Resenha - Reason - Hoobastank

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Raphael Crespo
Enviar correções  |  Ver Acessos


De bandas melódico-barulhentas e de rock alternativo, o mundo está cheio. A melodia, nesses casos, fica mais ressaltada na presença de um bom vocalista e em uma ou outra música mais calma, enquanto as guitarras sujas e algumas batidas desconexas da bateria dão o tom 'noise', ora punk, ora modernoso. Nessa linha, são poucas as bandas que se destacam. A maior delas é o Incubus. O Hoobastank é uma espécie de filhote desse estilo, mas já começa a sobressair, com grande qualidade em sua música, e tem em The Reason seu mais recente lançamento.

Rockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos paisHeavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo

A banda surgiu há 10 anos, formada por moleques de Agoura Hills, subúrbio de Los Angeles, depois de uma 'batalha de bandas' de high-school (espécie de segundo grau nos EUA), quando o ótimo vocalista Doug Robb conheceu o guitarrista Dan Estrin. O baixista Markku Lappalainen e o baterista Chris Hesse foram recrutados e o Hoobastank segue com a mesma formação até hoje.

A capa de The Reason, com uma foto ultra-clean, mais adequada a um disco do pop-motel da Sade, ou do new age da Enya, pode causar uma impressão errada nos mais desavisados. Mas, o refrão quase punk rock de Same direction, faixa de abertura, com uma guitarra pesadíssima, já faz a impressão errada se dissipar: ''... And I'm not sure wich way to go, because all along, we've been going in the same direction''.

Depois de um excelente início, qualquer banda ganha o ouvinte. Mas, não adianta a conquista, se a qualidade não for mantida. E o Hoobastank mantém o pique. Logo na sequência, Out of control aparece com uma levada meio ska e um refrão furioso. What happened to us? quebra um pouco o peso, assim como Let it out e From the heart, que começa balada e tem um ou outro momento de guitarras distorcidas. The Reason é barulho e melodia prendendo a atenção da primeira à última faixa.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Hoobastank"


Rockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos paisRockstars
Filhos de roqueiros seguindo os passos dos pais

Heavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estiloHeavy Metal
5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo


Sobre Raphael Crespo

Raphael Crespo é jornalista, carioca, tem 25 anos, e sempre trabalhou na área esportiva, com passagens pelo jornal LANCE! e pelo LANCENET!. Atualmente, é editor de esportes do JB Online, mas seu gosto por heavy metal o levou a colaborar com a seção de musicalidade do site do Jornal do Brasil, com críticas de CDs e algumas matérias especiais, que também estão reunidas em seu blog (http://www.reviews.blogger.com.br). Sua preferência é pelo thrash metal oitentista, mas qualquer coisa em termos de som pesado é só levantar na área que ele mata no peito e chuta. Gosta também de outros tipos de som, como MPB, jazz e blues, mas só se atreve a escrever sobre o que conhece melhor: o metal.

Mais matérias de Raphael Crespo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336