Matanza: o melhor de uma banda em sua melhor forma

Resenha - MTV Apresenta; Ao Vivo no Hangar 110 - Matanza

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Determinados grupos só revelam mesmo sua verdadeira força ao vivo, quebrando tudo e mais um pouco em cima do palco e livrando-se das armadilhas dos produtores. Se os cariocas do Matanza já arregaçam nossos tímpanos sem perdão nos discos de estúdio, era óbvio que num álbum ao vivo a puríssima dose de testosterona de suas faixas seria ainda mais vibrante. Neste registro feito pela MTV de uma apresentação especialíssima daquela que os críticos chamam de “a mais pesada das bandas do cenário roqueiro mainstream do Brasil”, o frontman Jimmy London e sua trupe desfilam mais de 20 de seus melhores petardos. O resultado injeta ainda mais força às suas exaltações ao macho beberrão, brigão e mulherengo do Velho Oeste ou da beira da estrada. Dá para sentir o quanto a tradicional casa de shows paulistana Hangar 110 deve ter fervido naquele dia 15 de dezembro de 2007...
5000 acessosEddie: a foto que supostamente inspirou Derek Riggs5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden

A paulada já começa no combo inicial, quando o quarteto não dá tempo para você respirar e emenda, na seqüência, “Meio Psicopata”, “Interceptor V-6”, “Ressaca sem Fim” e a fantástica (e mórbida) letra de “Mesa de Saloon”. E não pára um segundo em músicas como “Maldito Hippie Sujo”, “Matarei”, “Eu não Gosto de Ninguém” e a quase cinematográfica “E Tudo Vai Ficar Pior”.

Há músicas que ficam ainda mais interessantes nestas versões ao vivo. “Todo Ódio da Vingança de Jack Buffalo Head”, por exemplo, uma de suas canções mais pesadas, velozes e viscerais, fica mais encorpada com a bateria mais acelerada e Donida tratando de dar ares mais cortantes ao seu principal riff. E a politicamente incorreta “Bom é Quando Faz Mal” só se faz realmente completa com a introdução feita por Jimmy, emulando um velhote reclamão que pediria aos jovens presentes para trazerem seus respectivos “casaquinhos” – para deixar soltar o vozeirão rouco mandando a vovózinha pentelha ir tomar... ah, você sabe onde.

Aliás, há quem reclame da postura do vocalista, um gigante ruivo e barbado que, dizem alguns, teria incorporado o estereótipo típico dos protagonistas das músicas do Matanza, tornando-se personagem de si mesmo. Seja descrevendo seu próprio funeral antes de iniciar “O Chamado do Bar” (aquela do refrão catártico: “a minha vida é minha / e a sua que se foda”). Seja fingindo não agüentar mais cantar o hino absoluto “Pé na Porta e Soco na Cara”, apenas para contar com a poderosa participação da platéia. Seja provocando o público ao dizer que não se lembra direito da letra de “Santa Madre Cassino”, sucesso de seu homônimo disco inaugural e que, por isso, nem vai arriscar cantar a dita cuja. Se ele está encenando ou se ele é assim mesmo, pouco importa. Porque, assim como Lemmy é a cara do Motörhead, Jimmy é inegavelmente a fuça mal-encarada do Matanza. E a gente gosta dele assim mesmo.

O momento histórico da bolacha, no entanto, é mesmo a excelente idéia de juntar, praticamente numa música só, três das mais divertidas canções etílicas do grupo: “Rio de Whisky”, “Quando Bebe Desse Jeito” e “Bebe, Arrota e Peida” são a combinação perfeita para encher a cara. E isso vindo de alguém que não bebe deve significar muito, não? Ainda bem que depois de ouvir um disco como este, a gente não precisa passar pelo bafômetro...

“MTV Apresenta Matanza” traz o melhor de uma banda em sua melhor forma. É um verdadeiro best of no formato que o Matanza mais domina. Imperdível para os iniciados, ideal para quem quer começar a conhecer o trabalho dos caras – que continuam bons, velhos e fedorentos. Um oásis de fúria neste mar de baladinhas roqueiras que infestam as rádios. Escute alto. Muito alto. Mesmo. Se seus ouvidos começarem a zumbir, você entendeu.

Tracklist:
1. Intro
2. Meio Psicopata
3. Interceptor V-6
4. Ressaca Sem Fim
5. Mesa de Saloon
6. O Chamado do Bar
7. Maldito Hippie Sujo
8. O Último Bar
9. Tempo Ruim
10. E Tudo Vai Ficar Pior
11. Pé na Porta, Soco na Cara
12. Santa Madre Cassino
13. Matarei
14. Clube dos Canalhas
15. Imbecil
16. Todo Ódio da Vingança de Jack Buffalo Head
17. Eu Não Gosto de Ninguém
18. Rio de Whisky / Quando Bebe Desse Jeito / Bebe, Arrota e Peida
19. Bom é Quando Faz Mal
20. A Arte do Insulto
21. As Melhores Putas do Alabama
22. Ela Roubou Meu Caminhão
23. Whisky Para um Condenado / Eu Não Bebo Mais
24. Estamos Todos Bêbados / Interceptor V-6

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Matanza"

Nicko McBrainNicko McBrain
Vídeo de entrevista com vocalista do Matanza

MatanzaMatanza
Jimmy se arrepende de não ter falado com Lemmy

MatanzaMatanza
"Não tenho que justificar #$%@ nenhuma!"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Matanza"

Iron MaidenIron Maiden
A foto que teria inspirado Derek Riggs na criação de Eddie?

Edu FalaschiEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

HumorHumor
Headbangers adoram o Deus Metal, que adora Hansi Kürsch!

5000 acessosAs regras do Black Metal5000 acessosMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted5000 acessosCannibal Corpse: este cara é muito mais fanático que você4829 acessosJackdevil: Extremistas, homofóbicos e xenofóbicos deveriam largar o metal5000 acessosAll Shall Perish: a barbárie dos Wall Of Death mais truculentos5000 acessosPink Floyd: Rick Wright morre aos 65 anos de idade

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online