Matérias Mais Lidas

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemCopa do Mundo do Rock: uma banda de cada país que vai disputar a Copa do Catar

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemRafael Bittencourt, do Angra, explica por quê está usando unhas postiças

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemRaimundos: Digão acusa Instagram de censura após poucas curtidas em post

imagemEsposa de Rafael Bittencourt revela o que mais a atraiu no começo do namoro

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que os headbangers idolatram 1986

imagemDave Mustaine quis tirar foto com moça que usava vestido do Megadeth, mas...


Stamp

Leprous: Se sobressaindo no ambiente hostil do Prog Metal

Resenha - Bilateral - Leprous

Por Junior Frascá
Em 02/05/12

Nota: 8

O metal progressivo é um campo musical muito abrangente, e cada vez mais vemos bandas se arriscando em seus meandros, muitas vezes sem lograrem êxito. Mas esse não é o caso dos noruegueses do LEPROUS, que chegam a este seu segundo disco, sucessor de "Tall Poppy Syndrome" (2009), e mostram mais uma vez que são uma das melhores bandas do estilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mesclando momentos mais viajados com outros bem pesados e voltados ao heavy metal, o LEPROUS conseguiu lançar um disco forte, repleto de canções bem estruturadas e com harmonias variadas, que não cansam o ouvinte, e trazendo influências que vão de DREAM THEATER e PROTEST THE HERO a PAIN OF SALVATION e YES, passando por FAITH NO MORE. Mas a banda, apesar das referências, possui características próprias bem marcantes, que tornam sua sonoridade bem interessante.

E a começar pela excelente arte gráfica do material, criada por Jeff Jordan (e que lembra muito as do CATHEDRAL), passando pela parte lírica e pelas músicas em si, o trabalho todo merece destaque, e deverá agradar aos fãs das mais variadas vertentes do metal, e que apreciam canções mais modernas, bem estruturadas e diversificadas, mas sem deixar de lado o peso e a agressividade.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Como dito, a banda apresenta em "Bilateral" 10 músicas bem legais, e que deverão levar os caras a degraus mais altos em sua carreira. A faixa título, que abre o disco, é uma das mais legais, e possui uma levada bem vibrante. Além desta, destacam-se ainda "Forced Entry", com mais de 10 minutos de duração, mas sem soar enjoativa, trazendo muito peso e passagens intrincadas, e um solo primoroso de guitarra; "Thorn", uma das mais "viajadas", com arranjos bem legais de trompete, e que conta com a participação de Ihsahn; "Waste of Air", com um começo que traz elementos de black metal, e que conta com riffs e vocais (inclusive guturais) excelentes; e "Painful Detour", com melodias melancólicas e agressivas, encerrando o trabalho com chave de ouro.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O LEPROUS é, pois, uma banda que tem um futuro muito promissor, e com BILATERAL consegue dar mais um grande passo rumo ao topo das grandes bandas do metal progressivo contemporâneo. Infelizmente ainda não há previsão para uma versão nacional do disco, mas vale a pena a aquisição. Altamente recomendado.

Bilaeral - Leprous
(2011 – Inside Out - Importado)

01. Bilateral (4:00)
02. Forced Entry (10:20)
03. Restless (3:30)
04. Thorn (5:47)
05. Mb. Indifferentia (6:33)
06. Waste Of Air (5:32)
07. Mediocrity Wins (6:07)
08. Cryptogenic Desires (2:45)
09. Acquired Taste (5:13)
10. Painful Detour (8:18)

Formação:
Einar Solberg - Vocals, Synth
Tor Oddmund Suhrke - Guitar
Øystein Landsverk - Guitar
Rein Blomquist - Bass
Tobias Ørnes Andersen - Drums

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Leprous: Suas 10 melhores músicas, pela Classic Rock History


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.