Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemJoão Gordo se reencontra com o amigo Iggor Cavalera; "Agora falta zerar com o vovô"

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemO hit de Nando Reis inspirado em clássico do Led Zeppelin e na relação com sua mãe

imagemJimmy Page conta como convenceu Robert Plant a formar o Led Zeppelin

imagemPaul Di'Anno recebe ajuda de Derek Riggs para angariar fundos

imagemA música do Black Sabbath favorita de Frank Zappa

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemA opinião de Robb Flynn do Machine Head sobre o retorno do Pantera

imagemKing Diamond fala sobre retorno do Mercyful Fate; "Isso não é uma reunião"


Dream Theater 2022

Resenha - World That We Drive Through - Tangent

Por Thiago Sarkis
Em 19/02/05

Nota: 10

Na resenha do debute do The Tangent, "The Music That Died Alone", afirmei: "estes músicos, a partir de ‘The Music That Died Alone’, podem colocar um asterisco em suas discografias particulares antes do nome de ‘The Tangent’, pois foi neste grupo que lançaram o melhor álbum de suas carreiras. Um trabalho irretocável!". Pensei sinceramente que aquele seria o limite. Não só eu, como o próprio Andy Tillison que chegou a dizer que nem se eles compusessem as melhores músicas da história receberiam a mesma resposta positiva de fãs e imprensa. Erramos, ambos!

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O The Tangent não só gravou novamente composições grandiosas, como conseguiu, inacreditavelmente, superar o lançamento anterior. Apesar dos dois álbuns lançados por este super grupo não merecerem comparações, é verdade, eu sei! Obras-primas simplesmente.

Este segundo, "The World That We Drive Through", ganha por pequenos detalhes. Pra começar, o prog rock clássico mais acentuado, que é exatamente aquilo que estes músicos sabem fazer melhor. Também a adição do impressionante Theo Travis no saxofone e na flauta, dando outra nuance às músicas, especialmente àquelas épicas como a "The Winning Game", "A Gap In The Night" (dezoito minutos de duração), e a faixa-título. Com este músico sensacional o The Tangent recebeu uns toques dos áureos arranjos do Focus, conjunto holandês liderado pelo legendário Thijs Van Leer.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Primeira linha em termos estruturais, rítmicos e da composição em si, verdadeiros maestros juntos por um só objetivo, resgatar o espírito do rock progressivo com originalidade.

Talvez este CD seja o mais recomendado do grupo àqueles que admiram a vertente metal do estilo, e não têm os ouvidos tão acurados ao aparentemente suave do prog rock.

Se eu quisesse ser rigoroso ao extremo, passaria o resto da vida tentando achar alguma falha em "The World That We Drive Through". Não é minha intenção e, realmente, perante uma obra com essa, só resta ouvir e deixar o queixo cair.

Lançado pela InsideOut e InsideOut Music America - 2004

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Site Oficial – http://www.thetangent.org

Andy Tillison (Vocais – Teclados)
Roine Stolt (Vocais – Guitarras)
Sam Baine (Teclados – Vocais)
Guy Manning (Violões – Vocais)
Theo Travis (Saxofone – Flauta)
Jonas Reingold (Baixo)
Zoltan Csorsz (Bateria)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Gibson: os 50 melhores covers da história do rock

Nirvana: Dave Grohl comenta sobre o funeral de Kurt Cobain


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.