Aerosmith: toques novos em uma estrutura velha

Resenha - Music from Another Dimension! - Aerosmith

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfornia de Ideias
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Não dá para falar de Music from Another Dimension!, décimo quinto álbum de estúdio do quinteto estadunidense Aerosmith, sem falar do contexto. Afinal, oito anos separam este e o último álbum de estúdio, Honkin' on Bobo. Se levarmos em consideração apenas álbuns de inéditas, a distância cronológica aumenta para onze anos. Este período foi marcado por vários conflitos internos, a maioria centrada no vocalista Steven Tyler, que chegou a quase sair do grupo (a ponto dos colegas de banda começarem a procurar um substituto). Sem falar nos inúmeros atrasos que o álbum sofreu, a despeito de notícias de que a banda estaria trabalhando duro nele. Com tudo isso em mente, não é exagero dizer que Music from Another Dimension! é uma espécie de Chinese Democracy da Costa Leste estadunidense.

Sons Of Apollo: banda toca "Dream On" , do Aerosmith, com orquestra; assistaKing Diamond: O que significa ser Satanista?

Mas voltemos a falar do disco no seu aspecto musical. Conforme prometido pela banda e pela crítica que já teve acesso às faixas, Music from Another Dimension! é um álbum "de volta às raízes", mas sem perder a pegada moderna que a banda vem mostrando há alguns anos. A energia do disco é surpreendente para um grupo de sessentões, deixando muitas bandas jovens com um ar meio cansado.

Quem ajuda o quinteto a produzir tal som é o time de músicos convidados, que inclui o tecladista RUSS IRWIN (que já trabalha com a banda há mais de uma década), o vocalista JULIAN LENNON (filho do falecido ex-beatle JOHN LENNON) e até o ator JOHNNY DEPP, que faz vocais de apoio na faixa "Freedom Fighter".

O resultado de tantos anos de trabalho, atrasos, crises, shows, turnês, convidados e tudo o que ainda for necessário na receita de um álbum de uma grande banda é uma obra cujo título nada tem a ver com seu conteúdo: A música não é nada de outra dimensão. Na verdade, tudo não passa de um bom e velho hard rock com temperos modernos. Em outras palavras, este é um álbum para agradar tanto os fãs da fase antiga quanto os admiradores do AEROSMITH moderno.

O golaço que o AEROSMITH marcou com este álbum foi mostrar o quanto é possível variar sem sair do gênero do hard rock. Há espaço para as baladas ("What Could Have Been Love", uma das que foram liberadas previamente; e "Can't Stop Loving You", um dueto pegajoso com a cantora CARRIE UNDERWOOD), as "moderninhas" (que incluem a abertura "LUV XXX" e o single "Legendary Child", que é uma regravação de uma canção tocada em 1991 para o Get a Grip, mas que no fim acabou não sendo utilizada, e que ganha aqui um vídeo bastante produzido) e as saudosistas ("Out Go the Lights", "Street Jesus" e "Something", uma das melhores, que traz o guitarrista Joe Perry nos vocais e o vocalista Steven Tyler na bateria).

Vale lembrar que o som do álbum não foi nem será surpresa para nenhum fã: Quem ficou ligado nas notícias do álbum acompanhou o lançamento de quase um terço de suas músicas em doses homeopáticas. Algumas saíram oficialmente, outras não-oficialmente (leia-se "vazadas"). Serviu ao menos para garantir que a banda estava realmente trabalhando em estúdio, e que o trabalho não seria novamente adiado.

Com Music from Another Dimension, o Aerosmith venceu três desafios que costumam surgir no caminho de bandas no nível deles: Mostrar que ainda tem muito o que tocar; trazer toques novos para uma velha estrutura e lançar um trabalho que provavelmente agradará à maioria de seus milhões de fãs. Sempre terá um admirador mais radical para criticar e desdenhar, mas é certo que no mínimo uma parcela bastante significativa tirará o chapéu para a obra.

Abaixo, o vídeo do single "Legendary Child":

Track-list:
1 - LUV XXX
2 - Oh Yeah
3 - Beautiful
4 - Tell Me
5 - Out Go the Lights
6- Legendary Child
7 - What Could Have Been Love
8 - Street Jesus
9 - Can't Stop Loving You
10 - Love Her A Lot
11 - We All Fall Down
12 - Shakey Ground
13 - Closer
14 - Something
15 - Another Last Goodbye


Outras resenhas de Music from Another Dimension! - Aerosmith

Aerosmith: Algumas boas músicas, porém, não foi desta vezAerosmith: novo álbum, velha receita!Aerosmith: o retorno de outra dimensão.Aerosmith: uma bolacha que dá para chamar de medianaAerosmith: novo álbum traz mais de um terço de baladas




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aerosmith"


Sons Of Apollo: banda toca "Dream On" , do Aerosmith, com orquestra; assista

Oooops: Steven Tyler cai no palco durante show; assistaOooops
Steven Tyler cai no palco durante show; assista

Os anos do Heavy Metal: A decadência e a renovação do estiloAerosmith: o "bis secreto" dos shows da banda, segundo Steven Tyler

Restart: Influência de Aerosmith, Guns e Foo Fighters! Hem?Restart
Influência de Aerosmith, Guns e Foo Fighters! Hem?

Aerosmith: um novo patamar em erros na impressão de CDs piratasAerosmith
Um novo patamar em erros na impressão de CDs piratas

Aerosmith: Vidro de câmera quebra com grito gravado de Steven TylerAerosmith
Vidro de câmera quebra com grito gravado de Steven Tyler


King Diamond: O que significa ser Satanista?King Diamond
O que significa ser Satanista?

Marilyn Manson: perdi tudo por causa de ColumbineMarilyn Manson
"perdi tudo por causa de Columbine"

Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21

Bullet For My Valentine: Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron MaidenKiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008Zoltan Chaney: o baterista mais insano que existe?Guitarras: as 10 melhores guitarristas de todos os tempos

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.