Resenha - Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Putz, quem sabe, sabe... Bruce Dickinson tem um dom e sabe utilizá-lo como poucos dos cantores que se escuta por aí. “Tyranny Of Souls”, seu sexto álbum de estúdio, foi totalmente composto por Bruce e Roy Z, numa parceria que vem dando certo há tempos, contando ainda que Roy cuidou novamente da produção, feita em Los Angeles, EUA.
11 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosAfinal de contas, o que é um riff?

Os esforços de Bruce Dickinson em sua carreira solo geraram ótimas canções, em especial nos discos “Accident Of Birth” (1997) e “The Chemical Wedding” (1998). Agora, sete anos depois deste último, “Tyranny Of Souls” vem apresentar a mesma fórmula destes dois já citados trabalhos. Possui a sujeira do ‘Chemical’ e algo das melodias do ‘Accident’ e é, em minha opinião, seu melhor registro solo.

Apaixonado pela história, suas letras continuam explorando teologia e alquimia, tudo de maneira obscura. Toda a concepção gráfica tem este direcionamento, o encarte é repleto de ilustrações seculares, onde o demônio é o foco principal, inclusive a arte da capa é de 1485, pintada por Hans Menling, que nos brinda com um diabo bem bizarro.

As composições são bem variadas, algumas com bases realmente muito pesadas e velozes, com riffs totalmente power metal, como em “Abduction” e ”Soul Intruders”. Mesmo com toda sua distorção, os refrão são repletos de melodias belíssimas. O momento para se respirar vem com a faixa lenta e semi-acústica "Navigate The Seas Of The Sun”, onde é claro o exemplo de como as baladas metálicas são bonitas e cheias de energia. E não fica só nisto, são dez faixas excelentes, repletas de ótimas guitarras com solos inacreditáveis.

Finalizando, obviamente que é completamente desnecessário comentários sobre a voz excepcional de Dickinson. Mas muitos podem negligenciar Roy Z, cujo trabalho em “Tyranny Of Souls” ficou perfeito, deste seus riffs, os magníficos e já citados solos, além da participação nas composições e produção. Vale mencionar ainda como foi importante seu papel com outras feras, como Judas Priest, Halford, Helloween, Masterplan, etc, etc.

P.S. – nos créditos deste disco cita-se o tecladista ‘Maestro Mistheria’. Se alguém aí souber quem diabos é este elemento, favor avisar-me...

BRUCE DICKINSON - Tyranny of Souls
(2005 – Century Media)

01 – Mars Within (intro)
02 – Abduction
03 – Soul Intruders
04 – Kill Devil Hill
05 – Navigate The Seas Of The Sun
06 – River Of No Return
07 – Power Of The Sun
08 – Devil On A Hog
09 – Believil
10 – A Tyranny Of Souls

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson

3431 acessosResenha - Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson5000 acessosResenha - Tyranny of Souls - Bruce Dickinson5000 acessosTradução - Tyranny Of Souls - Bruce Dickinson

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

11 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores344 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Hit ParaderHit Parader
Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revista

Iron MaidenIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

Iron MaidenIron Maiden
Fãs não estão preparados para "Empire of The Clouds"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bruce Dickinson"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

RiffRiff
Afinal de contas, o que é um? E qual a sua receita?

MotorheadMotorhead
"Radiohead e Coldplay não são rock"

Drogas e ÁlcoolDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história5000 acessosReligião: os rockstars que se converteram5000 acessosAs I Lay Dying: Banda cristã explica a proximidade com o Behemoth5000 acessosW.A.S.P.: o casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!5000 acessosGuns N' Roses: dez coisas que podem micar a reunião5000 acessosBlack Sabbath: Análise vocal de Ozzy Osbourne

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online