Killrape: elementos clichês dentro da música estrema

Resenha - Corrosive Birth - Killrape

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

6


Formado em 1993 no Rio de Janeiro, inicialmente sob a denominação Corrosive, os irmãos Rodson Lemos (voz e baixo) e Nilmon Filho (guitarra) veem, desde então, compondo com certa frequência, mas nunca tendo a oportunidade de gravar um disco. O tempo passou, a dupla mudou o nome da banda para Killrape e, contando com o baterista André Havok, estão, enfim, estreando com o independente "Corrosive Birth".

O Killrape apresenta uma mescla de Thrash e Death Metal que remete diretamente aos primórdios do estilo, e não se furta em inserir algumas discretas melodias em meio a todo o extremismo, que certamente é o foco de sua proposta. O maior atrativo por aqui são os ritmos e velocidades em constante mudança, o que confere à audição um dinamismo sempre bem-vindo. Mas, apesar dos esforços empregados, em várias ocasiões "Corrosive Birth" se revela emocionalmente atrofiado, principalmente ao fazer uso de alguns elementos tipicamente clichês dentro da música estrema.

publicidade

Além disso, talvez pelo fato de "Corrosive Birth" contar com canções que foram se acumulando desde a década de 1990, o repertório não possui uma real consistência em sua linearidade. Apesar desta falta de apelo, o disco tem seus momentos, como é o caso das muito agressivas "Born Once Again" e "Sacrifice Of Blood", ambas mostrando de forma eficaz a proposta da banda, e ainda "The Walk Of Lucifer", mais longa e mais cadenciada.

publicidade

Produzido pelos próprios músicos, o Killrape apresenta algumas composições bem estruturadas, mas nem sempre tão criativas, fazendo com que "Corrosive Birth" seja uma estreia apenas digna dentro do gênero, mas que não se destaca em meio a tantos outros nomes. Vamos ver como a nova química funciona no desenvolvimento das ideias para o futuro... Até lá, o leitor pode baixar o pacote com as canções e todo o projeto gráfico, com a sempre marcante arte de Gustavo Sazes, no link abaixo.

http://www.myspace.com/killrape

publicidade

Formação:
Rodson Lemos - voz e baixo
Nilmon Filho - guitarra
André Havok - bateria

Killrape - Corrosive Birth
(2010 / independente – nacional)

01. Born Once Again
02. Sacrifice Of Blood
03. Darkness
04. Death Of God
05. Mausoleum
06. The Disease
07. Corrosive Birth
08. Supreme Evil
09. Street Surgeon
10. The Walk Of Lucifer
11. Damned Church


Outras resenhas de Corrosive Birth - Killrape

Killrape: outro bom nome do Thrash Metal nacional



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lemmy: Radiohead e Coldplay são bandas sub-emoLemmy
"Radiohead e Coldplay são bandas sub-emo"

Total Guitar: os melhores e piores covers da históriaTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin