Matérias Mais Lidas

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagem4 hits do Deep Purple cujos riffs Ritchie Blackmore já confessou ter copiado

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemConheça o guitarrista brasileiro de 16 anos que estará no próximo clipe do Megadeth

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemA certeira visão de Penélope Nova sobre como pop "absorveu e enfraqueceu" outros estilos

imagemA inteligente estratégia de Prika para não perder gravadora na ruptura da Nervosa

imagemRob Trujillo presta tributo ao Rage Against The Machine após shows em Nova Iorque

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemComo Faustão ajudou Titãs a superar trauma da prisão de Arnaldo Antunes

imagemShow do Iron Maiden pra "pouca gente" é o favorito de Blaze Bayley

imagemSteve Grimmett: vocalista do Grim Reaper morre aos 62 anos


Stamp

Resenha - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall

Por Ben Ami Scopinho
Em 16/06/05

Nota: 8

Independente de toda esta história de "guerreiros", "bandeira do metal" e "visual de gosto duvidoso", não há como negar que os suecos do Hammerfall conquistaram fãs ao redor de todo o globo com seu Heavy Metal cheio de clichês, porém competente e que soa muito agradável. Trabalharam duro e fizeram por merecer tudo o que conquistaram.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Neste "Chapter V", basicamente tudo soa como o que Hammerfall vem fazendo desde o início de sua carreira, porém as canções estão um pouco mais variadas, incorporando algo do hard rock e algum peso extra em algumas faixas. Mas o que realmente chama a atenção é o trabalho com as vozes. Tudo foi feito muito bem planejado, possui bom gosto e não há como o ouvinte não começar a cantar durante a audição. É de se imaginar a reação da platéia nas apresentações ao vivo...

Há faixas bem interessantes, como "Secrets", com uma boa veia sinfônica; a cadência de "The Templar Flame" é perfeita, que música! A presença do hard rock mesclado com metal mostra a habilidade de Joacim em compor arranjos pegajosos em "Blood Bound" e "Hammer Of Justice" e, como é de praxe nos discos da banda, a balada emotiva se faz presente em "Never, Ever", com boas linhas vocais e passagens melódicas realmente bonitas.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O ponto baixo ficou com "Fury of The Wild", onde o Hammerfall praticamente copiou o riff de "Two Minutes To Midnight", do Iron Maiden; não havia a menor necessidade disso. Outra faixa exagerada é "Knights Of The 21st Century", com mais de 12 minutos de tentativas épicas, onde nem a presença do venenoso Cronos rosnando ajuda a canção a se desenvolver de maneira realmente interessante.

Apesar de se manter tão apegado às raízes do Heavy Metal poder causar limitações criativas à banda, ainda assim digo que hoje o Hammerfall representa para a nova geração de headbangers tudo o que o Judas Priest e Iron Maiden representaram há 20 anos. E isso é muito importante para garantir ainda mais a longevidade deste estilo de música. São músicos competentes e dedicados, que vêm conseguindo colocar bons registros no mercado. É o suficiente por ora.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

HAMMERFALL - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken
(2005 – Nuclear Blast / Laser Company Records)

01. Secrets
02. Blood Bound
03. Fury Of The Wild
04. Hammer Of Justice
05. Never, Ever
06. Born To Rule
07. The Templar Flame
08. Imperial
09. Take The Black
10. Knights Of The 21st Century
11. The Metal Age (faixa-bônus ao vivo)

Homepage: www.hammerfall.net


Outras resenhas de Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall

Resenha - Chapter V: Unbent, Unbowed, Unbroken - Hammerfall

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metal Injection: 20 álbuns que completam 20 anos em 2017

Power Metal: As bandas mais populares segundo o Facebook

Baixista Magnus Rosén quase morre durante vôo rumo à América do Sul

Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield chorarem

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.