Accept: evidente candidato a melhor álbum de 2010

Resenha - Blood of the Nations - Accept

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Sob o comando de Wolf Hoffmann e Peter Baltes, o grupo soa renovado com a entrada do excelente vocalista Mark Tornillo, ex T.T. Quick. Dono de um timbre que varia entre o de Dirkschneider e o de Brian Johnson, do AC/DC, Tornillo faz qualquer fã do Accept esquecer de Udo logo que solta a sua voz na faixa de abertura de "Blood of the Nations", "Beat the Bastards".

U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da banda

As treze faixas do álbum são uma viagem repleta de recordações pela longa carreira da banda alemã. Há desde heavys empolgantes a baladas inspiradas, passando por canções épicas e outras onde o grupo aproxima-se agradavelmente do hard rock. Os riffs de guitarra da dupla Wolf Hoffmann e Herman Frank são um deleite para quem cresceu tendo o heavy metal como trilha de sua juventude, um bálsamo sonoro que funciona como um elixir revigorante.

Produzido por Andy Sneap, "Blood of the Nations" tem uma sonoridade cheia, agressiva, inspirada claramente na estética oitentista, mas indo além. Primeiro trabalho do grupo desde "Predator", de 1996, o disco ostenta tanta qualidade em suas faixas que já nasce com cara de clássico!

E o mais legal disso tudo é que o impacto do álbum não ficou restrito a meia dúzia de fãs saudosistas. Uma passada pelo seus números mostra o quanto o trabalho se saiu bem comercialmente: quarta posição na Alemanha, sétimo na Suécia e na Hungria, nono na Finlândia, décimo-segundo na parada européia da Billboard, e por aí vai!

Evidente candidato a melhor álbum de 2010, "Blood of the Nations" é o tipo de disco que toda e qualquer pessoa que curte som pesado tem que ter em sua coleção.

Um tapa na orelha, um soco no estômago, um chute no saco! Obrigatório e ponto final!

Faixas:
1 Beat the Bastards 5:23
2 Teutonic Terror 5:12
3 The Abyss 6:52
4 Blood of the Nations 5:36
5 Shades of Death 7:30
6 Locked and Loaded 4:27
7 Kill the Pain 5:46
8 Rollin' Thunder 4:53
9 Pandemic 5:35
10 New World Comin' 4:49
11 No Shelter 6:02
12 Bucketful of Hate 5:11


Outras resenhas de Blood of the Nations - Accept

Accept: Heavy Metal familiar e com a mesma testosteronaAccept: O encontro com a fórmula perfeitaAccept: este é o melhor trabalho da bandaAccept: Coeso e repleto de músicas de impacto imediatoAccept: riffs marcantes, refrãos em coro, está tudo ali




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Accept"


U.D.O.: turnê pela América Latina em 2020

Accept: Udo Dirkschneider não tem mais contato com integrantes da bandaAccept
Udo Dirkschneider não tem mais contato com integrantes da banda

Billy Corgan: revelando seus álbuns favoritos de MetalBilly Corgan
Revelando seus álbuns favoritos de Metal

Loudwire: em vídeo, dez bandas clássicas que ainda detonam!Loudwire
Em vídeo, dez bandas clássicas que ainda detonam!


Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

Separados no nascimento: Synyster Gates e Luan SantanaSeparados no nascimento
Synyster Gates e Luan Santana

Haja pente: os músicos mais cabeludos e barbudos do RockHaja pente
Os músicos mais cabeludos e barbudos do Rock

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityBlack Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardVuvuzela Hero: muito mais fácil de jogar que Guitar HeroAvenged Sevenfold e Metallica: a semelhança entre "This Means War" e "Sad But True"

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.