Onheil: rispidez do Black e beleza do Heavy Tradicional

Resenha - Razor - Onheil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Ainda que tenha alcançado certo reconhecimento nos porões da Holanda com algumas demos liberadas ao longo dos 10 anos de atividades, foi somente em 2009 que o Onheil conseguiu um selo, o Cyclone Empire, que lhe possibilitasse liberar oficialmente seu primeiro disco e atingir um maior público. E, chegando agora ao Whiplash!, realmente não há como deixar de constatar que "Razor" seja uma estréia de respeito!

De forma pura e simples, o Onheil consegue unir a velocidade e rispidez sinistra do Black Metal à beleza do Heavy Metal Tradicional. Mas a banda ainda possui um enorme talento para elaborar muitas, mas muitas linhas melódicas grudentas, que estão espalhadas por todos os lados, a ponto de a coisa até conseguir se aproximar do Death Melódico em várias ocasiões. E o melhor de tudo é que integração destes estilos é perfeitamente natural e equilibrada, sob qualquer ângulo que se analise.

publicidade

Muitos também considerarão como grande ponto positivo o fato de o repertório de "Razor" soar de forma totalmente 'old school'. Nada de teclados por aqui – também, com três guitarristas, para que um teclado?!? – tudo é orientado por furiosos riffs, que vão do muito veloz ao cadenciado. A audição flui que é uma maravilha, incansável do começo ao fim, em um repertório que está balizado lá em cima, mas atentem para a eficácia do groove de "Day Of Departure", ou as variações bem sacadas da faixa-título!

publicidade

Certamente o Onheil se esforça para conquistar seu espaço em meio a um mercado muito exigente, mas "Razor" está no páreo por se revelar um híbrido musical muito consistente. Com uma excelente produção que manteem toda a sujeira característica do underground, este debut poderá encontrar admiradores das mais variadas vertentes metálicas, ainda que quem curta Dissection, Immortal e algo do que o Dark Tranquility ofereceu no início de sua carreira, sejam os que primeiramente deveriam conferir este grupo. Discão!

publicidade

Contato:
http://www.myspace.com/onheil
http://www.onheil.com

Formação:
Amok - voz e guitarra
Haat - voz e guitarra
Sadist - guitarra
Nomiis - baixo
Terger - bateria

Onheil – Razor
(2009 / Cyclone Empire – importado)

publicidade

01. Out Of The Darkness It Comes
02. Nemesis Light Fading
03. As Hope Dies
04. Final Redemption
05. Day Of Departure
06. Razor
07. The Fallen Kingdom
08. Pad Der Verdoemenis
09. Penetration Of Innoncence
10. Rain Of Fire
11. From Above




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lindo Demais: conheça o London, o primeiro smartphone da MarshallLindo Demais
Conheça o London, o primeiro smartphone da Marshall

Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMetal Moderno
5 bandas aptas a se tornarem clássicas


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin