Finntroll: o mais ambicioso disco da excêntrica carreira

Resenha - Nifelvind - Finntroll

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Considerado um dos precursores da nova geração do chamado Folk Metal, o Finntroll sempre exibiu uma tendência ao experimentalismo, liberando trabalhos relativamente diversificados – mas sem abandonar a raiz de sua proposta – a um público que rapidamente cresceu para muito além das fronteiras da Finlândia. Neste esquema, "Nifelvind" marca a estreia do grupo na gravadora Century Media, e já pode ser considerado o mais ambicioso disco de sua excêntrica carreira.

O novo álbum mostra uma riquíssima musicalidade que surge mais refinada e bombástica, com toda a tensão do Death e Black Metal mesclado a uns rascunhos de pop (?!?) e maciços elementos de trilhas cinematográficas. Além de todas essas camadas sonoras, também se investiu em instrumentos reais para mostrar suas influências étnicas, com a coerente insanidade típica do Finntroll. E vale citar que, para alcançar o mesmo resultado sobre os palcos, Trollhorn achou conveniente recrutar oficialmente para as fileiras da banda um segundo tecladista, que responde pelo nome Virta.

publicidade

O repertório possui uma diversidade e dinâmica que funciona muito bem, com destaques para a melancólica "Ett Norrskensdåd", tendo como convidado Olli Vänskä (Turisas) tocando violino, e a violência explosiva de "I Trädens Sång". A balada "Galgasång", com um monte de violões e banjos induzindo rapidamente a um grande caneco de cerveja, juntamente com "Tiden Utan Tid", mostram Vreth expandindo suas linhas e também cantando em tons limpos.

publicidade

"Nifelvind" pode não transpirar o alto astral, tão evidente há alguns anos, mas permanece com aquela faceta única e facilmente identificável do Finntroll. E seus músicos também parecem estar, aos poucos, se desvencilhando do visual de trolls pinguços... As novas fotos promocionais continuam exageradamente esquisitas, mas agora sugerindo algo 'mambembe macabro', o que será um infortúnio óbvio aos mais chegados nos aspectos tradicionais do grupo. De qualquer forma, um belo disco!

publicidade

Contato:
http://www.finntroll.net
http://www.myspace.com/officialfinntroll

Formação:
Vreth - voz
Routa - guitarra
Skrymer - guitarra
Tundra - baixo
Trollhorn - teclados e guitarra
Virta - teclados
Beast Dominator - bateria

publicidade

Finntroll - Nifelvind
(2010 / Century Media Records - importado)

01. Blodmarsch (Intro)
02. Solsagan
03. Den Frusna Munnen
04. Ett Norrskensdåd
05. I Trädens Sång
06. Tiden Utan Tid
07. Galgasång
08. Mot Skuggornas Värld
09. Under Bergets Rot
10. Fornfamnad
11. Dråp




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Finntroll: vídeo oficial de "Mask", música do próximo álbum


Axl Rose: a primeira ficha policial aos 18 anosAxl Rose
A primeira ficha policial aos 18 anos

Ódio musical: os artistas mais detestados em lista da SpinnerÓdio musical
Os artistas mais detestados em lista da Spinner


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin