Matérias Mais Lidas

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemO arrependimento que David Bowie carregava em relação a Elvis Presley

imagemMetallica e as músicas fantásticas que sempre ficam escondidas nas playlists

imagemA reação do pai de Neil Peart quando ele se juntou ao Rush

imagemRick Wakeman relembra época em que o Yes abria show para o Black Sabbath

imagemCinco músicas lançadas após o ano 2000 que se tornaram clássicos do rock - Parte III

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagemTestament está confirmado na edição brasileira do Summer Breeze, segundo jornalista

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemLed Zeppelin: O motivo pelo qual Jimmy Page não gosta de "All My Love"

imagemShow do Dream Theater em São Paulo não será mais realizado no Pavilhão Pacaembu

imagem4 hits do Deep Purple cujos riffs Ritchie Blackmore já confessou ter copiado

imagemCinquenta grandes músicas lançadas por bandas de rock e heavy metal em 2022

imagemA reação de Stevie Ray Vaughan ao ouvir Jimi Hendrix pela primeira vez

imagemTitãs: como surgiu o título do hit "Bichos Escrotos", segundo Nando Reis


2022/08/18
Stamp

Resenha - Off Line - Nerved

Por Thiago Sarkis
Em 19/02/05

Nota: 9

Quando escutei o Nerved pela primeira vez, eles não haviam sequer lançado um disco. Creio que foram alguns minutos de samples de várias músicas. Deste primeiro contato com a banda, algo que ainda reluz é o nome "Audioslave" retumbando em minha mente. Desde então, espero pelo lançamento de um álbum completo do grupo, e finalmente está no mercado o aguardado "Off Line".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

As doze faixas presentes só confirmam que eles são de fato os representantes suecos da intensidade do fantástico rock ‘n’ roll da banda de Chris Cornell e Tom Morello. A música te captura, há um estado de êxtase recorrente.

Guitarras pesadas, uma base rítmica poderosa, e os vocais únicos de Emil Gammeltoft. É aquele clássico tipo de voz que você provavelmente estranhará numa primeira audição, mas que vai se acostumando com o tempo e vendo que não poderia ter outro músico no lugar dele. Como Ozzy para o Black Sabbath, King Diamond no Mercyful Fate, Lemmy e Motörhead.

O Nerved teve ainda a inteligência de realçar as vocalizações de Emil em passagens nas quais toda a banda pára e apenas ele segue cantando e impulsionando a música, até os incríveis retornos de guitarra, bateria e baixo. Ultra explosivo!

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

"Stroke It Up", "Believe In Me", "Crystal Ball" e "Scars", grandes destaques, podem também rememorar a fase mais hard rock do Saxon, e o estilo também ímpar de Biff Byford.

Entre outras coisas, o conjunto conta com a participação de Manny Charlton do Nazareth, admirador confesso do Nerved, solando na ‘funky’ "Expect No Mercy".

As duas "Intermissions", pequenas faixas de um e minuto e meio em média, são os únicos pontos fracos do disco, pois dão uma parada no ritmo pulsante da banda e isso não pode acontecer aqui, de maneira alguma. Se há algo que o Nerved sabe fazer é rock, e enérgico, e não há tempo para qualquer outro experimento. "Off Line" é uma estréia magnífica, como todos aqueles que os ouviram anteriormente já ansiavam.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Lançado pela Sony Music no exterior - 2004

Site Oficial – http://www.nerved.com

Emil Gammeltoft (Vocais)
Marcus Hanser (Guitarras)
Magnus Stenvinkel (Baixo)
Björn Lundberg (Bateria)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

2022/07/09


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Power Metal: os dez álbuns essenciais do gênero

Andreas Kisser: "Eloy Casagrande talvez não seja humano"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.