Lita Ford: Voltando ao Hard Rock que a consagrou

Resenha - Living Like A Runaway - Lita Ford

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Ainda que Lita Ford tenha liberado um dos piores álbuns de 2009, "Wicked Wonderland", a realidade é que não dá para culpá-la totalmente por tal abominação. Era óbvio que este trabalho sujo e modernóide teve muita influência e manipulação de seu marido Jim Gillete (Nitro), troglodita que participou de todo o processo de composição. Desde então, muita coisa mudou na vida particular desta veterana do Hard Rock, que passou por um desgastante divórcio e, pelo que consta, não consegue mais ver seus filhos.

Rachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do Chaves

É claro que todos estes acontecimentos serviram como inspiração para o desenvolvimento das canções de seu mais novo registro, "Living Like A Runaway" – a própria Lita deixa claro que o título deste oitavo álbum não possui relação com sua ex-banda, o The Runaways. De qualquer forma, tendo como companheiro o ótimo guitarrista Gary Hoey, é gratificante observarmos que esta veterana vocalista e guitarrista norte-americana conseguiu resgatar muito do bom e velho Hard Rock que a consagrou.

Considerando que as constrangedoras letras do disco anterior possuíam um nível tão baixo que inspirariam os funkeiros da Terra Brasilis, é ótimo ver que muitas das novas canções seguem por caminhos mais introspectivos. E isso se reflete também no andamento das músicas, há várias delas que exalam um sentimento mais melancólico em meio ao alto-astral de tantas outras.

O resultado, salvo raras exceções, proporciona riffs e solos que funcionam muito bem, refrãos de fácil assimilação, com tudo seguindo de forma diversificada. Os destaques recaem sobre as pesadonas "Branded" e "Devil In My Head", a despojada faixa-título e a inspirada balada "Mother". De real ponto negativo, somente a interferência de Nikk Sixx (Mötley Crüe) ao gerar "A Song To Slit Your Wrists By", cuja decepcionante linha alternativa consegue fugir da proposta Hard Rock que permeia o disco.

Ainda que não alcance o impacto dos melhores trabalhos da Lita Ford, é inegável que "Living Like A Runaway" minimiza muitos dos estragos causados pelo aborto que foi "Wicked Wonderland". A loirinha permanece em excelente forma para quem está com seus 53 anos, cuja atual fase novamente a aproximará do público que sempre apreciou suas antigas canções. Encerrando estas linhas, fica o aviso de que a versão digipak possui dois bônus muito bons, "Bad Neighborhood" e o cover para o clássico "The Bitch Is Back", do Elton John!

Contato:

http://www.litafordonline.com

http://www.myspace.com/litaford

Formação:
Lita Ford - voz, guitarra e teclados
Gary Hoey - guitarra, baixo e teclados
Matt Scurfield - bateria

Lita Ford - Living Like A Runaway
(2012 - SPV / Steamhammer – importado)

01. Branded
02. Hate
03. The Mask
04. Living Like A Runaway
05. Relentless
06. Mother
07. Devil In My Head
08. Asylum
09. Love 2 Hate U
10. A Song To Slit Your Wrists By
11. Bad Neighborhood (bonus)
12. The Bitch Is Back (bonus)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Runaways: Lita Ford saiu da banda por medo de assédio de companheirasRunaways
Lita Ford saiu da banda por medo de assédio de companheiras

Mulheres no Rock: resistência em um meio machistaMulheres no Rock
Resistência em um meio machista


Rachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeoRachel Sheherazade
Uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do ChavesSeparados no nascimento
Paul McCartney e Kiko do Chaves


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin