Enslaved: sonoridade modelada e remodelada há tempos

Resenha - Vertebrae - Enslaved

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


O Enslaved com certeza não figura no rol dos grupos que temem modificar sua música para satisfazer o público... Sua sonoridade vem sendo modelada e remodelada há tempos, e a coisa toda fica ainda mais evidente com "Vertebrae", o décimo álbum de sua discografia e que se afasta ainda mais do Black e Viking Metal tão explícito em seus primeiros registros.

Heavy Metal: nove ótimas músicas suaves do gêneroTradução: The Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na realidade, os noruegueses parecem ter ouvido muito, mas muito Pink Floyd antes de iniciar as composições deste disco. Mesclados à sujeira do undergound, aquele progressivo de vibração psicodélica e etérea é um dos pontos fortes por aqui, construído com tal atenção que praticamente induz o ouvinte a uma espécie de transe em algumas ocasiões da audição.

"Vertebrae" também se caracteriza por ser o álbum cujo resultado final seja o mais brando já liberado pelo conjunto - um reflexo da mixagem de Joe Barresi, também responsável por nomes como Tool e Queens Of Stone Age? Talvez... De qualquer forma, o uso frequente de vocalizações limpas em justaposição com outras de conhecida fúria também contribui para este fato, bem exposto logo na abertura "Clouds".

São oito faixas bem enigmáticas e com uma forte carga de melancolia, mas tão equilibradas entre si que não surge nem um destaque real. Mas, no que diz respeito à influência do Pink Floyd, percebe-se como a mistura entre os estilos ficou bem resolvida principalmente em "Ground" e na inquietante "Center".

"Vertebrae" conquistará adeptos de acordo com a tolerância do público em relação aos limites para a experimentação - limites criativos que, muitos afirmam, nunca deveriam existir. Talvez alguns nem venham dar a devida atenção que o álbum mereça, pois as primeiras audições podem não ser fáceis. Mas aí seria um desperdício, pois se perderia a oportunidade de compreender a profundidade que têm estas canções...

Formação:
Grutle Kjellson - voz e baixo
Ivar Bjornson - guitarra e teclados
Ice Dale - guitarra
Herbrand Larsen - voz e teclados
Cato Bekkevold - bateria

Enslaved - Vertebrae
(2008 - Nuclear Blast / Somber Music - nacional)

01. Clouds
02. To The Coast
03. Ground
04. Vertebrae
05. New Dawn
06. Reflection
07. Center
08. The Watcher

Homepage: www.enslaved.no




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Enslaved"


Metal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comMetal norueguês
As dez melhores bandas segundo o About.com

Enslaved: frontman detona a série VikingsEnslaved
Frontman detona a série "Vikings"


Heavy Metal: nove ótimas músicas suaves do gêneroHeavy Metal
Nove ótimas músicas suaves do gênero

Tradução: The Dark Side Of The Moon, do Pink FloydTradução
The Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336