Resenha - Damage Done - Dark Tranquillity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Coelho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


Quem acompanha a carreira do Dark Tranquility, que já tem 11 anos de existência e seis álbuns lançados, pelo menos por algum tempo, sabe que eles andaram brincando com computadores e sintetizadores mais do que deveriam ultimamente. Esperar que este "Damage Done" viesse para arruinar a carreira destes suecos de Gothenburg era um medo que povoava minha mente. Mas que surpresa tive ao ouvir este último míssel lançado pela esquadra comandada pelo vocalista Mikael Stanne. Nada de vocais limpinhos ou flertes com o nu-shitty-metal, muito pouco computador, incursões de teclado absolutamente fantásticas e muita, muita pancadaria no que deve ser o melhor disco de melodic death metal deste ano, junto ao "Natural Born Chaos" do Soilwork e o "Reroute to Remain" do In Flames.

Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzscheHeavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Murro após murro, o massacre começa com a irretocável "Final Resistance", passando por uma tríade demoníaca formada por "Hours Passed in Exile", "Monochromatic Stains" e "Single Part of Two" culminando na linda melodia de abertura de "The Treason Wall".

Nos segundos que entremeiam as faixas 5 e 6, pensei: "Bom, as cinco primeiras faixas foram tão boas que agora deve vir a parte fraca do álbum". Fraca o cacete! "Format C: for Cortex", a faixa título, "Cathode Ray Sunshine" e todo o resto do disco fazem meu sorriso alargar-se e a vontade de rachar a cara na parede, com o volume no máximo e as caixas de som nos braços, coladas aos meus ouvidos, me fazem fingir um "stage dive" sobre a cama quando o disco termina com a instrumental "Ex Nihilo". Porra, que covardia!

Riffs maravilhosos desfilam por TODO o álbum, num furacão de criatividade e competência, agressividade e melodia. Portanto, se você gosta de melodic death metal, venera o agora famoso "Gothemburg Sound", tava com saudade daquela veeeeeelha "Tranquilidade Escura", meu amigo, você vai ver o tamanho do "damage" que este disco vai causar ao teu "neck".


Outras resenhas de Damage Done - Dark Tranquillity

Resenha - Damage Done - Dark Tranquillity




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Tranquillity"


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzscheAutores que inspiraram o Heavy Metal
Friedrich Nietzsche

Heavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que éHeavy Metal
25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Morte: confira 15 das melhores músicas sobre o temaMorte
Confira 15 das melhores músicas sobre o tema

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose

G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Jimmy Page: qual foi seu maior momento fora do Zeppelin?Jimmy Page
Qual foi seu maior momento fora do Zeppelin?

Iron Maiden: poster de Eddie está assustando criancinhas alemãsIron Maiden
Poster de Eddie está assustando criancinhas alemãs


Sobre Bruno Coelho

Bruno Coelho é Arquiteto, escritor, poeta, produtor de eventos, pai, tradutor, intérprete e professor de inglês. Morou em cinco capitais brasileiras e hoje dedica-se ao árduo labor de organizar eventos na capital maranhense de São Luís. Fã do Dream Theater, Tool, Symphony X, Pain of Salvation e Evergrey, encontra espaço pra novas bandas e vertentes sempre.

Mais matérias de Bruno Coelho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336