Resenha - Longevity - re-Vision

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Como dito em críticas anteriores, o Pain Of Salvation se tornou um dos maiores expoentes do metal progressivo mundial, e já dita uma nova linha dentro do estilo. Podemos falar de uma aproximação ao gótico e uma maneira de trazer um pouco de acessibilidade e, ao mesmo tempo, a vertente técnica levada à risca, para os ingredientes 'progs'. Tendo isso em mente, sabíamos que seus clones viriam cedo ou tarde, e também já prevíamos a dificuldade de alcançar o nível dos mentores da trama. Prova explícita está aí: re-Vision com seu terceiro álbum, "Longevity".

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraMetallica: os segredos de "Enter Sandman"

Disco ruim? Só um louco para afirmar isso. Porém, sendo bem conivente, digamos que das quinze faixas presentes, dez ou onze se enquadrariam perfeitamente no quesito 'wanna be' "Ashes", clássico composto pelos suecos do 'PoS'. As músicas tendem por esse caminho a toda hora e, além de não alcançarem a qualidade donde foi tirada tal inspiração, chegam a cansar em certos instantes.

Paul Di'Anno quebra a rotina no melhor momento do disco, o único realmente digno de se tirar o chapéu. A seqüência "Larvae" (com o ex-Iron Maiden participando nos vocais), "Charlene" e "Storm" é simplesmente fantástica. Soa como o desabrochar de uma banda, ainda influenciada ao extremo, contudo dando os primeiros passos para trazer originalidade a suas canções.

Se você curte o trabalho do Pain Of Salvation a ponto de achar que até cópias não tão boas quanto os mestres valem a pena, então confira o re-Vision. Dá até pra acreditar que Daniel Gildenlöw está cantando, por exemplo, em "Her Sleep" e "Sweewater Chain". Caso sua posição seja contrária, suma daqui e parta para, de preferência, "The Perfect Element Part I", o qual devia constar nas 'referências discográficas' de "Longevity".

Site Oficial - http://www.re-vision.org

Line-Up:
Frank Wenner (Vocais)
Daniel Düring (Guitarras)
Mario Feldhordt (Guitarras)
Christoph Lücker (Baixo)
Dominik Nowitzki (Bateria)

Material cedido por:
Encore Records - http://www.encorerecords.com.br


Outras resenhas de Longevity - re-Vision

Resenha - Longevity - re-Vision




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Revision"


Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraRoadrunner
Os dez melhores vídeo-clipes da gravadora

Metallica: os segredos de Enter SandmanMetallica
Os segredos de "Enter Sandman"

Metallica: Hetfield elege as suas dez músicas favoritasMetallica
Hetfield elege as suas dez músicas favoritas

Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock

Ramones: Perguntas e respostas e curiosidadesRamones
Perguntas e respostas e curiosidades

O Exorcista: a relação de músicas do Purple e Ozzy com o filmeO Exorcista
A relação de músicas do Purple e Ozzy com o filme

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.