Napalm Death: mais um clássico dessa banda britânica

Resenha - Harmony Corruption - Napalm Death

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo M. Brauna
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Depois de dois lançamentos oficiais, "Scum" (1987) e "From Enslavement to Obliteration" (1988), o NAPALM DEATH resolveu inovar em 100% a sua sonoridade e cair de cabeça no 'Death Metal'. Foi lançado então pela 'Earache Records' no 'Morrisound Studios', Flórida (EUA) sob a supervisão do "mago" SCOTT BURNS a "pedrada" "Harmony Corruption" (1990). A entrada dos então novos membros MARK "BARNEY" GREENWAY (ex – BENEDICTION), MITCH HARRIS (ex – DEFECATION) e JESSE PINTADO (ex – TERRORISER) unindo-se aos veteranos SHANE EMBURY e MICK HARRIS fizeram desse 'play' mais um clássico dessa banda britânica!
1103 acessosNapalm Death: vocal ensina gutural a político e bomba no streaming5000 acessosFãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada um

O "novo" vocalista, BARNEY que havia lançado o primeiro álbum do BENEDICTION ("Subsconcious Terror") em janeiro do mesmo ano (lembrando que "Harmony Corrupition" é de agosto) traz para o NAPALM DEATH um estilo vocal igualmente gutural, porém mais acelerado que o usado em sua última banda, talvez para acompanhar os rifs ainda 'Grindcore' que revelou o grupo. É só observar a faixa de abertura "Vision Conquest".

E por falar em riff, o "novo" guitarrista, saudoso JESSE PINTADO começa "If Truth Be Known" com uma "rasgada" de guitarra que faz elevar o fluxo sanguíneo à extremidade do seu corpo. MICK HARRIS acompanha as notas executando uma bela cadência em seu kit, porém tudo se torna mais empolgante no decorrer da faixa.

"Inner Incineration" também começa com um ritmo cadenciado, o que ajuda o vocalista transmitir os seus urros com mais potência. SHANE EMBURY se destaca pela performance agressiva no baixo.

Em "Malicious Intent" o baixista também mostra outro talento, dessa vez como compositor. Na "canção" notamos o primeiro solo de guitarra e é uma das que mais representa a nova fase da banda.

A quinta nos lembra outro ícone do 'Death Metal', MASSACRE, com seu riff pesado e vocais ultra guturais. "Unfit Earth" também traz dois convidados ilustres fazendo 'backing vocais', GLEN BENTON (DEICIDE) e JOHN TARDY (OBITUARY).

"Circle of Hypocrisy" tem um destaque maior para a bateria que complementa com perfeição o riff empregando um estilo cadenciado que se estende até a metade da faixa. Na segunda metade a riferama toma mais velocidade abrindo espaço para mais um solo de guitarra.

A entrada da sétima faixa, "The Chains that Bind Us" vem bem dentro da veia 'Death/Grind', isso porque definitivamente BARNEY não consegue elevar os seus vocais para um perfeito 'Grindcore', sonoridade que caía como uma luva nos vocais do antigo vocalista LEE DORIAN, mas a faixa é bem executada e contribui muito para esse clássico.

"Mind Snare" mostra o grande entrosamento de guitarras 'arquitetado' por uma que foi das melhores duplas do 'Metal Extremo'.

"Extremity Retained" e "Suffer the Children" seguem os passos da maioria das outras faixas, a essa altura o álbum não causa mais surpresa, pois a "uniformidade" das composições já tem revelado o grande talento da banda na sua nova direção sonora.

O CD vem com um bônus e pra mim particularmente é a melhor faixa do disco, "Hiding Behind" tem um riff "tenebroso" e todos os membros se superam musicalmente, principalmente o batera que foi o principal atingido dessa mudança do NAPALM DEATH.

O "Harmony Corruption" ainda teve alguns acréscimos em relançamentos posteriores, primeiro foi à adição do EP "From the Mentally Murdered" (1989) e depois "Live I.C.A. London June 29 1990".
Também esse foi o trabalho de despedida de MICK HARRIS que se despediu por não concordar com o novo caminho que a banda estava tomando. (despedida brilhante, diga-se).

Line Up:
MARK "BARNEY" GREENWAY – vocal;
MITCH HARRIS – guitarra;
JESSE PINTADO – guitarra;
SHANE EMBURY – baixo;
MICK HARRIS – bateria.

Track List:
1."Vision Conquest" 2:42
2."If Truth Be Known" 4:12
3."Inner Incineration" 2:57
4."Malicious Intent" 3:26
5."Unfit Earth" 5:03
6."Circle of Hypocrisy" 3:15
7."The Chains that Bind Us" 4:08
8."Mind Snare" 3:42
9."Extremity Retained" 2:01
10."Suffer the Children" 4:21
11."Hiding Behind" (bônus)5:15
Duração total: 41:02

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Harmony Corruption - Napalm Death

911 acessosNapalm Death: 25 anos do mortífero terceiro álbum da banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

OpethOpeth
"You Suffer", do Napalm Death, é tocada duas vezes em show

1103 acessosNapalm Death: vocal ensina gutural a político e bomba no streaming587 acessosNapalm Death: vocalista ensina político a fazer gutural490 acessosNapalm Death, Brujeria: travando pescoços no sul da Alemanha77 acessosEm 31/05/1994: Napalm Death lança Fear, Emptiness, Despair0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Napalm Death"

Heavy MetalHeavy Metal
Os melhores álbuns de 2009 segundo o About.com

LoudwireLoudwire
Ouça as melhores músicas de metal de 2012

CarnificinaCarnificina
Revista elege as letras mais repulsivas do Heavy Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Napalm Death"

Fãs de RockFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Ouça o alcance de quatro oitavas do vocalista

Heavy MetalHeavy Metal
As piores capas dos grandes artistas do gênero

5000 acessosRita Lee: Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice Cooper5000 acessosMetal: por que os metalheads vivem presos no passado?5000 acessosMetal Up Your Ass: Os primórdios do Metallica5000 acessosMegadeth: Kiko Loureiro explica como as coisas funcionam na banda5000 acessosMad Max: inspiração em Sepultura, semelhança com Devin Townshend5000 acessosBlack Sabbath: Bill Ward não se conforma com o bumbo de Iron Man

Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde adolescente vive a cultura do Rock/Metal. Além do Whiplash, o redator escreve para a revista Roadie Crew e é assessor de imprensa da Roadie Metal. A sua dedicação se define na busca constante por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online