Dream Evil: em um álbum, quarenta anos de história do Metal

Resenha - In the Night - Dream Evil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Sexto álbum da banda sueca Dream Evil, "In the Night" é um festival de clichês que reúne em pouco menos de 50 minutos os quarenta anos de história do heavy metal. Então o disco é ruim? Não, muito pelo contrário: justamente por isso o álbum é legal pra caramba!

Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da BarbieRockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos pais

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Formado pelo quinteto Nick Night (Niklas Isfeldt) nos vocais, Ritchie Rainbow (Fredrik Nordström) e Dannee Demon (Daniel Varghamne) nas guitarras, Pete Pain (Peter Stalfors) no baixo e Pat Power (Patrik Jerksten) na bateria - por trás dos pseudônimos temos instrumentistas respeitados e com história na música pesada -, o Dream Evil difere de outras bandas que exploram essa linha mais true metal justamente por não se levar a sério. Seu som é divertido e alto astral, diferente, por exemplo, do Manowar, que se perdeu em um mar de fundamentalismo metálico xiita.

O álbum abre com "Immortal", um metal tradicional com bom refrão. A faixa título tem um bom riff e ótimas passagens de guitarra. Na sequência temos "Bang Your Head", uma das melhores do disco, com um refrão feito sob medida para levantar o público.

A qualidade se mantém elevada com "See the Light", um hard rock pesadão e empolgante com excelentes linhas vocais - o mesmo ocorre em "Electric", outra com uma pegada mais hard. Já "Frostbite" é a mais pesada do disco, com boas melodias de guitarra e ótimos solos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É claro que o álbum teria que ter uma balada, e aqui ela se chama ... "The Ballad"! Um som simpático, piegas como não poderia deixar de ser, mas bem feito.

"In the Fires of the Sun" é um metal estradeiro, com um clima animado e um refrão muito legal, enquanto o início de "Mean Machine" chupa na cara dura a clássica "Restless and Wild", do Accept. "Kill, Burn, Be Evil" é uma paulada power metal, e "The Unchosen One" fecha o disco com um hard refrescante perfeito para ouvir sem destino.

Como já disse no início da resenha, todos na banda são excelentes músicos, mas o destaque individual vai para o vocalista Nick Night, dono de um timbre agudo que em vários momentos chega a lembrar Rob Halford.

"In the Night" é um CD divertido, empolgante em diversas passagens. Nada original, não vai mudar o mundo nem redefinir o heavy metal, mas garante uma trilha sonora pra lá de adequada para aquele papo com os amigos.

Faixas:
1 Immortal 4:38
2 In the Night 3:15
3 Bang Your Head 3:51
4 See the Light 3:39
5 Electric 3:50
6 Frostbite 3:30
7 On the Wind 3:45
8 The Ballad 4:51
9 In the Fires of the Sun 4:41
10 Mean Machine 4:05
11 Kill, Burn, Be Evil 2:51
12 The Unchosen One 3:35


Outras resenhas de In the Night - Dream Evil

Dream Evil: sofrendo com as mudanças de guitarristas?



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dream Evil"


Motivação: 10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estimaMotivação
10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estima


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Rockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos paisRockstars
Filhos de roqueiros seguindo os passos dos pais


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline