Resenha - Silent Room - Nightmare

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clóvis Eduardo
Enviar Correções  


Há quem diga que discos conceituais podem ser chatos e repetitivos, mas há quem diga que os mesmos discos são apreciáveis pela inteligência e abrangência de alguns pontos intrínsecos. Eu acredito que criar histórias e "musicá-las" não seja tarefa para qualquer cabeça. E acredito, que poucos dos que já se aventuraram, foram bem sucedidos.

publicidade

O que a banda Nightmare conseguiu não é um disco excelente, mas palmas sejam dadas às letras e melodias que são muito legais e originais. A banda é formada por Jo Amore (vocais), Alex Hilbert (guitarras, teclados), Nicolas De Dominicis (guitarra), Yues Campion (baixo) e David Amore (bateria). O cd Silent Room é uma demonstração de técnica, entrosamento e garra com músicas muito bem feitas, e uma temática interessante. Trata-se de um ótimo disco conceitual

publicidade

Esta banda esbanja arrojo. O vocal é inspiradíssimo e se dá bem em todos os tons desejáveis, e os solos de guitarra são grandiosos. Sem dúvida o ponto alto do disco é a técnica e a versatilidade desta banda francesa que mescla elementos tradicionais e progressivos. Os instrumentos estão bem mixados e encaixados. Há uma grande participação de corais em alguns refrões, tornando-os mais cheios e bonitos.
O conceito do cd é dividido em capítulos. Idéias como vivências da realidade são postas à prova. O ouvinte sente-se transportado para uma atmosfera mais inebriante, ressaltados pela ótima participação do vocalista Amore. A faixa Shades in The Night é um belo exemplo.

publicidade

As músicas destaques ficam por Paranormal Magnitude, Travel in the Spheres of Dreams, Virtual Freedom e a faixa título, com uma abertura bastante empolgante. É evidente que todas as músicas, apesar da temática e imagem do cd ser carregada, possuem uma energia muito positiva, sendo enaltecido pelas passagens de teclado. A capa bastante chamativa dá um tom mais forte para toda a produção.

publicidade

Apesar de tradicional, e com muitas pitadas de ecletismo instrumental, A banda deu um chute certeiro contra a mesmice que alguns "conceitos" estão esbanjando por aí.

Hellion Records




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metallica: a habilidade com as baquetas de James HetfieldMetallica
A habilidade com as baquetas de James Hetfield

Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?


Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin