Resenha - 12:5 - Pain Of Salvation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

9


Há de ser muito ponderado o crítico que quiser falar do Pain Of Salvation. Como este não é o meu forte, esperei a poeira baixar para escrever sobre o álbum. Sair dando nota máxima para o disco seria moleza, afinal são diversas as estruturas geniais espalhadas por todo "12:5". Porém, é uma performance ao vivo, existem detalhes (exemplo: violões trastejando, algumas vocalizações) que poderiam ser melhorados e devemos levar isso em conta. Bom, vamos lá.

Pain of Salvation: confira vídeo oficial de "Restless Boy", nova música da banda

Rock: A história dos primórdios aos anos 90

O grupo sempre trabalhou com estilos e influências em margens de segurança realmente pequenas. Arriscam muito, e a probabilidade de más recepções para seus discos é mais que sabida pelos integrantes. "12:5" é decerto um lançamento onde a cara de Daniel Gildenlöw está exposta, pronta para ser esbofeteada. Contudo, parece impossível passar a este ato, pois eles não dão uma bola fora sequer.

Este acústico transformou músicas, apresentou novos formatos, atualizou a mensagem que cada uma delas passa, e deu MUITO certo. Erros são verificáveis, mas a genialidade é comprovada novamente.

Depois de toda a polêmica da atitude e declarações de Gildenlöw sobre a guerra no Iraque no site oficial do conjunto, "Winning A War" ganha uma introdução arábica. Uma conciliação excepcional que em poucas notas diz o suficiente e responde aos desafetos. Pode apostar, tem americano chorando por ter jogado no lixo ou colocado à venda os álbuns do Pain Of Salvation em faniquitos subseqüentes ao protesto de Daniel.

Outro momento mágico está em "Genesinister", na segunda parte das "Brickworks", mais especificamente a faixa 15, "IX". A descrição detalhada tem razão. Não se trata, em outras palavras, de "Ashes". É uma verdadeira obra de gênio renascentista. Um músico que conseguiu notar nas cinzas de uma música carregada, e liricamente sombria, um campo para interpretação "soul", num romântico sem pieguices.

12:5 tem mais dois fatores importantíssimos: o quão indispensáveis são os demais integrantes da banda, em especial Johan Hallgren e Fredrik Hermansson; fato nunca dantes tão claro. E a abertura para novas compreensões e análises da história e das composições do Pain Of Salvation. Tudo recomeça com "Be", e não hei de perder um capítulo do que está a caminho.

Site Oficial – http://www.painofsalvation.com

Daniel Gildenlöw (Vocais – Violões)
Johan Hallgren (Violões – Vocais)
Fredrik Hermansson (Teclados)
Kristoffer Gildenlöw (Baixo – Vocais)
Johan Langell (Bateria – Vocais)

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua 24 de Maio, 62 – Lojas 280 / 282 / 308 – Centro.
São Paulo – SP – BRASIL
CEP: 01041-900
Tel: (11) 5083-2727 / 5083-9797 / 5539-7415
Fax: (11) 5549-0083
Email: [email protected]


Outras resenhas de 12:5 - Pain Of Salvation

Resenha - 12:5 - Pain Of Salvation




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pain of Salvation: confira vídeo oficial de "Restless Boy", nova música da banda

Pain Of Salvation: banda sueca lança vídeo de "Accelerator", música do próximo álbum

Pain Of Salvation: novo álbum anunciado para Agosto


Prog Metal: os 10 discos essenciais segundo o TeamRockProg Metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock

Arte Gráfica: Designer brasileiro cria versões para clássicosArte Gráfica
Designer brasileiro cria versões para clássicos


Rock: A história dos primórdios aos anos 90Rock
A história dos primórdios aos anos 90

Metallica: prejudicando as finanças da Igreja UniversalMetallica
Prejudicando as finanças da Igreja Universal


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin