Bassinvaders: apenas interessante para ser conferido

Resenha - Hellbassbeaters - Markus Grosskopf's Bassinvaders

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Bom, quando o baixista do Helloween, Markus Grosskopf, gravou este álbum-solo – se é que este termo se aplica aqui – com certeza o sorridente alemão pensou grande e com a melhor das intenções em fazer algo que fugisse do lugar-comum. O nome do projeto é Markus Grosskopf´s Bassinvaders e, como o próprio título já deixa mais do que evidente, “Hellbassbeaters” é um álbum de Heavy Metal que preferiu deixar as guitarras de lado. A prioridade aqui são os baixos.
5000 acessosTrues quase infartaram: Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha5000 acessosFotos: e se o Slash aparecer acenando no fundo?

Seus principais comparsas nesta baixaria (ops!) são Peavy Wagner (Rage), Tom Angelripper (Sodom) e Marcel "Schmier" Schirmer (Destrucion), que, além de tocar seus respectivos instrumentos, também cantam. Além destes ilustres companheiros, Grosskopf teve as manhas de selecionar uma lista de convidados de respeito – dêem uma conferida no final do texto – inclusive com alguns nomes impensáveis como o lendário Lee Rocker do Stray Cats ou Stig Pedersen do grupo de Hard Rock dinamarquês D.A.D.

Para se tentar – e friso, tentar – compensar o vácuo causado pela ausência das guitarras, é nítido o esforço em elaborar um repertório bastante diversificado, ainda que no enfoque geral a linha musical seguida por “Hellbassbeaters” se desloque mais para os lados do famoso Power Metal europeu. É claro que a presença de Schmier e Angelripper fatalmente crie uma aproximação com o Thrash Metal em algumas canções, tendo uma inspirada “Armageddon” cantada por Schmier, e “Dead From The Eyes Down”, embalada por aquele Rock´n´Roll alucinado à la Motorhead, como pontos altos.

Mas isso não impede que o maior problema de Bassinvaders seja o fato de toda a experimentação e organização destes contrabaixos, sejam nos riffs (?) ou solos, não conseguir suprir de todo a ausência das guitarras, fazendo com que a audição seja apenas digna de curiosidade e não verdadeiramente matadora, como seria o ideal. As muitas passagens interessantes são acompanhadas por outras tantas que simplesmente dão uma esfriada nos ânimos, infelizmente...

Assim, entre boas composições como as emotivas “Romance In Black” e “Boiling Blood”, além de “The Asshole Song”, com passagens ‘mezzo’ jazzísticas e com a voz de Jesper Binzer (outra figura do D.A.D), há faixas praticamente descartáveis como “Voices” e a soporífera releitura da clássica “Eagle Fly Free”, do próprio Helloween, que perdeu muito de sua essência.

O conceito é original? Não - afinal, há bandas como o finlandês Cause For Effect, por exemplo, que vêm fazendo algo similar há tempos, certo? Mas "Hellbassbeaters" ainda é interessante o suficiente para ser conferido principalmente por quem está sempre procurando álbuns que visam fugir do convencional. Guardada as devidas proporções, vai gerar aquela estranha 'sensação de que falta algo’ como "Plays Metallica By Four Cellos" (Apocalyptica) ou “A Storm To Come” (Van Canto) proporcionaram quando chegaram ao público.

Músicos:
Baixo e vozes:
Peavy Wagner (Rage)
Tom Angelripper (Sodom)
Schmier (Destruction)

Vozes:
Apollo Papathanasio (Firewind)
Jesper Binzer (D.A.D)

Solos de baixo:
Billy Sheehan (Mr. Big)
Rudy Sarzo (Quiet Riot, Dio, Ozzy Osbourne)
Lee Rocker (Stray Cats)
Marco Mendoza (Thin Lizzy, Whitesnake, Ted Nugent)
DD Verni (Overkill)
Wyzard (Mother´s Finest)
Dirk Schlächter (Gamma Ray)
Joey Vera (Armored Saint, Fates Warning, Anthrax)
Stig Pedersen (D.A.D)
Nibbs Carter (Saxon)
Tobias Exxel (Edguy)
Jens Becker (Grave Digger, Running Wild)
Dennis Ward (Pink Cream 69)
Peter Baltes (Accept)
Jan S. Eckert (Masterplan)
Michael Müller (Jaded Heart)

Bateria:
André Hilgers (Rage, Axxis)
Stefan Arnold (Grave Digger)

Markus Grosskopf´s Bassinvaders - Hellbassbeaters
(2008 - Frontiers Records / Hellion Records - nacional)

01. Awakening The Bass Machine
02. We Live
03. Armageddon
04. Romance In Black
05. Godless Gods
06. Empty Memories
07. Boiling Blood
08. Far Too Late
09. The Asshole Song
10. Dead Fromt He Eyes Down
11. Razorblade Romance
12. Voices
13. Eagle Fly Free
14. To Hell And Back (bônus)

Myspace: http://profile.myspace.com/178552203

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bass Invaders"

Trues quase infartaramTrues quase infartaram
Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha

FotosFotos
E se o Slash aparecer acenando no fundo?

Bon JoviBon Jovi
Jon está usando playback em shows ao vivo?

5000 acessos20 Filmes Mais Punk: "Rock N Roll High School" em primeiro5000 acessosVan Halen: Ed abre metralhadora giratória contra TODOS ex-membros5000 acessosAloka: Duff McKagan diz que "vira gay" nas turnês5000 acessosIron Maiden: assista o primeiro trailer do jogo Legacy of the Beast5000 acessosAlice Cooper: "morreria se não parasse de beber"5000 acessosDave Navarro: coisas que você não sabia sobre ele

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online