Resenha - Bullets - Poison God

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando De Santis
Enviar correções  |  Ver Acessos


Quando você ouvir alguém dizer "O estado do Espírito Santo também é o berço de boas bandas de metal!", acredite! A banda Poison God, da cidade de Colatina, prova com um metal muito pesado e muito competente, que não existe mais "eixo geográfico" para boa música.

Phil Anselmo: mandou um "White Power" mas nega ser racistaCapas de álbuns: 30 das piores artes da história

Formado por Ricardo "Those" Sarcinelli (vocal), Marlon "Pezão" Martinelli (guitarra), Rodrigo "Chips" Tesch (baixo) e Hugo Perazzini (bateria - porque esse não tem apelido?), o Poison Bullet apresenta em sua demo, "Bullets", quatro porradas musicais recheadas de riffs agressivos, cozinha entrosada, vocal rasgado/gutural e muita, mas muita criatividade. As letras falam de assuntos não tão originais, como religião ou guerra, mas acabam combinando muito bem com o estilo que os músicos resolveram tocar. "Feeding The Dead", a faixa de abertura da demo, tem um introdução ao estilo Pantera, que já arrancou um sorriso de canto de boca deste redator que vos escreve. O vocal de Ricardo é bem agressivo, bem na linha Thrash e consegue segurar a onda muito bem, por todas as quatro composições. A faixa-título tem uns cacoetes de Megadeth na parte instrumental, o que já me fez concluir que de influências, eles estão muito bem arrumados. Produzida por Jam Penitenti, a demo está impecável. Os instrumentos e o vocal estão equilibrados e homogêneos. A cozinha ficou totalmente entrosada, com destaque para o final impressionante da faixa "Bullets", com um show à parte do batera Hugo.

Em "Bullets", o Poison God prova em pouco mais de 17 minutos, que o metal nacional ainda tem muita coisa boa para vingar. São quatro faixas de extrema qualidade, que já dão a esse quarteto de Espírito Santo, total autonomia para procurar alguma gravadora, para lançar um disco completo e surpreender a todos.

Line-up:
Ricardo "Those" Sarcinelli (vocal)
Marlon "Pezão" Martinelli (guitarra)
Rodrigo "Chips" Tesch (baixo)
Hugo Perazzini (bateria)

Track-list
1. Feeding the Dead
2. As Long As You Die
3. Bullets
4. VirusChrist

Contatos:
http://www.poisongod.cjb.net
poisongod@gmail.com
(27) 9947.2924




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Poison God"


Phil Anselmo: mandou um White Power mas nega ser racistaPhil Anselmo
Mandou um "White Power" mas nega ser racista

Capas de álbuns: 30 das piores artes da históriaCapas de álbuns
30 das piores artes da história

Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalGastão Moreira
A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

Marilyn Manson: Sou o monstro do Lago Ness! Sou o Bicho Papão!Marilyn Manson
"Sou o monstro do Lago Ness! Sou o Bicho Papão!"

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesCornos do Rock
A dor e o peso do chifre em três belas canções

Guns N' Roses: as dez piores músicas da bandaGuns N' Roses
As dez piores músicas da banda

Spotify: os 25 maiores sub-gêneros do MetalSpotify
Os 25 maiores sub-gêneros do Metal


Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre Fernando De Santis

Mais matérias de Fernando De Santis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336