Accept: em 1985 um clássico da melhor fase da banda

Resenha - Metal Heart - Accept

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ives Leocelso
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Formado em Solingen, Alemanha, em 1968, o Accept se tornou uma das mais respeitadas bandas de Metal do mundo misturando elementos de speed, thrash e pitadas de música clássica, num Heavy Metal ao mesmo tempo extremamente agressivo e enérgico.
5000 acessosNickelback: 11 razões para respeitar - muito - a Chad Kroeger5000 acessosNirvana: Claudia Ohana faz cover desastroso no Programa do Jô

Em sua fase inicial a banda atendia pelo nome de Band X e era capitaneada pelo igualável Udo Dirkschneider e passou por diversas mudanças até alcançar a formação hoje considerada clássica em seu segundo álbum, "I’m A Rebel" (1980), mais de dez anos depois de sua criação. "Metal Heart" é o seu sexto álbum um dos melhores na discografia da banda, compodo a sagrada trilogia junto com "Restless and Wild" (1982) e o clássico "Balls To The Wall" (1983).

O conceito e a capa de Metal Heart surgiram de uma matéria que a banda leu em uma revista que dizia que os corações humanos seriam substituídos por máquinas computadorizadas no futuro.

A faixa-título abre o play de forma grandiosa. O guitarrista Wolf Hoffman possui formação clássica e deixou essa influência bem clara em "Metal Heart", que possui trechos de duas peças famosas: a "Marcha Eslava" de Tchaikovsky e "Für Elise" de Beethoven, que aparece de forma extraordinária no solo, tornando-o instantaneamente reconhecível. A faixa seguinte, "Midnight Mover", fala sobre um traficante e mostra as características essenciais da banda: riffs marcantes, cozinha no ritmo certo, refrões grudentos com coro e a interpretação maliciosa e agressiva de Udo. A música também teve um clipe que consta no excelente DVD "Metal Blast From The Past" (2002). Em "Up To The Limit" a banda dá um show de simplicidade à la AC/DC, criando uma composição cheia de feeling sem ser extremamente pesada ou veloz. Em seguida, "Wrong Is Right" acelera as coisas, com um berro de Udo na introdução, destaque para a bateria de Stefan Kaufmann, que segue direta e dá um show de punch no bridge. "Screaming For a Love-Bite" é mais um hino, é impossível não ficar com ela na cabeça desde a primeira audição! A introdução de "Too High To Get It Right" é uma composição perfeita para banguear e parece ter saído direto de um álbum do AC/DC, aliás, considero o Accept o AC/DC do Heavy Metal, até mesmo porque os estilos vocais de Udo e Brian Johnson são similares (os patos Donald do Heavy Rock!). O solo da música também nos trás à lembrança o grande Angus Young, mostrando energia, feeling e um espírito rock ‘n roll incomum de se ver. No refrão os coros tomam conta, o que nos faz lembrar que a banda foi uma grande influência para os suecos do Hammerfall, que até fizeram cover da música "Head Over Heels" do "Balls To The Wall". "Dogs On Leads" retoma a atmosfera sombria da primeira faixa, mantendo nível do álbum lá em cima. "Teach Us To Survive" destoa um pouco do play e apesar de possuir qualidades traz um certo experimentalismo que me desagrada pessoalmente. "Living For Tonite" é uma música que marca desde o primeiro riff, é simplesmente um clássico! Por fim, "Bound To Fail" retoma o clima magistral de "Metal Heart". A composição começa com um belo solo com toques clássicos e passa a um riff enérgico e mais uma ótima interpretação de Udo, passa por excelente linhas de guitarra no bridge e emenda em um ótimo refrão para terminar com o mesmo solo do começo, mais um coral épico que encerra o álbum com maestria.

A turnê do álbum rendeu ao Accept dois dos três registros oficiais ao vivo, o EP "Kaizoku-Ban" (1985) e o álbum "Staying A Life" (1990), que foram gravados durante sua passagem pelo Japão.

Sem dúvida uma obra-prima da melhor fase de uma das maiores bandas de Heavy Metal. Essencial!

1. Metal Heart
2. Midnight Mover
3. Up To The Limit
4. Wrong Is Right
5. Screaming For a Love-Bite
6. Too High To Get It Right
7. Dogs On Leads
8. Teach Us To Survive
9. Living For Tonite
10. Bound To Fail

Udo Dirkschneider: Vocals
Wolf Hoffmann: Guitaras, Cítara Elétrica, Backing Vocals
Jörg Fischer: Guitarras, Backing Vocals
Peter Baltes: Baixo, Teclado, Backing Vocals
Stefan Kaufmann: Bateria

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Accept"

AcceptAccept
Wolf Hoffmann não cansou de maior clássico

Hall Of ShameHall Of Shame
As melhores músicas ruins da história do Metal

Billy CorganBilly Corgan
Revelando seus álbuns favoritos de Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Accept"

NickelbackNickelback
11 razões para respeitar - muito - a Chad Kroeger

NirvanaNirvana
Claudia Ohana faz cover desastroso no Programa do Jô

Legião UrbanaLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

5000 acessosKeith Richards: Metallica e Black Sabbath são "grandes piadas"5000 acessosEsquire: Integrantes do Metallica fingem ser do Led Zeppelin5000 acessosInspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado5000 acessosPaul McCartney: como ele consegue falar tão bem o português?4129 acessosMegadeth: Drover e Broderick saíram por causa de Menza e Friedman?5000 acessosDetonator: Mais compartilhado que o funk ostentação de MC Gui

Sobre Ives Leocelso

Ives Leocelso Silva Costa, estudante de Direito. Nasceu no dia 31/10/86 e reside atualmente em Arapiraca, Alagoas. Cresceu ouvindo Heavy Metal graças ao pai e ao avô que possuem um bar voltado para a boa música e uma grande coleção de discos. É completamente apaixonado por Heavy Metal Tradicional, Hard Rock e Power Metal Melódico, e considera o Blind Guardian a melhor banda de todos os tempos.

Mais matérias de Ives Leocelso no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online