Resenha - World That We Drive Through - Tangent

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


Na resenha do debute do The Tangent, "The Music That Died Alone", afirmei: "estes músicos, a partir de 'The Music That Died Alone', podem colocar um asterisco em suas discografias particulares antes do nome de 'The Tangent', pois foi neste grupo que lançaram o melhor álbum de suas carreiras. Um trabalho irretocável!". Pensei sinceramente que aquele seria o limite. Não só eu, como o próprio Andy Tillison que chegou a dizer que nem se eles compusessem as melhores músicas da história receberiam a mesma resposta positiva de fãs e imprensa. Erramos, ambos!

Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockRamones: Perguntas e respostas e curiosidades

O The Tangent não só gravou novamente composições grandiosas, como conseguiu, inacreditavelmente, superar o lançamento anterior. Apesar dos dois álbuns lançados por este super grupo não merecerem comparações, é verdade, eu sei! Obras-primas simplesmente.

Este segundo, "The World That We Drive Through", ganha por pequenos detalhes. Pra começar, o prog rock clássico mais acentuado, que é exatamente aquilo que estes músicos sabem fazer melhor. Também a adição do impressionante Theo Travis no saxofone e na flauta, dando outra nuance às músicas, especialmente àquelas épicas como a "The Winning Game", "A Gap In The Night" (dezoito minutos de duração), e a faixa-título. Com este músico sensacional o The Tangent recebeu uns toques dos áureos arranjos do Focus, conjunto holandês liderado pelo legendário Thijs Van Leer.

Primeira linha em termos estruturais, rítmicos e da composição em si, verdadeiros maestros juntos por um só objetivo, resgatar o espírito do rock progressivo com originalidade.

Talvez este CD seja o mais recomendado do grupo àqueles que admiram a vertente metal do estilo, e não têm os ouvidos tão acurados ao aparentemente suave do prog rock.

Se eu quisesse ser rigoroso ao extremo, passaria o resto da vida tentando achar alguma falha em "The World That We Drive Through". Não é minha intenção e, realmente, perante uma obra com essa, só resta ouvir e deixar o queixo cair.

Lançado pela InsideOut e InsideOut Music America - 2004

Site Oficial - http://www.thetangent.org

Andy Tillison (Vocais - Teclados)
Roine Stolt (Vocais - Guitarras)
Sam Baine (Teclados - Vocais)
Guy Manning (Violões - Vocais)
Theo Travis (Saxofone - Flauta)
Jonas Reingold (Baixo)
Zoltan Csorsz (Bateria)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Tangent"


Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock

Ramones: Perguntas e respostas e curiosidadesRamones
Perguntas e respostas e curiosidades

New York Times: os 100 melhores covers de todos os temposNew York Times
Os 100 melhores covers de todos os tempos

Black Sabbath: Tony Iommi explica diferença entre Dio e OzzyBlack Sabbath
Tony Iommi explica diferença entre Dio e Ozzy

Blasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusBlasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

O Exorcista: a relação de músicas do Purple e Ozzy com o filmeO Exorcista
A relação de músicas do Purple e Ozzy com o filme

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.