Tarja: Seu melhor trabalho desde a saída do Nightwish

Resenha - Colours In The Dark - Tarja

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Que a finandesa Tarja Turunen é a vocalista mais idolatrada e conceituada do metal contemporâneo não se discute. E desde sua saída do NIGHTWISH, Tarja vem buscando uma identidade musical em sua carreira solo, e finalmente conseguiu lançar um registro digno de seu talento, mostrando muita maturidade e uma extrema evolução em relação a seus 3 discos anteriores.
1606 acessosTarja Turunen: trazendo novamente ao Brasil uma boa turnê solo5000 acessosPorn Metal: Filmes para inspirar os headbangers solitários

E isso porque “Colours in the Dark” mostra uma intensidade que não se encontra nos discos anteriores da vocalista, o que é ressaltado ainda mais pela participação de diversos músicos no álbum (as únicas constantes em todas as faixas são Tarja e o baterista Mike Terrana). Outro ponto chave do álbum é a variedade encontrada em todas as suas 10 faixas, com arranjos riquíssimos e um clima épico dos mais cativantes.

“Victim of Ritual” e “Lucid Dreamer”, por exemplo, mostram bem as características do material, alternando peso e melodia com maestria, além de trazerem aquele clima bombástico que marcaram a vocalista, inclusive em seu tempo de sua consagração à frente do NIGHTWISH.

Já as pesadas e modernas “Never Enough” e “Neverlight” são outros dos pontos centrais do trabalho, com guitarras de baixa afinação variando com momentos mais ambientais com muita naturalidade.

Os pontos negativos ficam para as experimentais e climáticas “Mystic Voyage” e “Until Silence”, que fogem do padrão geral de qualidade do material.

Outro destaque fica para o melancólico e agressivo cover para “Darkness”, de Peter Gabriel, que ganhou uma versão das mais interessantes.

Merece menção também a ótima arte gráfica do material, que traz fotos da bela vocalista com pinturas das mais diversas cores, e representa bem a temática abordada pelo musicalmente.

Trata-se, pois, do disco mais maduro e consistente da carreira solo de Tarja, que sem deixar de lado o peso do heavy metal que sempre marcou sua carreira, procurou fugir do lugar comum, atingindo um excelente resultado. Altamente indicado.

Colours in the Dark - Tarja
(2013 – Hellion Records - Nacional)

1. Victim of Ritual
2. 500 Letters
3. Lucid Dreamer
4. Never Enough
5. Mystique Voyage
6. Darkness (Peter Gabriel cover)
7. Deliverance
8. Neverlight
9. Until Silence
10. Medusa

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Colours In The Dark - Tarja

5000 acessosTarja Turunen: Fazendo por merecer o reconhecimento que já tem

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Tarja TurunenTarja Turunen
Trazendo novamente ao Brasil uma boa turnê solo

1314 acessosTarja Turunen: Como foi a apresentação da cantora em São Paulo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nightwish"

NightwishNightwish
Em que trabalhavam os membros antes da fama?

EstiloEstilo
A semelhança entre Holopainen e Roberto Justus

Symphonic MetalSymphonic Metal
As dez cantoras mais influentes e impressionantes

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Tarja Turunen"0 acessosTodas as matérias sobre "Nightwish"

Porn MetalPorn Metal
Filmes para inspirar os headbangers solitários

Classic RockClassic Rock
As 25 músicas mais tristes da história

Iron MaidenIron Maiden
Versões mais pesadas para clássicos do Rock

5000 acessosMetallica: noiva toca "Master..." na bateria no casamento5000 acessosMegadeth: Electra mostra para Kiko como está fera no Português5000 acessosEm 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio4383 acessos2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados4890 acessosRob Halford: "Eu não morro sem trabalhar com Lady Gaga antes"1533 acessosMetal Temple: Rob Halford eleito vocalista dos sonhos

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online