Resenha - II = I - Andromeda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Site Oficial - http://www.andromedaonline.com

Dedo x Palheta: Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debateAnitta: "Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Formação:
David Fremberg (Vocais)
Johan Reinholdz (Guitarras)
Martin Hedin (Teclados)
Jakob Tanentsapf (Baixo)
Thomas Lejon (Bateria)

Lá vem Suécia de novo. Porém desta feita não irei me alongar na abordagem sobre a cena local. O único jeito é arrecadar fundos para uma pesquisa antropológica, podendo assim conferir de perto o que rola por lá. Enquanto isso vamos continuar desfrutando das maravilhas provenientes do país. Dentre elas, a boa 'velha nova' que é o Andromeda.

Na estréia do grupo em 2001, com "Extension Of The Wish", pudemos gozar de ótima música, mas sem passagens que chegassem a empolgar ou fizessem-nos acreditar num futuro mais promissor e longevo do que o da maioria das bandas medianas que vemos por aí.

"II = I" é um choque não só pela evolução monstruosa e busca de novos caminhos, como também por se tratar, desde o lançamento de "Awake" do Dream Theater, do melhor disco já lançado nesta vertente. Posto isto, subentende-se uma qualificação absurda de músicos, além de inacreditáveis níveis de originalidade, peso e variações rítmicas, melódicas e harmônicas.

Liderados pelo guitarrista Johan Reinholdz, e enriquecidos por influências de Spastic Ink e Pain Of Salvation, os suecos conseguiram realizar um trabalho incrível, o qual vai grudar nos ouvidos com músicas como "Encyclopedia", "Reaching Deep Within'" e "Castaway".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Andromeda"


Dedo x Palheta: Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debateDedo x Palheta
Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debate

Anitta: Eu era roqueira. Comecei no funk por destino.Anitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Guitarristas: os sete mais influentes de todos os temposGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos

Humor: os dez maiores picaretas da música internacionalHumor
Os dez maiores picaretas da música internacional

Halloween: dez clássicos do Heavy Metal para curtir a dataHalloween
Dez clássicos do Heavy Metal para curtir a data

Slipknot: banda sentiu que estava rachando em All Hope Is GoneSlipknot
Banda sentiu que estava "rachando" em All Hope Is Gone

Mike Bordin: Regravar partes de álbuns de Ozzy foi uma m*rdaMike Bordin
"Regravar partes de álbuns de Ozzy foi uma m*rda"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336