Vallenfyre: Expectativas por parte dos fãs do Paradise Lost

Resenha - A Fragile King - Vallenfyre

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Para quem não conhece, o VALLENFYRE é um supergrupo formado por Gregor Mackintosh (PARADISE LOST) nos vocais e guitarra, Hamish Glencross (MY DYING BRIDE) e Mully nas guitarras, Scoot (DOOM, EXTINCTION OF MANKIND) no baixo e Adrian Erlandsson (AT THE GATES, PARADISE LOST) na bateria, e que pratica um death metal tradicional repleto de influências de doom metal, e que acabou de lançar seu excelente debut, repleto de expectativas por parte dos fãs.

Paradise Lost: banda começará a gravar novo álbum neste mêsHumor: os dez maiores picaretas da música internacional

Essa temática carregada e depressiva do trabalho, bem como a formação da própria banda, tem a ver com os problemas particulares enfrentados por Gregor, referentes à luta de seu pai, John, contra um câncer, que o levou a óbito no final de 2009, e que inclusive fez Gregor abandonar a tour de divulgação do novo disco do PARADISE LOST. E como o próprio Gregor disse, diante de todos esses sentimentos negativos e sofrimentos que o tomavam, precisava canalizá-los para algo para não se auto-destruir, sendo que daí surgiu a idéia para o VALLENFYRE. Inclusive, o título do disco é uma referência a seu pai e ídolo.

Mas a primeira grande notícia é que os caras já informaram que, embora possuam suas bandas principais, o VALLENFYRE não será apenas um projeto, mas uma banda "normal", inclusive realizando shows ao longo de 2012.

E neste "A Fragile King" os músicos mostra um grande potencial, sem visar um extremismo exagerado ou grandes firulas técnicas, mas com canções cruas, pesadas, sujas e repletas de melodias carregadas e depressivas, como se fosse uma mistura de ENTOMBED e CANDLEMASS, lembrando um pouco algo de CELTIC FROST e TRIPTKON. As guitarras possuem um timbre propositalmente sujo (imundo, na verdade) e gélido, e são o grande destaque do trabalho, junto com os vocais cavernosos e surpreendentes de Gregor. E tudo aqui remete ao passado do estilo, num tom bastante nostálgico.

Faixas como "All Will Suffer" (carregada ao extremo), "Cathedrals of Dread" (uma das melhores do trabalho, e cujo clipe pode ser conferido abaixo) e "Seeds" (a mais arrastada do trabalho) mostram claramente a tendência mais melancólica do grupo, enquanto outras como "Ravenous Whore", "As the Worlds Collapses" e "Humanity Wept" revelam maior influência do famoso death metal sueco dos anos 90.

Ademais, tanto a capa como o estilo de gravação (que é excelente, mas cru de propósito) remetem ao início da cena do death metal nórdico.

Trata-se, pois, de um trabalho que embora não seja daqueles indispensáveis e nem mesmo inovador, é feito com grande competência e paixão, por músicos extremamente talentosos e já consagrados nomeio metálico, e merece ser conferido pelos amantes da música pesada.

Confiram o clipe da excelente "Cathedrals of Dread":

A Fragile King - Vallenfyre
(2011 -Century Media- Importado)

1. All Will Suffer 04:09
2. Desecration 04:56
3. Ravenous Whore 03:02
4. Cathedrals of Dread 03:52
5. As the World Collapses 03:13
6. A Thousand Martyrs 03:24
7. Seeds 04:45
8. Humanity Wept 02:18
9. My Black Siberia 03:49
10. The Divine Have Fled 03:41
11. The Grim Irony 04:39




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Vallenfyre"Todas as matérias sobre "Paradise Lost"


Paradise Lost: banda começará a gravar novo álbum neste mês

Paradise Lost: guitarrista confirma que a banda está trabalhando em novo discoParadise Lost
Guitarrista confirma que a banda está trabalhando em novo disco

Capas: mais feias e ridículas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
Mais feias e ridículas feitas por artistas dos quadrinhos

Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa


Humor: os dez maiores picaretas da música internacionalHumor
Os dez maiores picaretas da música internacional

A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones

Kid Vinil: Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!Kid Vinil
"Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!"

Sexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexualSexo e Rock and Roll
Músicas com conotação sexual

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1987Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1987

Metallica: Lars diz qual a música que define a banda ao vivoMetallica
Lars diz qual a música que define a banda ao vivo

Dio: detonando Blackmore ao falar do Rainbow em antigas entrevistasDio
Detonando Blackmore ao falar do Rainbow em antigas entrevistas


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336