Masterplan: sem o impacto emocional oferecido no passado

Resenha - Time To Be King - Masterplan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


A habilidade do Masterplan, ao inserir elementos do Hard Rock e passagens mais intrincadas que até sugeriam o Progressivo, rapidamente o alçou a um dos maiores nomes do Power Metal Melódico da nova geração. Mas, apesar das conquistas, as manjadas divergências quanto ao direcionamento musical fizeram com que o sempre impressionante e ocupado vocalista Jorn Lande abandonasse seu posto em 2006.

Apesar de abalado com tal rompimento, o Masterplan seguiu em frente com o competente Mike DiMeo (Riot) assumindo o microfone e liberou o controverso "MK II" (07)... Mas, considerando o quanto este álbum dividiu as opiniões mundo afora, a consequência mais óbvia seria o retorno de Lande ao antigo posto, o que fatalmente se concretizou no ano passado. Pois bem, o fruto desta nova tentativa de o pessoal trabalhar em grupo responde por "Time To Be King", um quarto disco que está aí, visando resgatar a inabalável reputação de outrora.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas a dura realidade é que o direcionamento do novo disco, com suas toneladas de melodias, não vão para muito além dos estreitos limites do Power Metal. É claro que "Blue Europa", "Far From The End Of The World" ou "Under The Moon" (com um belo trabalho do tecladista Mackenrott) são pontos fortíssimos em meio a um repertório que beira o previsível e, infelizmente, também não transmite toda a paixão que alguns poderiam estar esperando.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E, afundando ainda mais o dedo na ferida, se não fosse o implacável desempenho de um certo viking norueguês, "Time To Be King" poderia adentrar de vez naquele indesejável patamar recheado de clones pelo qual o estilo está se sufocando há tanto tempo. Longe de querer superestimar Jorn Lande, mas o cara conseguiu eclipsar quase que completamente o desempenho de seus esforçados companheiros.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Chegando ao mercado nacional via Laser Company, "Time To Be King" consegue ser um bom álbum e temporariamente manterá o Masterplan entre os pesos-pesados do Power Metal Melódico, mas não propicia o impacto emocional oferecido no passado. O sangue continua elegantemente azul, mas não a ponto de o pretensioso Masterplan achar que esta seria a hora de ocupar algum trono. E não há campanha publicitária que mude isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Contato:
http://www.master-plan.net
http://www.myspace.com/masterplanmetal

Formação:
Jorn Lande - voz
Roland Grapow - guitarra
Jan-Sören Eckert - baixo
Axel Mackenrott - teclados
Mike Terrana - bateria

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Masterplan - Time To Be King
(2010 - AFM Records / Laser Company Records - nacional)

01. Fiddle Of Time
02. Blow Your Winds
03. Far From The End Of The World
04. Time To Be King
05. Lonely Winds Of War
06. The Dark Road
07. The Sun Is In Your Hands
08. The Black One
09. Blue Europa
10. Under The Moon


Outras resenhas de Time To Be King - Masterplan

Masterplan: Pontos positivos são a obrigação deste time




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Caneta & Walkman: "Masterplan é o Grapow de namorada nova falando o quanto ama a ex"


Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2003Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2003

Roland Grapow: Eu não ouço Power Metal, eu faço Power MetalRoland Grapow
"Eu não ouço Power Metal, eu faço Power Metal"


Fotos de Infância: Amy Lee, do Evanescence, muito antes da famaFotos de Infância
Amy Lee, do Evanescence, muito antes da fama

Metal: Mapa revela os países com mais bandas do estiloMetal
Mapa revela os países com mais bandas do estilo


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

CliHo Cli336 Cli336 Cli336 Cli336