Resenha - Metal Black - Venom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Mesmo os primeiros registros sendo toscos – com seus próprios músicos admitindo que na época não tivessem lá muitas afinidades com seus instrumentos – é inegável a importância do Venom, sendo o responsável direto pelo surgimento do Black Metal no começo dos anos 80 e influenciando toda a cena underground posteriormente. Mas o tempo foi passando, a banda mudando sua formação e tocando cada vez com mais técnica (para o padrão Venom), muito peso e liberando alguns discos bem acima da média.

Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis

Metallica: a capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Agora, cinco anos após o excelente "Ressurrection", o Venom retorna com Cronos (voz e baixo), Mykvs (guitarra) e Antton (bateria e irmão do próprio Cronos) e, seja lá qual for o real motivo, o trio traz um disco cuja linha musical tende a voltar às raízes. Ou melhor, reciclar suas raízes e manter a atmosfera obscura, pois durante a audição fica evidente não haver a intenção de soarem nostálgicos. Se bem que ainda assim não deixa de ser estranho o fato de batizarem o trabalho com o nome "Metal Black", clara referência ao clássico "Black Metal" (82). Vai entender...

14 faixas com arranjos simples na maior parte das canções e uma produção obviamente nada polida. Isso é "Metal Black", pura e simplesmente. As letras não poderiam deixar de ser basicamente satanistas e por demais clichês; e o guitarrista Mykvs chama mesmo a atenção, despejando riffs diretos e rápidos, convencendo com sobras em várias ocasiões (escutem "House Of Pain", excelente!). Mas, para quem só escutou e curtiu os álbuns mais elaborados da década de 90 em diante, terá algumas chances de não conseguir captar a proposta e energia destas novas faixas e, o pior, várias delas não conseguem manter a atenção do ouvinte por muito tempo.

As faixas que mais se sobressaem e remetem aos velhos tempos são "Antechrist" e "Burn In Hell", com um Cronos furioso, e "Maleficarum", que seria o título inicial do CD, passando muito da intensidade blasfema que incendiou o underground há quase 25 anos. Detalhe curioso fica para a faixa "Rege Satanas", que teoricamente teria tudo para ser básica, porém traz um Venom algo mais técnico e com uma guitarra matadora.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Metal Black" é indicado a quem curte uma sonoridade ríspida e crua, curiosos ou aos saudosistas de plantão. Um décimo-primeiro álbum que não convence de todo e que, com certeza, dividirá opiniões. Se fosse um disco lançado por alguma banda desconhecida, teria grandes chances de passar em branco. Mas como é o Venom...

Venom - Metal Black
(2006 - Castle Records / Sanctuary Group – importado)

01. Antechrist
02. Burn In Hell
03. House Of Pain
04. Death & Dying
05. Rege Satanas
06. Darkest Realm
07. A Good Day To Die
08. Assassin
09. Lucifer Rising
10. Blessed Dead
11. Hours Of Darkness
12. Sleep When I’m Dead
13. Maleficarum
14. Metal Black

Homepage: www.venomslegions.com


Outras resenhas de Metal Black - Venom

Venom: os pais do Black Metal estão de volta

Venom: "Metal Black" é uma volta às origens




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos AnéisPseudônimos no Black Metal
De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis

Venom: lançado boneco inspirado no álbum Black MetalVenom
Lançado boneco inspirado no álbum Black Metal


Sexo é Proibido: capas censuradas por conteúdo eróticoSexo é Proibido
Capas censuradas por conteúdo erótico

Varg Vikernes: crítica a Euronymous e Venom em vídeoVarg Vikernes
Crítica a Euronymous e Venom em vídeo


Metallica: a capa do Death Magnetic lembra uma vagina?Metallica
A capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Jack Bruce: Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!Jack Bruce
"Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280