Resenha - Catch Thirty Three - Meshuggah

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 4


Os suecos do Meshuggah vinham devendo um bom CD. Após lançarem o excelente "Chaosphere", os caras fizeram algo incompreensível como "Nothing", de 2002. A banda volta agora com tudo produzindo este "Catch Thirty Three". Resta ver se os suecos conseguiram se recuperar do fiasco do CD anterior, já que o mesmo era praticamente incompreensível. Mas as coisas não parecem começar bem, já que a banda se define como "Cyber Thrash Metal". Que porra é essa?

Sarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito maisSupergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As coisas começam bem com "Autonomy Lost". "Riffs" sintetizados dão o tom, mas a música é boa, já "Imprint of the Unsaved" nada mais é do que a continuação da primeira música! Que troço doido! E o mesmo acontece com "Disenchantment". A banda parece ter gravado a música dividindo em três partes de curta duração. Já "The Paradoxal Spiral" começa com um "riff" que se repete até entrar uma melodia a lá Sabbath/Rob Zombie totalmente incompreensível, que se repete por três músicas. Os caras piraram?

De fato não há como entender este CD, "Mind Mirror's" tem dois minutos de explosões e em seqüência um "riff" melancólico. Já "In Death - Is Life" começa bem, com uma levada cadenciada e empolgante, e é novamente dividida em 2 partes (totalizando quase quinze minutos de música) , dando lugar as pesadas "Shed" e "Personae Non Gratae", estas sim as melhores do CD, assimiláveis e cativantes. "Dehumanization" e "Sum" (as duas últimas) nada mais são do que a mesma música dividida em duas. Mas o resultado é bem superior ao que vemos no resto do CD.

Um CD confuso. Músicas boas no meio de idéias sem sentido. Algo que não dá para entender ou compreender. Como estes caras vão fazer isso ao vivo?

Site Oficial: Http://www.messuggah.net

Line Up:
Jens Kidman - Vocais
Gustaf Hielm - Baixo
Tomas Haake - Bateria
Marten Hagstrom - Guitarras
Frederick Thornendal - Guitarras

Material Cedido Por:
Nuclear Blast/Laser Company Records
São Paulo (SP)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Meshuggah"


Meshuggah: um cover impressionante feito por Leonardo DiCaprioMeshuggah
Um cover impressionante feito por Leonardo DiCaprio

Meshuggah: A linda tatuagem nas costas da modelo russa Olga BellemorMeshuggah
A linda tatuagem nas costas da modelo russa Olga Bellemor


Sarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito maisSarcófago
Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal HammerSupergrupos
Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL