Instincted: "Ousado" é a primeira palavra quando ouvimos

Resenha - Is All That I Am - Instincted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade


Ousado. Essa é a primeira palavra que vem a cabeça quando ouvimos "…Is All That I Am", o primeiro álbum da banda paulistana Instincted. Afinal, o que ouvimos neste trabalho vai soar como uma verdadeira afronta aos mais conservadores e pode assustar até as mentes mais abertas de início.

Portanto, vamos ser coerentes, a música dos caras é bem feita e muito bem executada. Mesclando eletrônico e Prog Metal, o som da banda soa atípico e foge dos padrões 'Rammstein' da vida, já que o que logo se imagina quando lemos 'eletrônico' é que eles sigam a onda da banda alemã.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não há como não dizer que essa mescla ficou bem equilibrada, já que a música possui peso e ao mesmo tempo sintetizadores e samplers encaixados na medida certa, para não dizer no limite. Outro fator importante é a boa melodia que as composições possuem. Tudo bem produzido, com uma sonoridade cristalina.

O início com ImPULSEing assusta, já que a bateria eletrônica inicial, praticamente psy, quase coloca tudo a perder. Mas depois a coisa meio que entra nos eixos e mostra um som enérgico e interessante. Meu destaque vai para os vocais melódicos de Rogério Fergam (também responsável pelos samplers e sintetizadores). Quem quiser conferir pode baixar gratuitamente no site da banda.

http://www.instincted.com/

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

WhiFin Cli336