Angra: que venham os próximos vinte anos

Resenha - Angels Cry 20th Anniversary Tour - Angra

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O primeiro ponto a ser destacado é, obviamente, a velocidade com que este DVD ficou pronto após o show. Um dia após a apresentação do ANGRA em Fortaleza, em 24 de agosto, a banda se apresentou no HSBC Brasil, em São Paulo, comemorando vinte anos do lançamento do clássico "Angels Cry". E em menos de três meses, o registro da apresentação na casa de shows paulista já estava em minhas mãos. Outros registros muito ansiosamente, como o do DREAM THEATER no Luna Park e o do VIPER, cujos shows foram realizados cerca de um ano antes ainda não deram as caras por aqui.

E o artefato em minhas mãos não se trata, como se poderia inferir do pouco tempo que levou a sua confecção, de um registro pobre ou simplório. Temos aqui um booklet luxuoso, com uma capa bonita, com nomes em alto relevo, incluindo não um, mas dois discos (o DVD do qual falamos e um CD com o áudio do show) e um folheto com boa quantidade de fotos. Além de tudo isso, cabe dizer que o precinho foi bem camarada.

Vou me abster de falar muito sobre o show em si, uma vez que por melhor que tenha sido o show no HSBC Brasil (no qual fomos representados pelo redator Durr Campos) qualquer tentativa que eu próprio fizer será rude e falha diante da emoção que tive no dia anterior à gravação dele, quando pude conferir a performance dos cinco ANGRAs de cima do palco da Barraca Biruta, em minha cidade, Fortaleza.

Você pode ler as resenhas de ambos os shows nos links abaixo:
5000 acessosAngra e Soulfly: não sobrou areia sobre areia em Fortaleza
5000 acessosAngra: gravação de DVD/Blu-Ray em SP emociona fãs

Ainda assim, num rapidíssimo resumo podemos contar, entre outras coisas, que as participações especiais tornam a peça ainda mais interessante de ser assistida. O carismático Uli Jon Roth abrilhanta qualquer coisa em que participe. Amilcar Cristófaro, do TORTURE SQUAD, representa tantas outras bandas irmãs do ANGRA, como SEPULTURA, KRISIUN, KORZUS e até mesmo o VIPER. E a despeito de qualquer preconceito idiota, a Família Lima mostra-se uma escolha e tanto, principalmente pela atitude de músico de metal que exibe Moisés Lima. TARJA Turunen, apesar de sua voz falhar por meio segundo (ou menos) no início de "Wuthering Heights" , talvez fosse a única a cantar a canção tema do "Morro dos Ventos Uivantes" como ANDRE MATOS já cantou. E sua participação em "Stand Away", quando Lione opta por um tom mais grave, proporciona uma oportunidade para que todos vejam (se há alguém que ainda não viu) a versatilidade do italiano, que fica mais evidente. E em algumas outras canções, Lione não se arrisca nos tons alcançados por ANDRE MATOS, imprimindo sua própria voz nas composições do ANGRA e alcançando um bom resultado quase sempre ("Carry On" tem uns "find" no mínimo estranhos). Kiko Loureiro, Rafael Bittencourt e Felipe Andreoli, como esperado, dominam seus instrumentos fazendo parecer fácil as acrobacias que fazem. Bittencourt, nas faixas que assume o microfone, também faz bonito. Confessori, a despeito de alguns comentários ouvidos aqui e ali, dá conta do recado. Os momentos acústicos, com apenas Loureiro e Bittencourt, também fazem da obra algo especial, irrepreensível e dispensável. Por último, as imagens nos telões também merecem nota, embora, claro, empolgassem muito mais a quem estava naquela casa de shows naquela noite do que quem as vê de casa. No entanto, mesmo com tanta super-produção, é a força de canções como "Rebirth" que o ANGRA, banda fenix que renasce das cinzas de cada crise, cria momentos incríveis e cheios de emoção.

Outro ponto a salientar é que o DVD traz legendas nos diálogos, algo que para o grande público (não só o brasileiro, uma vez que o ANGRA é conhecido e admirado mundialmente) é absolutamente necessário para entender o que os músicos falam com a plateia que participa da gravação e até mesmo com a que vai assistir em casa, algo que outros lançamentos, bem mais caros, tem teimado em falhar. Nem estou falando de legendas para as músicas, o que é sempre um plus, mas é reconhecidamente caro e desnecessário (para isso temos os encartes dos CDs originais e zilhões de serviços na web). Neste DVD há legendas tanto traduzindo as falas do italiano Lione quanto traduzindo para o público gringo falas como as de Bittencourt antes de "The Voice Commanding You" (cantada por ele). Esta é uma prova suficiente de que tantos outros DVDs que temos visto ultimamente no mercado brasileiro carecem de legendas não por falta de recursos ou de tempo, mas de vontade. Thumbs up, thumbs really up, para o ANGRA nesse quesito.

Quanto ao repertório, a escolha de passar por todas as fases da banda, ao invés de tocar o "Angels Cry" na íntegra se mostra eficiente, mas, se pudéssemos ter as duas coisas ainda não nasceu quem poderia reclamar. Além disso, o gostinho de ver "Sails of Charon", dos SCORPIONS, ficou só pra quem esteve lá no HSBC mesmo, uma vez que a faixa não foi nem pro CD nem pro DVD.

Apesar de toda a qualidade que elogiamos até aqui, nem tudo é perfeito. E não podemos sacrificar a credibilidade de nosso texto sem mencionar algumas falhas que conseguimos notar (ou melhor, questionamentos que acabaram por surgir). Em primeiro lugar, não conseguimos descobrir no material em mãos quem é o tecladista que toca algumas músicas do show. Na verdade, sequer conseguimos ver se há um tecladista em momentos importantes como "Nothing to Say" e, principalmente, "Lisbon", cujo riff de teclado é parte essencial da melodia. A ausência de um tecladista e o uso de sons pré-gravados é perfeitamente compreensível em turnês, mas, em um show com tantos convidados é bem estranho. Um tecladista não creditado é ainda mais estranho (para minha surpresa, aparece alguém tocando o instrumento num momento mais adiante). Outro ponto difícil de entender é a inclusão de "Coroa Imperial/Caça e Caçador" como extra do DVD, uma vez que a(s) canção(ões) além de belas foram muito bem executadas, podendo, sem dúvida alguma, estar no set principal. Ficaria cansativo? Nada disso. Se o show foi revigorante para quem passou cerca de quatro horas (ou talvez mais) em pé no HSBC, nós (eu e você que me lê), no conforto dos nossos sofás, não teríamos do que reclamar. Por último, as track lists do CD e do DVD são ligeiramente diferentes. Apenas a do DVD está impressa.

Detalhes a parte, o veredito é que este DVD é sim algo que você vai se alegrar em ter em sua coleção. E quanto à banda? Que venham os próximos vinte anos.

DVD:
1. Angels Cry
2. Nothing to Say
3. Waiting Silence
4. Lisbon
5. Time
6. Millennium Sun
7. Winds of Destination
8. Gentle Change
9. The Voice Commanding You
10. Late Redemption
11. Reaching Horizons
12. A Monster in Her Eyes
13. No Pain for the Dead
14. Stand Away
15. Wuthering Heights
16. Evil Warning
17. Unfinished Allegro / Carry On
18. Rebirth
19. In Excelsis / Nova Era

20. Gate XIII

Bonus:
. Coroa Imperial / Caça e Caçador
. Making Of (bem que podia ter imagens de Fortaleza, né? Não vou mentir)

CD:
1. Angels Cry
2. Nothing to Say
3. Waiting Silence
4. Lisbon
5. Time
6. Gentle Change
7. Late Redemption
8. Silence and Distance
9. Reaching Horizons
10. Stand Away
11. Wuthering Heights
12. Unfinished Allegro / Carry On
13. Rebirth
14. In Excelsis
15. Nova Era

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Angels Cry 20th Anniversary Tour - Angra

3044 acessosAngra: Ganhando vida nova com "Angels Cry 20th Anniversary Tour"5000 acessosAngra: Um novo "rebirth" para a banda5000 acessosAngra: celebrando uma carreira de sucesso

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Edu FalaschiEdu Falaschi
Vamos surpreender na segunda parte da turnê Return of Shadows

2780 acessosAngra: "Uma rapazeada bonita, mas nenhum foi bonzinho"197 acessosAltair: comédia diabólica de Progressive/Power Metal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

TraduçãoTradução
O clássico Rebirth, do Angra

AngraAngra
"Como fãs do Pantera, a decepção é ainda maior"

AngraAngra
"Angels Cry" pela câmera de Kiko no Rock in Rio

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"

Mais Alto!Mais Alto!
A diferença entre headbangers e humanos comuns

Blasfêmias?Blasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Jared LetoJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa

5000 acessosGuns N' Roses: os 10 melhores não-clássicos da banda5000 acessosRodolfo: "O rock brasileiro entrou numa crise desde o começo dos anos 2000"5000 acessosVitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do Backstage5000 acessosMetallica: Lars Ulrich quase saiu no tapa com Lou Reed5000 acessosMichael Kiske: "O Iron Maiden vende a morte às pessoas!"5000 acessosTony Iommi: mostrando para amadores como tocar "Into The Void"

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online