Matérias Mais Lidas

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemBeatles: Paul McCartney conta a história por trás de "Ob-La-Di, Ob-La-Da"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemApós viralizar com anúncio, Harppia revela identidade do novo baixista

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemJimmy Page dá opinião sobre streaming e enaltece desconhecido herói dos músicos

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemChad Smith chama matéria sobre Taylor Hawkins de "sensacionalista e enganosa"


Stamp

Resenha - Hymn To Life - Timo Tolkki

Por Thiago Sarkis
Em 11/12/02

Nota: 3

Muita gente afirma que álbum bom é aquele que te enche de emoções e sensações. Se for mesmo assim, este segundo trabalho solo de Timo Tolkki é um primor. É impossível evitar determinadas percepções e representações em conseqüência destas. Constrangimento, decepção, desencanto, desagrado, desconforto, desgosto, desânimo, desilusão, desestima. E aproveitando a onda dos ‘des’, é fácil dizer que "Hymn To Life" é um verdadeiro "des-astre".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Se o ‘hino para a vida’ do mentor do Stratovarius consiste nisso que ouvimos aqui, pra quê fazer um lançamento mundial de tantas canções sem-sal, tolas? Tudo bem que é um lance bem pessoal, e o próprio já avisou antecipadamente este objetivo. Porém, que ele exibisse tal bobagem pra família Tolkki, ou então que deixasse tudo isso guardado lá na Finlândia, na sua casa, seu armário, seja lá onde for, mas longe de nós.

O compositor vai para um lado bem pop, embasado, principalmente, na vivência desse estilo nos anos oitenta. Tivemos bons artistas e bandas nessa época, sem dúvida. Contudo, Timo parece ter escolhido a dedo as influências mais inúteis possíveis, resultando num ‘brega metal’, se é que podemos falar de peso por aqui.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Quase tudo dá errado. A sorte é que naturalmente ele compõe bem, chegando a raras passagens interessantes nas faixas, especialmente pela via dos teclados de Mike Ervaskari. Também sua capacidade como produtor é inegável e isso colabora obviamente. Entretanto, fora isso, dá vontade de chorar de tão ruim.

Nas letras, devaneios juvenis, os quais ele deve acreditar serem verdadeiros questionamentos filosóficos e conceituais, pois ainda tem a audácia de citar no encarte, na parte de literatura, figuras como Wilhelm Reich e Erich Fromm.

Sobre as músicas, bom, cheque você mesmo. A turma do Balão Mágico em "Now I Understand", a cafona "Little Boy I Miss You", a tentativa fracassada de mandar uma vertente U2 em "I Believe", além da constrangedora, horrenda, lastimável "Father".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Nossos ouvidos não são pinicos, todavia depois de mais de uma hora de embromação e baboseira, é inevitável que fiquem entupidos. Vou lá limpar os meus, cuide dos seus. Tchau!

Site Oficial: www.tolkki.com

Formação:
Timo Tolkki (Vocais – Guitarra – Baixo)
Mike Ervaskari (Teclados)
Anssi Nykänen (Bateria)

Material cedido por:
NUCLEAR BLAST - http://www.nuclearblast.de
Caixa Postal 1240 São Paulo – SP
01059-970 – BRASIL
Fone: +55 (11) 3097-8117 / (0xx11) 3097-8117
Fax: +55 (11) 3816-1195 / (0xx11) 3816-1195
Email: [email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.