Rage: mantendo o seu elevado padrão de qualidade

Resenha - Strings To A Web - Rage

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar Correções  

8


O RAGE é daquelas bandas de Metal quase que inquestionáveis. Merecedores do rótulo de "power trio", o grupo vem há 25 anos agradando fãs com álbuns que são resultado da combinação de talento e competência de seus músicos. Em "Strings To A Web" não é diferente e o RAGE mantém seu elevado padrão de qualidade, novamente com um disco muito agradável.

São 20 álbuns de estúdio já lançados (contando-se o primeiro deles, "Prayers Of Steel", ainda sob o nome de Avenger, posteriormente alterado para RAGE) e em "Strings To A Web" novamente o trio se une à orquestra sinfônica "Lingua Mortis Orchestra", trazendo uma mistura de Metal melódico, tradicional e orquestrado.

publicidade

Já na abertura do álbum, com "The Edge Of Darkness" o que se percebe é um Metal que alia peso, melodia e ótimos riffs, bem daquele jeito que fez o RAGE ser tão respeitado mundialmente. Dessa mesma maneira a sequência se dá com a ótima "Hunter And Prey" e ainda "Into The Light" e "The Beggar’s Last Dime", mais melódicas, mas igualmente empolgantes.

publicidade

A partir daí tem-se a faixa orquestrada do álbum – "Empty Hollow" – dividida em cinco partes, duas delas instrumentais, seguindo-se ainda com mais 5 faixas de Metal tradicional, com destaque positivo para "Hellgirl" e "Purified".

Embora o RAGE faça um bom trabalho na faixa central orquestrada, ainda assim o melhor do disco fica mesmo por conta das demais faixas, nas quais o trio faz um "barulho" de ótima qualidade.

publicidade

Como adicional tem-se um DVD bônus com imagens gravadas em apresentações ao vivo da banda, na Alemanha (Wacken Open Air), República Tcheca e Bulgária. "Strings To A Web" já seria indicado se viesse apenas com o CD de áudio e a inclusão de um DVD trazendo a performance do RAGE ao vivo torna esse lançamento ainda mais atrativo e faz valer ainda mais a pena a sua aquisição.

publicidade

Nacional – Nuclear Blast/Laser Company Records

Mais informações: http://www.rage-on.de

Banda:
Peter "Peavy" Wagner – Vocal, Baixo
Victor Smolski – Guitarra, Teclado, Cello
André Hilgers – Bateria

CD:
01. The Edge Of Darkness
02. Hunter And Prey
03. Into The Light
04. The Beggar's Last Dime
05. Empty Hollow
06. Strings To A Web
07. Fatal Grace
08. Connected
09. Empty Hollow (reprise)
10. Saviour Of The Dead
11. Hellgirl
12. Purified
13. Through Ages
14. Tomorrow Never Comes

publicidade

DVD Bônus (Live at Wacken 2009):
01. Carved In Stone
02. Higher Than The Sky
03. Set This World On Fire [feat. Hansi Kürsch]
04. All I Want [feat. Hansi Kürsch]
05. Invisible Horizons [feat. Hansi Kürsch]
06. Lord Of The Flies [feat. Jen Majura]
07. From The Cradle To The Grave [feat. Jen Majura]
08. Prayers Of Steel [feat. Schmier]
09. Suicide [feat. Schmier]
10. Down [feat. Schmier]
11. Soundchaser
12. Set This World On Fire [Live at Masters of Rock 2009]
13. All I Want [Live at Masters of Rock 2009]
14. Carved In Stone [Live in Sofia 2009]
15. Never Give Up [Rage Race Special]

publicidade


Outras resenhas de Strings To A Web - Rage

Rage: épico, vigoroso e com boas doses de progressivo

Rage: quando o destaque são os bônus, algo está erradoRage
Quando o destaque são os bônus, algo está errado




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Hard Rock: As bandas do gênero que ficaram para trásHard Rock
As bandas do gênero que ficaram para trás

1988: 99 discos de rock e metal lançados há 30 anos1988
99 discos de rock e metal lançados há 30 anos


Power Metal: os dez álbuns essenciais do gêneroPower Metal
Os dez álbuns essenciais do gênero

Roadrunner: os melhores frontmen de todos os temposRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos


Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin