Grand Magus: Competente, coeso e divertido de se escutar

Resenha - Hunt - Grand Magus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


É impressionante como tantas bandas sem talento são aclamadas em nossas terras, enquanto outras excelentes passam praticamente despercebidas pela maioria do público headbanger brasileiro. Esse é o caso dos suecos do GRAND MAGUS, que chegam a seu sexto disco (nenhum lançado no mercado nacional até o momento), com uma carreira já consolidada na Europa, e que se mostra uma das grandes bandas da atualidade.

Formada em 1996, em Stocolmo, a banda conseguiu mesmo um maior reconhecimento quando o vocalista/guitarrista Janne "JB" Christoffersson deixou o SPIRITUAL BEGGARS para se dedicar exclusivamente ao GRAND MAGUS, tornando a banda mais estável e apta a trabalhar de forma mais intensa.

publicidade

Mas a banda, que começou praticando um stoner/doom metal bem pesado, arrastado e denso, foi evoluindo seus som para um metal mais tradicional e "puro", com algo de hard rock, como já ficou demonstrado em "Hammer of North", disco anterior da banda, e um dos melhores de sua discografia.

E essa tendência mais voltada ao hard/heavy se consolida ainda mais em "The Hunt", seu primeiro trabalho pela Nuclear Blast, embora ainda não tenham abandonado de vez suas raízes stoner. As músicas são simples, de fácil assimilação, mesclando peso e melodia na medida certa, sendo que quase todas possuem refrãos matadores, que grudam na cabeça do ouvinte logo na primeira audição.

publicidade

Certamente alguns fãs mais antigos do trio irão estranhar um pouco essa mudança da banda, mas seus elementos característicos ainda restam evidentes: riffs cortantes e pesados, cozinha simples mas marcante, e os excelentes vocais energéticos de JB, que são o grande destaque da banda.

Algumas faixas mais simples e com tendência hard, como "Starlight Slaughter" e "Sword of the Ocean" até lembram um pouco os trabalhos mais recentes do RUNNING WILD, enquanto outras, como "Valhalla Rising" e "Sons of the Last Breath" são mais épicas, no melhor estilo MANOWAR. Mas os grandes destaques do disco são mesmo "Storm King", e seus ótimos riffs; "Silver Moon", totalmente influenciada por SAXON; e a pesada faixa título.

publicidade

Como se percebe, o disco não é nada original, todas as músicas fazem lembrar outras bandas. Mas mesmo assim, o GRAND MAGUS apresenta um trabalho competente, coeso e muito divertido de se escutar, feito por músicos acima da média, e que merece uma boa conferida. Fica a dica.

The Hunt – Grand Magus
(2012 – Nuclear Blast - Importado)

1. Starlight Slaughter
2. Sword of the Ocean
3. Valhalla Rising
4. Storm King
5. Silver Moon
6. The Hunt
7. Son of the Last Breath Part I: Nattfödd Part II: Vedergällning
8. Iron Hand
9. Draksädd

publicidade

Bonus Tracks:
10. Silver Moon (Demo Version)
11. Storm King (Demo Version)
12. Sword of the Ocean (Demo Version)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ghost: uma foto assustadora dos bastidores do Rock In RioGhost
Uma foto assustadora dos bastidores do Rock In Rio

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraRoadrunner
Os dez melhores vídeo-clipes da gravadora


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin