Dark Angel: Não somente aconselhável, mas obrigatório

Resenha - Leave Scars - Dark Angel

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Essa série de relançamentos de grandes trabalhos que a Shinigami Records (http://www.shinigamirecords.com.br) tem feito está uma maravilha, ainda mais oferecendo músicas bônus no material. Nada como voltar no tempo e se espantar ao relembrar de como certos discos já soavam bem agressivos há mais de 20 anos.

Kiss: "Rock and roll é um trabalho para otários!"Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black Metal

O Slayer fez escola. Tá, isso não é novidade nenhuma, mas se você analisar os discos thrash da época do "Reign in Blood", perceberá que o estilo muito rápido de Tom Araya cantar está nesse "Leave Scars". Duvida? Então, dê uma sacada já na faixa de abertura - "The Death of Innocence" - a melhor e mais violenta do álbum, e veja se não concorda. Que porrada! Entretanto, ao longo do play, a coisa varia entre sons mais trabalhados, e em menor quantidade, os mais diretos. Realmente, as longas composições estão bastante profundas e densas, mas no geral, a qualidade de todas é inquestionável. Adorei os riffs de "No One Answers" - essa que é outra bala de canhão do CD - na parte dos solos. E a instrumental "Cauterization" é um show de técnica e maturidade. "Older Than Time Itself", que faz parte da leva das mais diretas, éumo coice de mula. Excepcional. E o outro destaque fica para a faixa-título, com solos maravilhosos.

As raízes do rock 'n' roll marcam presença na cover do Led Zeppelin "Immigrant Song", cujos famosos gritos no início da canção soaram meio hilários aqui, dando a impressão de que foram feitos com certo tom de deboche. Mas quem se importa? Ficaram muito legais!

O vocal seco e muito raivoso de Ron Rinehart dá um tom de violência e rebeldia a mais no álbum. Sem dúvida, uma contribuição de peso ao trabalho. Bem, e vale o registro da máquina que está na bateria: o lendário Gene Hoglan, um dos melhores do mundo. Com um time desses, a coisa só poderia resultar num material fodástico.

Outra constatação interessante: para um disco com mais de duas décadas de vida, a qualidade da gravação é espantosa, excelente se considerarmos o fato. Já nas quatro bônus ao vivo, o som é inferior, mas contraditoriamente, as músicas parecem mais extremas do que nas versões de estúdio. Como pode? E a simples, porém linda capa, por alguma razão me lembrou o filme "O Exorcista".

Para os amantes de thrash e para os mais novos, que escutam essas bandas mais modernas, sem conhecer um pouco do estilo clássico, isso é não somente aconselhável, mas obrigatório.

Dark Angel - Leave Scars
Shinigami Records (relançamento) - 1989 - Estados Unidos
http://www.myspace.com/darkfuckinangel

Tracklist
1. The Death of Innocence
2. Never to Rise Again
3. No One Answers
4. Cauterization
5. Immigrant Song (Led Zeppelin Cover)
6. Older Than Time Itself
7. Worms
8. The Promise of Agony
9. Leave Scars


Outras resenhas de Leave Scars - Dark Angel

Dark Angel: Leave Scars é clássico e obrigatório




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Angel"


Thrash: os dez álbuns essenciais do gêneroThrash
Os dez álbuns essenciais do gênero

Gene Hoglan: Ser fã do Rush influenciou sua carreiraGene Hoglan
Ser fã do Rush influenciou sua carreira

Metal Hammer: As 22 melhores músicas old-school do Thrash MetalMetal Hammer
As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal


Kiss: Rock and roll é um trabalho para otários!Kiss
"Rock and roll é um trabalho para otários!"

Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

Nikki Sixx: transei com a mulher do Bruce DickinsonNikki Sixx
"transei com a mulher do Bruce Dickinson"

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In RioComédia MTV: Capital inicial e outros em Para Nossa AlegriaMetallica: o que Kirk pensa quando dizem que eles não são mais pesados

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.