Carcass: Ressurgindo das profundezas com mais um clássico

Resenha - Surgical Steel - Carcass

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Ah o CARCASS... aquela banda que, em meados dos anos 80, início dos anos 90, revolucionou um dos estilos mais brutais do metal extremo, utilizando-se de imagens e letras doentias, além de muita agressividade em suas composições, criando o "grindcore/splatter" e, logo depois, sem abrir mão do peso, começou a incluir doses cavalares de ótimas melodias em seu som, criando novamente outro estilo, o chamado "death metal melódico"? Pois bem, finalmente, 17 ano de espera, finalmente temos em mãos um novo disco do CARCASS.

Carcass: Perversidade e um tipo de beleza desfiguradaJourney: o famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Bom, não vou dizer que a espera valeu a pena, pois quem acompanha a cena sabe o quanto o CARCASS fez falta, mas não há como negar que os caras estão ainda estão em plena forma, e conseguiram passar toda a maturidade adquirida ao longo dos anos para as novas composições, e certamente estamos diante de um dos melhores discos da carreira da banda (se é o melhor, apenas o tempo dirá).

Deixando de lado todas as desconfianças que surgiram ao longo do caminho, em especial pelo tempo que os caras passaram sem compor, e pela ausência de Michael Amott, que muitos consideram o responsável pela evolução sonora da banda, a dupla Jeff Walker e Bill Steer conseguiu criar uma sonoridade moderna, mas sem deixar de lado as origens da bandas, e junto com Daniel Wilding lançaram o melhor disco de metal extremo em anos.

Apesar de Jeff continuar cantando muito (nem parece que ficou tanto tempo sem cantar em estúdio com a banda), e tocando baixo com muita maestria, e de Daniel ser um ótimo baterista, o grande destaque aqui fica para a performance de Bill Steer. O cara realmente estava inspirado durante as gravações, com riffs memoráveis, e solos brilhantemente bem encaixados, além de conseguir agregar com maestria ótimas melodias em momentos de pura brutalidade.

Em termos musicais, não esperem uma volta brusca às origens mais cruas e diretas da banda, pois o som aqui continua técnico, podendo ser encarado como uma mescla entre o que a banda fez nos discos "Necroticism: Descanting The Insalubrious" e "Heartworks". Porém, "Surgical Steel" é ainda muito mais intricado que o primeiro, e menos melódico que o segundo, possuindo, pois, suas próprias características específicas.

Assim, fica impossível indicar destaques, pois todas as faixas, inclusive as da versão japonesa e europeia tidas como bônus, são excelentes, e por mais que você escute repetidas vezes, é praticamente impossível encontrar defeitos. Portanto, em nenhum momento da audição a banda deixa a energia transmitida se dissipar, fazendo com que o ouvinte queira pular uma ou outra faixa: quanto mais você ouve o material, mais você quer ouvi-lo, do começo ao fim.

Outro fator que contribui e muito para a excelência do disco, é a mixagem de Andy Sneap, que sabe como poucos captar a brutalidade de uma banda e deixá-la suja, porém moderna e precisa.

Brutal, insano, maléfico e, ao mesmo tempo, brilhante, este é "Surgical Steel", um dos grandes álbuns de metal extremo lançado nesta década (quiçá o melhor), e que prova mais uma vez o poderio de fogo do CARCASS. Sem dúvida um disco que irá ficar marcado na memória de todos os apreciadores da música extrema de qualidade...

Surgical Steel - Carcass
(Importado - Nuclear Blast - 2013)

Formação:
Jeff Walker - Vocals, Bass
Bill Steer - Guitars, Vocals
Daniel Wilding - Drums

Track List:

1. 1985 (Instrumental)
2. Thrasher s Abbatoir
3. Cadaver Pouch Conveyor System
4. A Congealed Clot of Blood
5. The Master Butcher s Apron
6. Noncompliance to ASTM F 899-12 Standard
7. The Granulating Dark Satanic Mills
8. Unfit for Human Consumption
9. 316 L Grade Surgical Steel
10. Captive Bolt Pistol
11. Mount of Execution

Bonus Tracks:
12. Intensive Battery Brooding


Outras resenhas de Surgical Steel - Carcass

nullnullnullnull



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Carcass"


Carcass: Perversidade e um tipo de beleza desfiguradaCanal Barbônico: a história dos quatro garotos de Liverpool

Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Gigwise
As capas mais polêmicas dos anos 2000

Babymetal: O kawaii metal que conquistou o planetaBabymetal
O "kawaii metal" que conquistou o planeta

Carcass: todo baixista é apenas um guitarrista fracassadoCarcass
Todo baixista é apenas um guitarrista fracassado


Journey: o famoso erro geográfico em Don't Stop Believin'Journey
O famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Luís Mariutti para Nando Moura: Estádio não se lota com views ou likesLuís Mariutti para Nando Moura
"Estádio não se lota com views ou likes"

Buckethead: uma rara imagem do guitarrista sem a máscaraBuckethead
Uma rara imagem do guitarrista sem a máscara

Black Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de IommiHeavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que éDio: de onde ele tirou os tais "chifres" do Heavy Metal?AC/DC: segurança mostra o espírito de um verdadeiro fã

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.