está tendo, e a produção que teve, se a cantora não tivesse passado pela banda finlandesa, mas claro, se não apresentar um trabalho consistente e de qualidade, vai acabar só vivendo na lembrança dessa fase com o NIGHTWISH.

Se depender da bela voz e da boa coleção de canções contidas e "Shine", o futuro da suéca está bem encaminhado, só manter a qualidade mostrada no álbum. Não espere uma sonoridade parecida com o NIGHTWISH, mas tem tudo para agradar quem gosta da voz de Anette. Difícil também rotular, possuindo elementos do Pop, Rock e até Metal, com uma roupagem de bom gosto e moderna.

Produção muito boa e algumas faixas que se destacam, com potencial para hits, como a faixa título, bem moderna, até com um certo peso, melodias e refrão marcantes; o mesmo vale para "Lies"(veja vídeo aqui), aliás, título sugestivo não? Anette disse que essa música fala sobre separação, citando o divórcio (que ocorreu quando entrou no NIGHTWISH), ficando só e com uma filha pequena, e, claro, o "divórcio" com o NIGHTWISH, e "Falling", também, com melodias bem legais e refrãos idem, faixas com ótimo potencial e bela performance vocal.

Podemos destacar também as baladas "Floating" e "Moving Away", e a "power/piano/ballad", composta em conjunto com Martijn Spierenburg (WITHIN TEMPTATION) e Frederik Bergh (Bloodbound), "One Millon Faces", também com interpretações bem emocionais. Aliás, como falei no início, é um álbum bem emocional, com certas doses de melancolia, e a própria cantora admite isso, falando que o título foi escolhido justamente por essas características da sonoridade, mas também porque, nas palavras dela: "há muita esperança nele também, há a luz do sol através da chuva...".

"Shine" vinha sendo composto desde 2009, lançado agora pelo selo earMusic, e contando com a ajuda de compositores conhecidos na Suécia, como Anders Bagge (jurado do "Idols" suéco, além de ter trabalhado com artistas como Jennifer Lopez e Céline Dion!) e seu time de colaboradores, a dupla Stefan Örn e Johan Glössner, mostra que Anette possui sim condições de ter uma boa e sólida carreira solo, ter brilho próprio.

Set List:
Like A Show
Shine
Floating
Lies
Invincible
Hear Me
Falling
Moving Away
One Million Faces
Watching Me From Afar

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Shine - Anette Olzon

1866 acessosAnette Olzon: Um álbum seguro, mas despretensioso1739 acessosAnette Olzon: à vontade em seu próprio território


37 acessosEm 14/01/1966: Nasce Marco Hietala (Nightwish)50 acessosEm 30/11/2011: Nightwish lança o álbum Imaginaerum1186 acessosAnette: vocalista retorna com novo projeto, "The Dark Element"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nightwish"

NightwishNightwish
Tuomas até ouve outras pessoas, mas muitas vezes as erradas

Tarja TurunenTarja Turunen
Uma declaração de amor pelo Brasil

NightwishNightwish
Seria esse cara o maior fã de todos os tempos?

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Anette Olzon"0 acessosTodas as matérias sobre "Nightwish"0 acessosTodas as matérias sobre "Alyson Avenue"


David BowieDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada

Freddy FrenzzyFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

BeatlesBeatles
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

5000 acessosSounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy Metal5000 acessosRock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 19915000 acessosSlash: "Só dá para exceder até certo ponto"5000 acessosKreator: "Escrevi Tormentor com 14 anos!"5000 acessosDoom Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo5000 acessosAngra: poster antigo de um dos primeiros shows da banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 17 de setembro de 2014


Sobre Carlos Garcia

Antes de tudo sou um colecionador, que começou a cair de cabeça no Metal e Classic Rock quando o Kiss esteve no Brasil em 1983, a partir daí não parei mais. Criei fanzines, como o Zine Barulho, além de colaborar com outros zines e depois web zines e sites, como os saudosos Metal Attack e All the Bangers. Atualmente sou um dos editores e redator do Road to Metal. O melhor de tudo são as amizades que fazemos, além do contato e até amizade com alguns de nossos heróis.

Mais matérias de Carlos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online