Resenha - X Dark Years - Dark Avenger

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Richard Navarro
Enviar Correções  

9


Este novo registro do Dark Avenger teve lançamentos praticamente simultâneos no Brasil, Japão e Europa, onde já rendeu excelentes críticas, como no site alemão Just for Kicks(http://www.justforkicks.de), onde o álbum alcançou a 5a. Posição no Top Ten Chart, ficando atrás apenas de bandas consagradas, como Iced Earth (The Glorious Burden).

publicidade

No Brasil, a primeira prensagem do EP X Dark Years leva duas grandes diferenças. A primeira é que tem uma música a mais, pois leva um cover do Manowar como bônus, deixando esta versão do EP com mais de 35 minutos de duração. A segunda, é que trata-se de uma prensagem promocional especial e limitada em 1000 cópias, exclusiva para o evento do dia 20/12/2003 produzido pela Heavy Melody Produções na Ledslay/SP, e portanto, não poderá ser adquirido ou comercializado separadamente, senão junto ao ingresso de tal evento.

publicidade

Abrindo o EP, temos Dark Avenger 2003, uma versão totalmente revisada da original gravada no álbum de estréia em 1995 e que dá nome à banda. Grande escolha, uma vez que a música, sem dúvida nenhuma, é uma das mais poderosas daquele debut. Essa releitura ganha uma nova interpretação do excepcional vocalista Mário Linhares, único membro remanescente da formação clássica da banda, e apresenta elementos progressivos na introdução e orquestrais no final, mostrando que a banda hoje sabe trilhar todas as vertentes do Heavy Metal. Nessa versão, os novos arranjos tornam a música mais pesada e muito mais harmoniosa, contando a história de Caronte, o barqueiro que leva as almas dos mortos para um dos nove giros do inferno e que se auto-intitula o "vingador negro".

publicidade

Na seqüência temos a belíssima Symphonic Caladvwch, uma versão orquestrada para a música Caladvwch, lançada originalmente no álbum Tales of Avalon(2001). Totalmente reescrita e rearranjada pelo talentosíssimo tecladista Thomaz Galuf, Symphonic Caladvwch, contou com a participação de integrantes da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília e foi a primeira grande experiência do Dark Avenger com orquestração, que por sinal ficou majestosa e conferiu ainda maior feeling e profundidade que a versão plugada de 2001. Os violinos, as violas e violoncelos dão o toque clássico dessa versão e a harpa resgata o toque místico que a música leva na versão original. Uma história de dor, fé e esperança, fala de todo amor e fé que o jovem Rei Arthur têm nos seus Cavaleiros da Távola Redonda e na sobrevivência de Camelot diante da invasão do inimigo.

publicidade

A próxima música, Uther Evil, é totalmente inédita e deverá constar na segunda parte da saga Tales of Avalon(The Lament), uma vez que faz parte da mesma temática conceitual. A música se divide em duas partes nos seus mais de 8 minutos de duração: "Delirious", que leva belíssimos arranjos de piano clássico criados pelo já citado Thomaz Galuf, conferindo-a cadência, dramaticidade e preparando para "Tragedy", quando ganha andamento, pegada e a furiosa interpretação de Linhares, destacando também os solos e incrível trabalho instrumental, que acompanha a música até o final, destacando a grande performance dos guitarristas Hugo Santiago e Marcus Valls.

publicidade

Seguindo, temos a furiosa Unleash Hell, outra totalmente inédita, uma verdadeira paulada baseada nas primeiras cenas do filme Gladiador, mas precisamente no personagem do general Maximus. Uma música muito forte, pesada e raivosa, que fala de força, honra, amor e esperança, ainda que narrada em meio a uma batalha e tocada a uma velocidade alucinante. Novamente se destaca o afiado instrumental e a inspirada interpretação de Linhares, além da cozinha marcante formada pelo baixista G Zus e pelo grande batera Rafael Dantas, que gravou todo este EP, mas recentemente cedeu seu posto a Acácio Carvalho, tão competente quando seu antecessor..

publicidade

Fechando essa prensagem especial do EP, temos um bônus exclusivo para esta edição brasileira do EP, uma fantástica versão para o clássico Dark Avenger, retirada do tributo italiano ao Manowar, lançado no Brasil pela Megahard Records. Esta música foi a que inspirou o nome do grupo brasiliense, que sempre assumiu ter sido muito influenciado pelo Manowar. Além de registrar a merecida homenagem, esta foi a primeira experiência com a nova formação do Dark Avenger em estúdio, o que tem um significado todo especial e teve um resultado excepcional, que certamente orgulharia Joe de Maio & Cia. O instrumental está maravilhoso e a interpretação de Linhares é um show a parte. Como a música é bastante arrastada e cadenciada, levando vocais graves e médios numa boa parte, esta faixa encerra o álbum mostrando outra faceta do Dark Avenger. A propósito, segundo a própria crítica especializada internacional, o grupo brasiliense foi de longe a melhor atuação no tosco tributo italiano ao Manowar, que além do Dark Avenger trazia apenas outra banda brasileira, o Liar Symphony, que por sinal foi também uma das únicas a honrar sua participação e homenagear o Manowar com a devida dignidade e respeito.

publicidade

Embora o segundo álbum do Dark Avenger(Tales of Avalon - The Terror) tenha sido lançado apenas em 2001, após a polêmica quebra da formação original da banda(2000), os dois únicos registros anteriores em estúdio haviam sido gravados pela antiga formação, o que causava uma grande expectativa e insegurança em relação ao futuro do Dark Avenger, se Mário Linhares e seus novos companheiros iriam ou não manter o nível e direcionamento musical que projetou a banda, uma vez o antigo guitarrista Leonel Valdez(ainda amigo de Linhares), era responsável por pelo menos metade das composições do Dark Avenger. Depois de todas as polêmicas e dificuldades que a banda enfrentou no segundo semestre de 2000, com a mudança de formação e a disputa judicial pelo uso do nome da banda, os inúmeros problemas com antigos empresários e gravadoras, que nunca trabalham a banda devidamente, impedindo que o Dark Avenger decolasse e estivesse já num mesmo patamar que o Angra(por exemplo), podemos dizer que este EP é uma grande vitória.

Além de comemorar os 10 anos de conquistas e sobrevivência da banda, X Dark Years vem provar que o Dark Avenger não apenas manteve o nível e o estilo que o projetou, mas que o instrumental e a composição estão ainda mais poderosos e complexos, o entrosamento e a união na banda mais forte que nunca e que o estupendo vocalista Mário Linhares é definitivamente a alma do Dark Avenger. Aliás, além de cantar como nunca, ele também assina a bela capa deste EP, onde um X(representando os 10 anos) separa cada fase da banda em cada quadrante com as respectivas capas: da demo-tape, da primeira prensagem do debut, da segunda(com o famoso leão e o bônus Morgana) e a da primeira parte do Tales of Avalon.

Se você é fã do Dark Avenger, curte Metal nacional ou é adepto de um Heavy Metal feito com honestidade, personalidade e livre de rótulos ou modas, vale a pena adquirir o ingresso do evento e levar este super EP de brinde, pois por enquanto é a única maneira de encontrar no Brasil este novo registro do Dark Avenger, que independente de gosto pessoal, preferência ou críticas aos exageros vocais de Linhares, é indiscutivelmente um dos maiores fenômenos do Metal nacional de todos os tempos.

Parabéns a Linhares e sua nova trupe, que venham os próximos 10 anos de Dark Avenger!!

Lançado por Heavy Melody Produções(2003)

DISCOGRAFIA:
- Dark Avenger (CD/1995)
- Tales of Avalon - The Terror (CD/2001)
- Revenge - The Triumph of... (Tribute to Manowar/2002)
- X Dark Years (EP/2003)

FORMAÇÃO ATUAL:
Mário Linhares - vocais
Hugo Santiago - guitarra
Marcus Valls - guitarra
Thomaz Galuf - teclados
Gustavo G Zus - baixo
Acácio Carvalho - bateria

CONTATOS:
website: www.darkavenger.com.br
e-mail: [email protected]

publicidade


Outras resenhas de X Dark Years - Dark Avenger

Resenha - X Dark Years - Dark Avenger




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Hate By Hate: Vocalista grava tributo ao Dark Avenger

Dark Avenger: Quando o corpo padece, o eu lírico prevalece


Mario Linhares: Obrigado Carlinhos Brown, você se tornou um giganteMario Linhares
"Obrigado Carlinhos Brown, você se tornou um gigante"

Covers: quando bandas de Heavy e Power Metal prestam tributoCovers
Quando bandas de Heavy e Power Metal prestam tributo


Gutural: mulheres que fazem vocal em bandas de MetalGutural
Mulheres que fazem vocal em bandas de Metal

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos


Sobre Richard Navarro

Jornalista e Produtor de Eventos, responsável pelo festival ¨BMU¨ (Brasil Metal Union) e o antigo fanzine Heavy Melody. Foi co-fundador da Brasil Music Press, e por muitos anos colaborador oficial da revista Roadie Crew, onde se especializou em matérias com bandas nacionais.

Mais matérias de Richard Navarro no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin