Saxon: uma ousada e arriscada reviravolta na carreira

Resenha - Inner Sanctum - Saxon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Werneck
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


O lançamento no Brasil foi realizado pela Hellion Records, e de forma muito caprichada, incluindo tanto o disco original completo (inclusive a versão de "If I Was You" do single), quanto um DVD extra de bônus.

Saxon: Biff Byford atualiza estado de saúde e revela planos de álbuns da banda e soloMetallica: Ulrich comenta sobre seu maior erro

A formação atual consiste em Peter "Biff" Byford (vocais), os guitarristas Paul Quinn e Doug Scarratt, o baixista Nibbs Carter e o baterista Nigel Glockler (responsável também pelos teclados esparsos). Byford e Quinn são membros originais da banda, e há (para os que não sabem) uma segunda banda em atividade carregando a bandeira do Saxon: o Oliver/Dawson Saxon, que inclui os membros originais Graham Oliver (guitarra) e Steve "Ponce" Dawson (baixo).

A formação capitaneada por Byford tem se mantido na ativa ao longo dos anos, apesar de nuca mais ter conseguido o sucesso do início dos anos 80, quando eram a segunda banda mais popular do movimento NWOBHM, logo após o Iron Maiden. Para tentar reaver tais níveis de sucesso, uma completa reformulação de estilo musical foi concebida para a banda na última década.

Um fã das antigas desavisado, que tenha perdido contato com seus ídolos já há um bom tempo, ao colocar "The Inner Sanctum" para tocar logo de cara notará que algo mudou. O bumbo duplo e o trabalho pesadíssimo das guitarras alteraram o estilo do grupo substancialmente, cujo único forte ponto de contato com o passado é a voz característica e carismática de Biff Byford. Uma atitude ousada, pois muitos fãs antigos devem ter torcido seus narizes, enquanto que novos vão sendo angariados. Mesmo com todos os grandes riscos nessa troca de público, este trabalho em especial vem sendo altamente elogiado por críticos e apreciadores do grupo, que aclamaram tal reviravolta em sua carreira.

Logo de cara, a banda ataca com três petardos de fazer inveja a muito guri. "State of Grace", "Need for Speed" e "Let Me Feel Your Power" são quase power metal. "Red Star Falling" puxa as rédeas, uma faixa "slow tempo" porém mantendo o clima sóbrio e sombrio. Bons solos de guitarra de Quinn e Scarratt se revezam, no clímax. Com seus mais de 6 minutos de duração, um dos destaques do CD. Já "I've Got To Rock" lembra muito o AC/DC dos anos 80, com um peso adicional, é claro.

"If I Was You" é o primeiro "hit single" do CD, mas não se engane. Apesar do refrão contagiante, trata-se de uma faixa bastante pesada, com um ótimo trabalho de Glockler nos dois bumbos. O baterista merece por sinal um capítulo à parte. Não é à toa que a banda sempre o priorizou, em suas idas e vindas em virtude dos mais variados problemas. Ele faz diferença e não dá mostras de cansaço, apesar de não ser mais um garotão. Outra música com bom refrão vem a seguir, "Going Nowhere Fast", mais na linha do que o grupo fazia nos anos 80.

Já "Ashes To Ashes" se parece em algumas partes tremendamente com "A Touch of Evil", do disco "Painkiller", do Judas Priest. Difícil de se imaginar que não tenha havido plágio, pelo menos inconsciente. "Empire Rising" é apenas uma introdução de 40 segundos para o capítulo final da saga, "Atilla the Hun", e seus 8 minutos repletos de vários solos e momentos de andamentos diferentes. Fechando, a versão single de "If I Was You".

A produção de Charles Bauerfeind é competente, embora a massa sonora resultante, intensa e pesada, descaracterize um pouco o estilo tradicional do Saxon. Não há baladas; quando a banda pisa no freio é apenas para reduzir a velocidade, e não tirar peso.

O DVD extra inclui 40 minutos de música ao vivo e entrevistas com os membros da banda e o manager Thomas Jensen (que é um dos organizadores do Wacken Open Air festival). O enfoque é dado sobre a turnê "A Night Out With The Boys", na qual a banda tocou apenas material antigo, sem estar promovendo álbum novo algum. Fica bastante claro que todos se divertiram bastante, tanto em tocar mais músicas antigas do que estão acostumados em shows mais recentes, quanto pela ausência de pressão em se estar promovendo um disco novo. O único ponto negativo do DVD é não conter a opção de legendas em português, o que restringe seu aproveitamento por aqueles que não entendem bem inglês (a única alternativa de legenda é em alemão, por ser um lançamento da gravadora SPV).

O encarte é generoso, e possui 20 páginas recheadas de fotos, ilustrações, créditos e letras das músicas. Pelo menos na minha cópia, porém, houve um defeito de impressão nas páginas centrais (10 e 11), e o que há impressas são letras de um disco de artista nacional não identificado(!). Certamente uma falha da Sonopress (e não da Hellion), responsável pela impressão do CD, que deve ter feito uma confusão com os fotolitos na hora de enviar à gráfica. Como o que devia estar incluído nas páginas centrais era uma foto ou gravura, não se perdeu muita coisa, e todas as letras e informações importantes estão presentes no encarte.

Tracklist:

CD
1. State of Grace
2. Need for Speed
3. Let Me Feel Your Power
4. Red Star Falling
5. I've Got to Rock (To Stay Alive)
6. If I Was You" (Album Version)
7. Going Nowhere Fast
8. Ashes to Ashes
9. Empire Rising
10. Atilla the Hun
11. If I Was You (Single Version)

DVD - A Night Out With the Boys
1. To Hell and Back Again
2. A Night Out With the Boys - The Idea
3. A Night Out With the Boys - Not Really
4. See the Light Shining
5. A Night Out With the Boys - Now It Started
6. Redline
7. Suzie Hold On
8. Stand Up and Be Counted
9. Frozen Rainbow
10. Never Surrender

Site: www.saxon747.com


Outras resenhas de Inner Sanctum - Saxon

Saxon: alicerces do estilo Heavy Metal




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Saxon"


Saxon: Biff Byford atualiza estado de saúde e revela planos de álbuns da banda e soloSaxon
Biff Byford atualiza estado de saúde e revela planos de álbuns da banda e solo

Saxon: shows cancelados por cirurgia cardíaca de Biff ByfordSaxon
Shows cancelados por cirurgia cardíaca de Biff Byford

Anos 80: cinco nomes do metal que se entregaram ao glam metalAnos 80
Cinco nomes do metal que se entregaram ao glam metal

Saxon: grunge foi bom para mostrar que o rock não se trata de aparênciaSaxon
Grunge foi bom para mostrar que o rock "não se trata de aparência"

Saxon: por que não cresceram como o Iron Maiden? Biff Byford opinaSaxon
Por que não cresceram como o Iron Maiden? Biff Byford opina


Metallica: Ulrich comenta sobre seu maior erroMetallica
Ulrich comenta sobre seu maior erro

Deuses do Rock: o tempo passa para (quase) todos elesDeuses do Rock
O tempo passa para (quase) todos eles

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Slash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritosSlash
Guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos

Planet Rock: as maiores vozes da história do rockPlanet Rock
As maiores vozes da história do rock

Johnny Depp: nunca mais deve beber em noitadas com Keith RichardsJohnny Depp
Nunca mais deve beber em noitadas com Keith Richards

Loudwire: Veja resultado da votação dos melhores de 2016Loudwire
Veja resultado da votação dos melhores de 2016


Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D'Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336