David Bowie: The Rise and Fall of Ziggy Stardust

Resenha - Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars - David Bowie

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Pedro Zambarda de Araújo, Fonte: Bola da Foca
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars popularizou o chamado Glam/Glitter Rock e fez uma história conceitual sobre a própria música.
2610 acessosVanilla Ice: rapper diz que "Under Pressure", do Queen, agora é dele5000 acessosAC/DC: "Chuck Berry foi o maior babaca que já vi na vida"

Quando um jovem, que é inglês e observador, como sempre foi, chega aos Estados Unidos da América, sua vida sofre drásticas alterações. Em 1971, o músico David Bowie teve essa experiência, saído de uma sociedade conservadora e mergulhando no universo underground norte-americano, com bandas como Velvet Underground, The Stooges e, principalmente, The New York Dolls, que despertou profunda admiração.

Os Dolls, grupo do guitarrista Johnny Thunders e do vocalista David Johnansen, utilizavam roupas de mulheres em suas apresentações, apesar de serem heterossexuais, em sua maioria. Aquilo despertou em Bowie um personagem que marcaria sua carreira nos anos 1970: Ziggy Stardust, um marciano rockstar que é enviado até a Terra para transformar a mente dos seres humanos. Com a maquiagem que caracterizou Alice Cooper, anos antes, o visual feminino e o cabelo repicado e tingido de laranja avermelhado, Bowie deixou sua fase hippie, onde usava cabelos longos e composições típicas da década anterior.

Essa explicação introdutória é necessária. O LP, posteriormente transformado em CD, "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars", de 1972, não é apenas uma simples gravação de músicas de sucesso, mas uma peça de teatro que caracterizou o aclamado glamour rock: bissexualidade, atitude, temas polêmicos, visual andrógino e forte interação com o público.

Sua primeira faixa, "Five Years", inicia a história de Ziggy com todo o sofrimento existente na Terra. Com rimas simples, Bowie ilustra a vida cotidiana, enquanto berra em plenos pulmões o refrão, resultando em uma música de peso. "Soul Love" quebra o clima causado pela introdução, trazendo uma peça predominantemente acústica, com letras positivas de renovação e exaltação do amor. “New love - a boy and girl they talking” mostra uma admiração descompromissada.

"Moonage Daydream", a terceira música, traz a intervenção dos marcianos, que falam de uma relação elétrica. David Bowie assume um vocal nitidamente afeminado, que caracteriza sua atuação como Ziggy Stardust, sob o som de piano, baixo, guitarra e bateria. Com a quarta faixa, a chegada triunfal do “alien” se concretiza, de forma quase divina. O solo de guitarra em seqüência dos acordes no violão cria uma harmonia em "Starman", assim como sua letra tranqüilizadora: “There´s a Starman waiting in the sky...”.

Com uma melodia extremamente folk, "It Ain´t Easy" fala do duelo entre a satisfação e as dificuldades que se encontram no caminho. "Lady Stardust", pela ambigüidade de sua letra, trata da sexualidade de Ziggy, além da natureza obscura e reflexiva de suas músicas. “And he was alright, the band was altogether” faz uma primeira menção à banda que acompanha Ziggy Stardust, chamada no CD pelo nome The Spiders from Mars.

"Star", música chamada, originalmente, de "Rock´n´Roll Star", fala sobre como se tornar um ídolo e mudar o mundo, tal como os músicos de rock. A canção é acompanhada por um piano constante, que marca uma progressão ritmada de seus instrumentos. Música com a introdução definitiva dos Spiders from Mars, "Hang Onto Yourself" é uma música com poucas letras e muito dançante, mostrando que a história conceitual não se manifesta somente por palavras.

"Ziggy Stardust" é a música que resume a obra de setentista de David Bowie: “Making love with his ego. Ziggy sucked up into his mind”. Vemos a clara decadência no glamour do astro, o retrato de crítico de Bowie sobre o cenário musical, embora ele mesmo participasse de orgias e tivesse uma vida bissexual pública, um cotidiano completamente desregrado e voltado para si mesmo.

"Suffragette City" abandona o vocal feminino de David para incorporar uma balada carregada antes da conclusão do CD. "Rock´n´Roll Suicide" conclui, na verdade, a música-tema "Ziggy Stardust", mostrando o astro cometendo suicídio no palco, fumando cigarros que, no fundo, simbolizam sua vida. Bowie berra, antes da morte de Ziggy, o memorável “You´re wonderful! Gimme your hands!” que não se trata apenas de um clímax musical, mas do ápice de uma verdadeira peça teatral, seja sobre si mesmo ou sobre pessoas jovens que morrem após uma vida desvairada.

Com todas essas excelentes 11 faixas, mais os extras lançados na reedição do CD em 1990, como "Johnny I´m Only Dancing", "Velvet Goldmine", a inédita "Sweet Head" e as versões demo de "Ziggy Stardust" e "Lady Stardust", temos em mãos não somente uma obra-prima comercial de 1970, mas um retrato artístico do que é viver o rock.

Não é pela rebeldia ou pelas aventuras sexuais que os cantores de glam viveram que a vida de quem admira o rock´n´roll é curta. Bowie não se restringe a demonstrar apenas seu estilo musical, porque a própria invenção de Ziggy Stardust e sua atuação remetem, além dos estereótipos, até emoções, êxtases.

Diversas teorias rondam esse material primordial para quem quer, realmente, conhecer a música dos anos 70. O próprio nome de Ziggy aponta diferentes influências de Bowie – uns dizem que veio de Iggy Pop, a versão oficial alega que a inspiração real foi Vince Taylor, frontman do The Playboys, da década de 50.

Vale a pena ouvir o material, que é raridade em lojas hoje em dia.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Vanilla IceVanilla Ice
Rapper diz que "Under Pressure", do Queen, agora é dele

635 acessosDavid Bowie: Uma homenagem impecável no programa Todo Seu1955 acessosKing Crimson: Veja o vídeo do próximo EP da banda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "David Bowie"

GigwiseGigwise
Site elege os 69 melhores vocalistas da história

GrammyGrammy
O que houve de melhor (e pior) relacionado ao rock/metal

Q MagazineQ Magazine
Leitores elegem as 100 Maiores Estrelas do Século XX

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "David Bowie"

AC/DCAC/DC
"Chuck Berry foi o maior babaca que já vi na vida"

Gene SimmonsGene Simmons
Declarações polêmicas sobre bandas de sucesso

StephanieStephanie
Ex de Axl Rose mostra ótima forma aos 44

5000 acessosSlash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay5000 acessosCorey Taylor: sonhando com sexo grupal com Lita Ford e Doro Pesch5000 acessosRoqueiros conservadores: a direita do rock na revista Veja5000 acessosRenato Russo: "Será que esquecemos a Ditadura Militar?"5000 acessosSeparados no nascimento: Roger e Piu Piu Monstro5000 acessosJustin Bieber: convidado para participar de show do Dark Funeral

Sobre Pedro Zambarda de Araújo

Nascido em 1989. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, Pedro foi apresentado ao heavy metal através da banda Blind Guardian, em meados de 2004. Ouve e aprecia outros estilos do rock, como o punk, o indie e vertentes mais variadas. Gosta de assistir e cobrir shows.Toca muito mal guitarra, mas aprecia vários tipos de instrumentos musicais.

Mais matérias de Pedro Zambarda de Araújo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online