Resenha - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Independente de toda esta história de "guerreiros", "bandeira do metal" e "visual de gosto duvidoso", não há como negar que os suecos do Hammerfall conquistaram fãs ao redor de todo o globo com seu Heavy Metal cheio de clichês, porém competente e que soa muito agradável. Trabalharam duro e fizeram por merecer tudo o que conquistaram.

Neste "Chapter V", basicamente tudo soa como o que Hammerfall vem fazendo desde o início de sua carreira, porém as canções estão um pouco mais variadas, incorporando algo do hard rock e algum peso extra em algumas faixas. Mas o que realmente chama a atenção é o trabalho com as vozes. Tudo foi feito muito bem planejado, possui bom gosto e não há como o ouvinte não começar a cantar durante a audição. É de se imaginar a reação da platéia nas apresentações ao vivo...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Há faixas bem interessantes, como "Secrets", com uma boa veia sinfônica; a cadência de "The Templar Flame" é perfeita, que música! A presença do hard rock mesclado com metal mostra a habilidade de Joacim em compor arranjos pegajosos em "Blood Bound" e "Hammer Of Justice" e, como é de praxe nos discos da banda, a balada emotiva se faz presente em "Never, Ever", com boas linhas vocais e passagens melódicas realmente bonitas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O ponto baixo ficou com "Fury of The Wild", onde o Hammerfall praticamente copiou o riff de "Two Minutes To Midnight", do Iron Maiden; não havia a menor necessidade disso. Outra faixa exagerada é "Knights Of The 21st Century", com mais de 12 minutos de tentativas épicas, onde nem a presença do venenoso Cronos rosnando ajuda a canção a se desenvolver de maneira realmente interessante.

Apesar de se manter tão apegado às raízes do Heavy Metal poder causar limitações criativas à banda, ainda assim digo que hoje o Hammerfall representa para a nova geração de headbangers tudo o que o Judas Priest e Iron Maiden representaram há 20 anos. E isso é muito importante para garantir ainda mais a longevidade deste estilo de música. São músicos competentes e dedicados, que vêm conseguindo colocar bons registros no mercado. É o suficiente por ora.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

HAMMERFALL - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken
(2005 – Nuclear Blast / Laser Company Records)

01. Secrets
02. Blood Bound
03. Fury Of The Wild
04. Hammer Of Justice
05. Never, Ever
06. Born To Rule
07. The Templar Flame
08. Imperial
09. Take The Black
10. Knights Of The 21st Century
11. The Metal Age (faixa-bônus ao vivo)

Homepage: www.hammerfall.net


Outras resenhas de Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall

Resenha - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Hammerfall: Oscar Dronjak toca seus riffs preferidos na guitarra (vídeo)

Hammerfall: é ridículo um show de metal com o público sentado, afirma Oscar DronjakHammerfall
é ridículo um show de metal com o público sentado, afirma Oscar Dronjak

Hammerfall: assista Any Means Necessary do novo ao vivo do grupoHammerfall
Assista "Any Means Necessary" do novo ao vivo do grupo

Hammerfall: ouça Live! Against The World, terceiro disco ao vivo da bandaHammerfall
Ouça Live! Against The World, terceiro disco ao vivo da banda

Hammerfall: lançado vídeo de 'Keep the Flame Burning" ao vivo, retirado de disco ao vivo


Metal: blog elege o melhor de 2014 em cinco belas cançõesMetal
Blog elege o melhor de 2014 em cinco belas canções

Metal Melódico: os 10 melhores álbuns dos anos 90 - Parte 1Metal Melódico
Os 10 melhores álbuns dos anos 90 - Parte 1


Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

Anette Olzon: Eu fui demitida exatamente como Tarja também foiAnette Olzon
"Eu fui demitida exatamente como Tarja também foi"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 CliHo Cli336