Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemTodos os discos do Nightwish, do pior para o melhor, em lista da Metal Hammer

imagemA definição de rock n roll segundo quem melhor entende do assunto: Mick Jagger

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagem"Eu não tinha ideia de quão grande o Maiden iria ficar", diz Bruce Dickinson

imagemAerosmith e Guns N' Roses: O acordo sobre drogas em 1988


Accept: evidente candidato a melhor álbum de 2010

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Por Ricardo Seelig
Em 04/12/10

publicidade

Nota: 9

Sob o comando de Wolf Hoffmann e Peter Baltes, o grupo soa renovado com a entrada do excelente vocalista Mark Tornillo, ex T.T. Quick. Dono de um timbre que varia entre o de Dirkschneider e o de Brian Johnson, do AC/DC, Tornillo faz qualquer fã do Accept esquecer de Udo logo que solta a sua voz na faixa de abertura de "Blood of the Nations", "Beat the Bastards".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As treze faixas do álbum são uma viagem repleta de recordações pela longa carreira da banda alemã. Há desde heavys empolgantes a baladas inspiradas, passando por canções épicas e outras onde o grupo aproxima-se agradavelmente do hard rock. Os riffs de guitarra da dupla Wolf Hoffmann e Herman Frank são um deleite para quem cresceu tendo o heavy metal como trilha de sua juventude, um bálsamo sonoro que funciona como um elixir revigorante.

Produzido por Andy Sneap, "Blood of the Nations" tem uma sonoridade cheia, agressiva, inspirada claramente na estética oitentista, mas indo além. Primeiro trabalho do grupo desde "Predator", de 1996, o disco ostenta tanta qualidade em suas faixas que já nasce com cara de clássico!

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

E o mais legal disso tudo é que o impacto do álbum não ficou restrito a meia dúzia de fãs saudosistas. Uma passada pelo seus números mostra o quanto o trabalho se saiu bem comercialmente: quarta posição na Alemanha, sétimo na Suécia e na Hungria, nono na Finlândia, décimo-segundo na parada européia da Billboard, e por aí vai!

Evidente candidato a melhor álbum de 2010, "Blood of the Nations" é o tipo de disco que toda e qualquer pessoa que curte som pesado tem que ter em sua coleção.

Um tapa na orelha, um soco no estômago, um chute no saco! Obrigatório e ponto final!

Faixas:
1 Beat the Bastards 5:23
2 Teutonic Terror 5:12
3 The Abyss 6:52
4 Blood of the Nations 5:36
5 Shades of Death 7:30
6 Locked and Loaded 4:27
7 Kill the Pain 5:46
8 Rollin' Thunder 4:53
9 Pandemic 5:35
10 New World Comin' 4:49
11 No Shelter 6:02
12 Bucketful of Hate 5:11

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Blood of the Nations - Accept

Resenha - Blood Of The Nations - Accept

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Quando UDO se arriscou no hard rock com "Faceless World" (vídeo).

Accept encerra um ciclo com "Too Mean to Die"

Accept: metal em alto nível com "The Rise of Chaos" (vídeo).

Udo estreiou "de verdade" em "Mean Machine"

Accept tentou repetir o sucesso com "Stalingrad" (vídeo).

Accept: tentando não se repetir em "Blind Rage" (vídeo)

UDO: o início da carreira solo do ex-vocalista do Accept com "Animal House" (vídeo)

Accept: Udo se despede da banda com o álbum "Predator" (vídeo).

Accept: falhando ao tentar ser a versão alemã do Def Leppard (vídeo)



Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.