Resenha - Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Beto Guzzo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Ouchhhhhhh !!! Algumas sensações de prazer demandam grande esforço ou demoram a se concretizar... ouvir o quarto álbum do Led Zeppelin no último volume é uma experiência extremamente prazerosa e não oferece nenhuma dificuldade. Este trabalho vai fazê-lo arrepiar da ponta dos pés até o último fio de cabelo.
3525 acessosDream Theater: 10 dos melhores covers tocados pela banda5000 acessosNicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Quando do lançamento deste álbum, em novembro de 1971, o Zeppelin já era conhecido e reverenciado pelo mundo afora. Mas Robert Plant (vocais), Jimmy Page (guitarra), John Paul Jones (baixo) e John Bonham (bateria) decidiram entrar para história do rock ‘n‘ roll. E assim foi feito. Este play é considerado por muitos o melhor álbum de rock de todos os tempos!

Vamos lá... Black Dog é a primeira faixa, um blues pesado que sacode qualquer objeto que esteja ao alcance do som, incluindo os ouvintes. Na sequência, umas das músicas mais reverenciadas da banda e hino roqueiro: Rock ‘n’ Roll. A bateria de Bonham no começo é incendiária. Aliás a sensação que passa é que os caras estavam com a energia mais pura quando compuseram esta melodia.

Para acalmar um pouco as enzimas do seu corpo, o Led colocou The Battle Of Evermore como terceira faixa, uma balada bem trabalhada na parte vocal e com Page exagerando (no melhor sentido possível) na melodia das cordas. Segue a esta a música mais tocada nas rádios de todo o mundo até hoje: Starway to Heaven. Page e Jones trabalharam na melodia durante um dia inteiro e Plant, que estava em frente a uma lareira, compôs 80% da letra em um só tiro, bem rápido. Page percebeu o que a banda tinha em mãos não era simplesmente mais uma música e se esmerou durante alguns dias no acabamento da canção, chegando a compor três solos diferentes. Realmente eles acertaram a mão nesta faixa, que entrou para a história do rock.

Seguindo o padrão do álbum, Misty Mountain Hop é um rockão de primeira e não vai te deixar na mão e Going to California é o momento paz e amor do trabalho, com Plant detonando sensualmente sua voz. Finalmente o trabalho se encerra com When The Levee Breaks, um resumo do play, com todo mundo arrebentando: Bonham afundando as baquetas, Jimmy muito inspirado, J. P. Jones marcando o compasso da música que, cantada de uma maneira única por Plant, fica com pinta de épica.

Na minha modesta opinião, um dos 5 melhores álbuns de rock de todos os tempos.

Curiosidades :

1. Pois é. Qual que é o nome deste disco? Resposta : ele não tem nome! Acontece que Page estava puto com os jornalistas especializados (a relação Zep/imprensa nunca foi boa) e decidiu que o álbum não ia sequer ter o número do catálogo da gravadora impresso. Page : “A música é o que importa...deixem as pessoas comprá-lo (o álbum) porque gostam da música. Eu não quero nada escrito na capa. Ponto final”. Os fãs o chamam de Zoso, quatro símbolos, disco do velhinho ou Led Zeppelin IV. Prefiro o último.

2. Ainda sobre o imbroglio acima. Os executivos da Atlantic Records ficaram embasbacados com a atitude de Page, chamaram-no para uma conversinha e disseram : “Um álbum sem o nome do artista nele?! Vocês estão assinando o próprio atestado de óbito”. Ahhhhhhh, então tá...o álbum já vendeu mais de 22 milhões de cópias no mundo inteiro (o Zep, junto com Garth Brooks, são os únicos artistas a terem mais de quatro álbuns com vendas acima de dez milhões : Led Zeppelin II – 12 milhões, Phisical Graffiti 15 milhões e Houses of the Holy, com 11 milhões).

3. A canção não tinha nome até então...o overdrived blues estava na ponta dos cascos mas nada de nome. Foi aí que J.P. Jones percebeu que um cachorro preto, que não era de ninguém, saia e entrava do estúdio com a maior tranqüilidade. Decidiram então chamar a música de Black Dog. Deu no que deu...

4. Sessão cianureto. Veja só o veneno que John Paul Jones destilou sobre o som tirado pela banda em Led Zeppelin IV : “Ninguém nunca mais nos comparou ao Black Sabbath depois deste álbum.”

Zep Basicão: 1971, Led Zeppelin IV
Zep Legets: Basicão + 1973 Houses of the Holy + 1975 Phisical Graphitty
Zep Fanzaço: Legets + Remasters + BBC Sessions

Long Live Rock’n’Roll

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

1515 acessosLed Zeppelin: os 45 anos do clássico Led Zeppelin IV3695 acessosLed Zeppelin: existem versos que nascem com alguma bruxaria5000 acessosTradução - Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

Dream TheaterDream Theater
10 dos melhores covers tocados pela banda

1244 acessosHard Rock e Metal: em vídeo, os dez álbuns mais vendidos nos EUA748 acessosLed Zeppelin: Bonham é homenageado com placa em sua cidade natal774 acessosLed Zeppelin: advogados exigem que reclamantes paguem as custas1448 acessosThem Crooked Vultures: Grohl diz que banda deve retornar em breve0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Led Zeppelin"

Guitar WorldGuitar World
Os melhores solos de guitarra de todos os tempos

Mais capasMais capas
A história do rock no Google Street View

Led ZeppelinLed Zeppelin
Heart em cover emocionante de "Stairway to Heaven"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"

Nicko McBrainNicko McBrain
Pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

TatuagensTatuagens
Homenagens à banda Kiss na pele dos fãs mais radicais

Em 19/02/1980Em 19/02/1980
Bon Scott, vocalista do AC/DC, morre aos 33 anos de idade

5000 acessosGibson: os 50 melhores covers da história do rock5000 acessosNoisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metal5000 acessosBlack Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward5000 acessosGuns N' Roses: Melissa Reese conta momento nojento da turnê5000 acessosExodus: "Vão se fuder aqueles babacas", diz Rob Dukes5000 acessosSepultura e irmãos Cavalera: da vanguarda ao apequenamento

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Beto Guzzo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online