Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemOzzy Osbourne revela o único integrante de sua banda que saiu "do jeito certo"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemDavid Gilmour surpreende ao responder se o Pink Floyd pode voltar a fazer shows

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemQuem Glenn Hughes considera digno de substituí-lo como "a voz do rock"

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemBrian May revela o inesperado álbum do Queen que é o seu favorito

imagemPink Floyd: Em entrevista de 1984, David Gilmour falou sobre "The Final Cut"

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure


Stamp

Resenha - Hoje - Paralamas do Sucesso

Por Anderson Nascimento
Em 16/01/06

Após o trágico acidente que ocorreu com Herbert Vianna, e a sua reabilitação, a banda lançou o bom e seco álbum "Longo Caminho", as músicas, que já vinham sendo compostas ateriormente ao acidente, foram terminadas e gravadas, gerando o primeiro álbum da banda desde o acidente.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

No caso do álbum "Hoje" a coisa é diferente, o tempo passou, a carreira continuou, porém inevitáveis marcas do acidente aparecem neste disco. Logo na faixa de abertura, Herbert dá uma dolorosa declaração a respeito das mudanças que o acidente causou em sua vida: "...mas o destino me deixou na mão, se assim, que não seja o fim, pois a luz da vida ainda brilha em mim...". De certa forma, seria mesmo difícil um compositor como Herbert não falar em suas músicas de um fato tão marcante. Esse aliás é um ponto ruim no disco, pois em outras faixas como "Passo Lento"e "Ponto de Vista": "...você aí em pé, você não deve saber, o que é a vida de quem sofre ao se mover...", Hebert fala sobre o mesmo assunto, com letras pesadas que chegam a causar um mal estar, se você prestar a atenção na letra.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Fora isso, o disco é muito mais produzido e alegre que o anterior, a própria faixa de abertura "2 A" tem essa cara de festa (apesar da letra sofrida), mas é um rockzinho com o frescor de uma banda que se recria nesse disco. A mesma coisa acontece com o primeiro single do disco "Na pista", a música lembra os próprios Paralamas no início de carreira, trazendo aquela tradicional levada latina da banda.

Em "Soledad Cidadão", parceria de Herbert com Pedro Luís, o disco apresenta a participação de Manu Chao, confirmando essa tendência clássica da banda em investir em sons latinos. Por falar em participações, o disco também traz Nando Reis, na bonita balada "Pétala", escrita pelo ex-Titãs, Adreas Kisser, Apollo 9 e Marcelinho da Lua. Tudo isso também indica a vontade de a banda fazer um disco no mínimo diferente.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Apesar de o disco ter poucas baladas em repertório, este novo trabalho é repleto de melancolia, em alguns momentos percebemos a força do instrumental do disco encobrindo estes sentimentos, como é o caso das músicas "Passo Lento" e "De Perto", que apesar de serem potenciais baladas, destacam-se pelo instrumental pesado.

Falando em pesado, a segunda metade do disco traz uma brilhante sequência de músicas roqueiras como há muito não se via a banda fazer. "Fora do Lugar, bela composição de Leoni tem tons soturnos, meio heavy metal, "220 Desencapado" faz lembrar o último disco do Lobão, a música é muito bem tocada pelo trio e cuspida por Herbert Vianna, tornando-a bastante interessante. "Ponto de Vista" meio que encerra o disco, com uma participação muito especial do Andreas Kisser, além de a voz do Herbert estar um pouco mais baixa que os instrumentos, o que a faz uma música extremamente roqueira, uma das mais pesadas de todo o repertório dos Paralamas.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O disco traz ainda duas faixas bônus "Deus lhe Pague" do Chico Buarque e uma versão "dub" de "Ao acaso", mas que pouco acrescentam ao disco como obra. Daí a falta que os cds-singles fazem ao Brasil, essas músicas poderiam muito bem estar disponíveis em singles como material extra.

No fim das contas, "Hoje", é um bom disco que mescla momentos tensos com momentos de desvairadas diversões, pode até ser que após esse "desabafo", Herbert siga em frente tentando esquecer o que aconteceu, separando o acidente de sua música.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A visão de Herbert Vianna sobre seu pai ter sido piloto da Força Aérea na ditadura


Rock in Rio 1985: 10 ótimos shows do lendário festival para assistir em isolamento

Chico Buarque: a música que virou a cabeça do Rock Nacional

A apaixonada opinião de Herbert Vianna sobre Ayrton Senna



Sobre Anderson Nascimento

Anderson Nascimento é Analista de Sistema e Professor Universitário de profissão, tendo cursado Pós-Graduação em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas na PUC-RJ. Sua grande paixão é a música, começou a colecionar discos ainda na época do vinil, em 1986, com o álbum Abbey Road dos Beatles. Esse foi o primeiro passo para esse hobby que viria a se tornar tão importante em sua vida. Entre as várias atividades no meio musical, Anderson é compositor e integrou a banda de rock Projeto:Paradoxo entre 1996 e 2004. Anderson é um ávido colecionador de discos e também escreveu sobre música em vários veículos de comunicação.

Mais matérias de Anderson Nascimento.