Matérias Mais Lidas

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemPrika Amaral diz que fica feliz com o sucesso alcançado banda Crypta

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemFãs de Stranger Things do Tik Tok querem cancelar o Metallica

imagemDavid Ellefson diz que você conhece seus amigos quando a m*rda bate no ventilador

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemGuitarrista do Skid Row diz que não fala com Sebastian Bach e não pensa em fazer pazes

imagemArtigo na Far Out Magazine aponta James Hetfield como pior letrista da história do metal

imagemFloor Jansen diz que achou que não fosse conseguir cantar nova música do Avantasia

imagemResenha - Max e Iggor Cavalera (Audio, São Paulo, 07/08/2022)

imagemAnthrax cancela mais um show que seria realizado no Texas


Dream Theater 2022

Resenha - Legião Urbana - Legião Urbana

Por Maurício de Almeida (Maquinário)
Em 21/12/04

O punk, como movimento musical, começou a dar as caras em meados de 1976 quando Malcon McLaren voltava à Inglaterra depois de uma temporada com o New York Dolls, nos Estados Unidos. Nessa temporada, McLaren já sacou o pequeno movimento que surgia em torno do hoje conhecido CBGB's, bar em Nova Iorque, com bandas como Ramones e Blondie. Ao voltar à sua terra natal, procurou alguns caras que estivesse a fim de montar uma banda para que ele fosse o empresário, pois via naquele "movimento punk" um poduto pop que renderia, se bem utilizado, bons frutos. Formou-se o Sex Pitols, e daqui pra frente vocês já sabem a história.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O negócio foi que, assim como em São Paulo e no Rio de Janeiro, os ecos do punk já eram ouvidos em Brasília. Fitas e discos de bandas como as citadas acima (ou ainda Clash, Buzzcocks) eram trazidos de lá de fora e pelos filhos dos embaixadores, professores da UnB e afins que passavam tardes e tardes ouvindo e discutindo os tais discos, bebendo uma cerveja e/ou fumando um baseado. O próximo - e óbvio - passo era montarem suas próprias bandas. E desse fato surgiram inúmeras histórias que hoje são de conhecimento de muita gente. Por isso vamos direto a ele, o Aborto Elétrico.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A princípio a formação do Aborto Elétrico era: Renato Russo no baixo e voz, André Pretoruis na guitarra e Fê Lemos na bateria. Desde seus primórdios a idéia era ser uma banda séria, e, por quê não, politizada. Logo após o primeiro show, André Pretorius abandona o grupo, e em seu lugar entra Flávio Lemos no baixo, deixando as guitarras a cargo de Renato. Essa é a formação clássica da banda, e é nessa formação que surge a lendária história de que, após mostrar a música "Química" para a banda, o baterista Fê Lemos, não gostando da letra infantil, da falta de engajamento político por parte de Renato, lhe atira as baquetas. Este, ofendido, sai da banda, dando início a sua fase folk, passando a ser conhecido como o "Trovador Solitário".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lendas à parte, Renato pernamece como o Trovador Solitário até chamar o baterista da banda SLU (Serviço de Limpeza Urbana), Marcelo Bonfá, para montar a Legião Urbana. Mantendo a seriedade que tinha no A.E., Renato ainda é quem escreve as letras e após a entrada e saída de inúmeros guitarrista, a formação básica que se fechou para a gravação do primeiro disco foi: Renato Russo - voz, Marcelo Bonfá - bateria, Dado Villa-Lobos - guitarra e Renato Rocha - Baixo.

"Legião Urbana" foi gravado entre Outubro e Dezembro de 1984, sendo lançado em Janeiro de 1985. Até hoje, o disco já vendeu 710 mil cópias, sendo que antes de entrar em catálogo, sua vendagem foi de 50 mil cópias. As músicas que compõem esse disco são basicamente as mesmas do repertório do A.E., mesmo com o fato de que as composições dessa banda foram divididas entre o Capital Inicial e a Legião Urbana.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ainda sob o lema "do it yourself", notamos no disco a maioria das características que formaram musicalmente tanto Renato quanto a Legião: canções cruas e rápidas, letras voltadas a crítica de costumes ("A Dança") e crítica políticas ("Geração Coca-Cola", "O Reggae"). Ou seja, o punk ainda estava bem presente nesse disco, mas já eram notadas características marcantes do "pós-punk" como, por exemplo, o clima meio sombrio de "Ainda é cedo". Outros temas como sexualidade já eram percebidos em músicas como "Soldados" e "Teorema" (!). Segundo o próprio Renato, "Teorema" é sobre sexo oral, mas devido as circunstâncias da época, era impossível deixar a música explícita. É certo que o Brasil havia acabado de se livrar do regime militar, mas conforme Renato, "ainda era cedo" para se tratar de tais assuntos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre as músicas do disco, talvez mereça destaque "Geração Coca-Cola", uma crítica clara aos vinte anos do regime militar ("Depois de vinte anos na escola" se refere ao período em que o regime militar ficou no poder, e a música continua "Não é difícil aprender/Todas as manhas do seu jogo sujo". Mais claro, impossível), "Baader-Meinnhof Blues", citação direta a um grupo terrorista alemão da década de 70, "Teorema", recentemente regravada pelo Ira! e a bela "Por enquanto", com uma das melhores letras de Renato até então.

Legião Urbana, como a maioria dos primeiros discos dessa "geração anos oitenta", tem uma qualidade de gravação ruim, e as músicas eram basicamente as mesmas do repertório de shows. Mas nesse primeiro disco, a Legião Urbana já deixa claro as principais características da banda, e são essas que eles desenvolveram e aprimoraram em seus discos posteriores.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

O hit da Legião Urbana cuja letra fala sobre esperança de Renato em se curar da AIDS

O incômodo de Renato Russo com o rótulo de "compositor de músicas tristes"

O hit da Legião Urbana que Renato compôs para Marisa Monte e fala sobre pureza

O clássico da Legião que Renato disse ser "primeira com sensibilidade mais gay"

O hit da Legião Urbana inspirado em Dalí e acusado por Folha de não fazer sentido

A resposta dos Titãs após Renato Russo questionar single "difícil para a rádio"

O clássico da Legião que Renato brigou no estúdio porque ninguém estava tocando direito

Como Bruce Springsteen inspirou o clássico "Será" da Legião Urbana

O hit da Legião que Renato fez para sua 1ª paixão e título tem erro conceitual

A arriscada escolha do Titãs que Renato Russo não entendeu, mas eles estavam certos

O hit que Renato Russo queria em trilha de "Pantanal", mas acabou em "Rainha da Sucata".

A opinião de Paulo Ricardo sobre Cazuza e por que ele era diferente de Renato Russo

O clássico que Legião Urbana compôs para se afastar de rótulo de banda de dois acordes

O clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

A curiosa história da maior música da Legião Urbana (que não é "Faroeste Caboclo")

A visão de Renato Russo sobre o respeito aos diferentes aspectos da sexualidade

Legião Urbana: semelhanças com faixas dos Ramones e Stooges?

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino